Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Agricultura de precisão é uma técnica de gerenciamento que traz benefícios para a área de cultivo

A agricultura de precisão é um modelo de gerenciamento agrícola utilizado com a finalidade de oferecer os recursos necessários para cada fragmento que compõe a área agrícola. Ela estuda as condições do terreno, proporcionando um cuidado balanceado de acordo com as características do solo e da espécie cultivada.

Conceito

A agricultura de precisão consiste na incorporação de técnicas e tecnologias no sistema de produção, visando aumentar a produtividade e o controle sobre a área cultivada. Diferente da agricultura convencional, que trabalha as necessidades gerais da área de cultivo, a agricultura de precisão elabora metodologias para atender as necessidades metro a metro.

Nesse método, satélites são usados para analisar as condições do solo e  suas demandas. A agricultura de precisão combina o uso de insumos, como fertilizantes, a espécie cultivada e o manejo do solo. Além disso, o estudo é influenciado pelas características do local e região, como as condições climáticas.

Origem

O conceito da agricultura de precisão surgiu de forma gradual, a partir da compreensão das vantagens da aplicação de insumos agrícolas a partir da necessidade de cada tipo de solo. Esse conceito surgiu nos Estados Unidos no final da década de 1920. 

Em 1929, estudos realizados com a amostragem do solo implementaram técnicas de administração do solo, que resultaram em uma redução de 40% dos custos. No Brasil, a agricultura de precisão surgiu em 1990. Entretanto, esse modelo de gerenciamento ainda é pouco utilizado nas produções agrícolas brasileiras.

Inicialmente, a agricultura de precisão era pensada apenas para grãos, e posteriormente passou a ser adotada para outras espécies vegetais. Para que esse modelo seja viável, é necessária a implementação de sistemas automatizados, como o uso de máquinas agrícolas, Sistema de Informação Geográfica (SGI) e satélites.

Saiba mais no vídeo:

Ciclo da agricultura de precisão

De acordo com um estudo, a agricultura de precisão pode ser elaborada em um ciclo de três etapas: leitura, interpretação e planejamento e atuação. A primeira delas diz respeito à coleta de dados, e faz uso de equipamentos tecnológicos, como sensores. 

Ela aborda as variáveis de observação, medição, identificação, sensoriamento, contagem, identificação, amostragem, produtividade e imagem, para adquirir dados sobre o solo, a espécie cultivada, as condições do local (temperatura, luz, vento, umidade), pragas, fauna e microfauna. 

A etapa de interpretação e planejamento utiliza ferramentas de Sistema de Informação Geográfica (SIG) e geoestatística, para fazer um registro com a base de dados, um planejamento e uma recomendação do que deve ser feito na área.

A atuação consiste em colocar em prática o planejamento elaborado, aplicando insumos, como a irrigação, adubação, correção do solo, semeadura e a colheita seletiva.

Estratégias operacionais

Existem duas estratégias principais para implementar as técnicas da agricultura de precisão. A primeira tem enfoque na adubação do solo a partir de amostragens que indiquem o grau da sua fertilidade química. Essa é a  principal estratégia utilizada, porque se trata de uma alternativa simples e de baixo custo. 

A segunda consiste na fiscalização e elaboração de um mapa de produtividade da cultura, para gerenciar os insumos presentes na área agrícola.

Vantagens

A agricultura de precisão é um modelo de gerenciamento agrícola sustentável, pois busca a redução dos impactos ambientais negativos. A partir do seu uso, a quantidade de agrotóxicos e alternativas de correção do solo podem ser reduzidas nas culturas. Com isso, a agricultura de precisão diminui as ocorrências de lixiviação dos nutrientes do solo e contaminação dos corpos d’água. 

O uso das técnicas da agricultura de precisão pode reduzir os custos de produção, pois reduz a necessidade de uso de fertilizantes e otimiza o tempo investido para identificar os problemas presentes no campo. Com o uso dessas técnicas, o proprietário tem as informações necessárias para o controle da área. Além disso, a agricultura de precisão aumenta a produtividade.

Ela pode ser usada para elaborar modelos de simulação, através da coleta de informações sobre o solo, para identificar e prever as condições do solo em um determinado período de tempo. Além disso, contribui para estudos relacionados com a emissão de gases do efeito estufa, como o CO2, a partir das atividades agrícolas.