Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Um banco de sementes contribui para a restauração ambiental, além de ajudar a identificar a condição de uma área degradada

Um banco de sementes é um agrupamento de sementes presentes no solo. Ele tem a capacidade de regenerar uma área degradada ou, ainda, contaminar uma plantação agrícola com espécies invasoras. Entenda a importância do banco de sementes para o meio ambiente e os fatores que influenciam na sua dinâmica.

Sobre o banco de sementes

Banco de sementes consiste em um conjunto de sementes presente no solo. De acordo com a definição do Embrapa, o banco de sementes é “a quantidade de sementes existentes no solo, em dado momento e em determinada área”.

Conforme as plantas soltam suas sementes, elas se acumulam no solo e formam um conjunto. Em geral, o banco de sementes tem sementes pequenas, compactas e lisas, que se acumulam com maior facilidade e tem menor capacidade de dispersão.

O banco de sementes e a restauração ambiental

O banco de sementes pode ser bastante favorável à preservação e restauração ambiental de uma área. Quando acontece o desmatamento, o banco de sementes se torna a alternativa das espécies vegetais em se reproduzir e reflorestar o local.

As sementes presentes nessas condições se encontram em estado de latência (dormência), aguardando fatores externos que possibilitem a sua germinação. Durante esse período, elas podem mudar de local, a partir de agentes dispersores. 

Em casos de degradação intensa e pouca presença de sementes, as alternativas são o plantio de espécies vegetais ou a transposição do solo. Este último conta com a reposição das condições originais do solo, incluindo a presença das sementes.

Quanto maior o banco de sementes, melhor a capacidade de regeneração do área. Isso porque um ambiente com a presença de várias sementes tem maior chances de germinação, ainda que as condições do local não sejam as melhores.

Tipos de dispersão de sementes

Cutia comendo sementes. Imagem editada e redimensionada de Márcio Cabral de Moura, em Flickr sob a licença CC BY-NC-ND 2.0

As sementes podem ser transportadas por animais, água, máquinas agrícolas ou pelo vento. Confira os tipos de dispersão:

  • Autocoria: consiste na dispersão pela própria planta-mãe (balocoria ou blastocoria) ou por movimentação higroscópica (herpocoria – dispersão da semente a partir de estruturas da própria semente ou da absorção de água)
  • Barocoria: dispersão realizada pelo próprio peso do fruto
  • Semacoria: dispersão a partir da movimentação da planta-mãe provocada pelo vento ou demais fatores externos
  • Anemocoria: dispersão pelo vento
  • Hidrocoria: dispersão pelas gotas da chuva (ombrocoria) ou pela flutuação da semente na água (nautocoria)
  • Bythisocoria: dispersão por correntes de água
  • Zoocoria: dispersão a partir da ação de animais
  • Hemerocoria: dispersão pela ação humana (agrocoria)

Alguns fatores externos como água, luz,  presença de pragas, temperatura e disponibilidade de oxigênio, podem influenciar na germinação e no tamanho do banco de sementes presente no solo. 

Além disso, as sementes podem ser ingeridas por predadores, o que pode destruí-las ou transportá-las para outro local. Outro fator que influencia a dinâmica das sementes é o uso do solo, que pode ser agrícola, pastoril ou de vegetação nativa.

Em caso de solos de uso agrícola ou pastoril, a ausência da vegetação nativa pode levar ao empobrecimento do solo e a perda de sementes no banco de sementes. Com isso, a capacidade de regeneração da área pode ser comprometida. 

Importância do banco de sementes

Os bancos de sementes são importantes indicadores para avaliar a restauração ambiental de uma área. Com a presença de um grande banco de sementes, a necessidade de intervenção humana para o processo de restauração pode ser menor. Isso porque com a germinação das sementes, a regeneração da área acontece de forma natural e gradual.

Por outro lado, a ausência das sementes no solo pode representar a fragilidade do ecossistema da área. Quanto maior a variedade de sementes, maior a biodiversidade do local. 

Dessa forma, a partir da análise do banco de sementes, é possível obter informações sobre o bioma da região e suas necessidades, bem como a sua capacidade de regeneração. Além disso, o banco de sementes contribui para a alimentação de animais.

Banco de sementes na agricultura

Na agricultura, o banco de sementes pode contribuir para a identificação de plantas invasoras. A partir da identificação das espécies, os agricultores têm a capacidade de prever a germinação das sementes. Assim, as sementes são coletadas no período anterior à germinação, reduzindo a necessidade do uso de agrotóxicos.