Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Fertirrigação é uma técnica eficiente para a aplicação de fertilizantes

A fertirrigação é uma técnica desenvolvida para aumentar a eficiência da aplicação de fertilizantes em espécies vegetais. Essa técnica permite uma maior absorção dos nutrientes pelas plantas, além de reduzir o excesso no solo. Dessa forma, a fertirrigação diminui a ocorrência de lixiviação de nutrientes e a eutrofização em ambientes aquáticos. Apesar disso, o uso de fertilizantes pode gerar alguns impactos negativos.

O que é?

Fertirrigação. Imagem de Anrita1705 em Pixabay

A fertirrigação é a técnica de aplicar fertilizantes diluídos em água a partir da irrigação nas plantas-alvo. Essa técnica permite uma absorção rápida dos nutrientes, uma vez que os nutrientes estão presentes em uma solução aquosa, que penetra no solo. O mesmo não ocorre com a aplicação direta no solo, em que o fertilizante está em estado sólido.

O fertilizante em estado sólido libera os nutrientes de forma mais lenta, já que depende da chuva ou da irrigação para tal. Dessa forma, a absorção feita pelas plantas ocorre de forma mais eficiente no processo de fertirrigação.

Tipos de fertilizantes

A melhor maneira de aplicar a fertirrigação é a partir da técnica de gotejamento. Os fertilizantes usados na solução podem ser sólidos ou líquidos. Para utilizar fertilizantes sólidos, é necessário que eles sejam solúveis em água.

Fertilizantes sólidos

Fertilizante de nitrogênio

O fertilizante mais solúvel é o fertilizante de nitrogênio. O nitrogênio contribui para o desenvolvimento das plantas. Quando está em escassez no solo, as plantas tendem a atrofiar. Esse fertilizante é produzido a partir da captura do nitrogênio atmosférico e a sua agregação ao metano

O metano utilizado para a realização dessa síntese, chamada de síntese Haber-Bosch, provém do gás natural. Ao final desse processo, substâncias como a amônia são formadas. O fertilizante nitrogenado é o mais usado no mundo, apesar de ser o mais poluente. 

Fertilizantes de fósforo

Os fertilizantes de fósforo não costumam ser utilizados para a fertirrigação porque são produtos pouco solúveis. No caso de fertilizantes de fósforo com a presença de cálcio, a solubilidade se torna ainda menor devido à formação de sólidos de fosfato de cálcio. Além disso, a formação de fosfato de cálcio pode entupir o equipamento utilizado para o gotejamento de fertilizantes.

Fertilizantes líquidos

Os fertilizantes líquidos podem ser claros ou coloidais. Os fertilizantes claros são compostos por soluções puras, e podem ser incorporados em conjunto com micronutrientes. Eles podem ser aplicados a partir do gotejamento ou borrifamento. Os fertilizantes nitrogenados são os mais utilizados, sobretudo os compostos por ureia e nitrato de amônio.

No caso de fertilizantes com soluções coloidais, há a presença de amônia e ácido fosfórico, porém a solução pode ser enriquecida com potássio ou nitrogênio.

Vantagens

Para as plantas, a fertirrigação permite maior disponibilidade de nutrientes, que pode variar de acordo com a concentração da solução. Dessa forma, o uso dessa técnica resulta em uma maior produtividade agrícola. 

Além disso, a fertirrigação diminui a ocorrência de lixiviação, pois a aplicação de fertilizantes é feita de forma mais controlada, administrada com a água. Além disso, a absorção eficiente dos nutrientes por parte das plantas diminui a ocorrência de nutrientes lixiviados.

Desvantagens

Lixiviação e eutrofização

A aplicação de fertilizantes no solo pode trazer problemas ambientais e para a saúde humana. A fertirrigação diminui a lixiviação, mas não é suficiente para evitá-la completamente. Dessa forma, os fertilizantes contaminam o solo e os ambientes aquáticos.

A presença desses produtos em ambientes aquáticos pode provocar a morte de animais, como peixes, e favorecer o desenvolvimento de algas, gerando desequilíbrio ambiental. Com isso, a lixiviação de nutrientes pode gerar a proliferação desenfreada de algas, processo denominado eutrofização. Com isso, ocorre a redução de oxigênio e fotossíntese no corpo hídrico.

Chuva ácida

O fertilizante nitrogenado tem caráter alcalino, dessa forma as moléculas de amônia reagem com componentes de caráter ácido, como o dióxido de enxofre (SO2), formando aerossóis atmosféricos. Esses aerossóis contribuem para a poluição atmosférica e prejudicam a qualidade do ar. Um exemplo são os materiais particulados, como o MP2.5, que contribui para o fenômeno da chuva ácida.

A chuva ácida é um fenômeno de precipitação em que a água em estado líquido ou sólido contém substâncias que tornam o seu pH ácido. Os impactos disso são a contaminação de ecossistemas e de pessoas por essas substâncias.

Poluição salina

Outra consequência da aplicação de fertilizantes é a poluição salina, que transforma corpos de água doce em salgada, a partir da interferência de partículas de sais nesse ambiente. Esse fenômeno altera o pH, temperatura, alcalinidade, salinidade e dureza da água. Dessa forma, altera a dinâmica do ecossistema aquáticos.