O que são alimentos probióticos?

eCycle

Alimentos probióticos contêm micro-organismos que atuam na sintetização de vitaminas e proteção do organismo

alimentos probióticos

Probióticos são alimentos (ou produtos) que contêm micro-organismos vivos que proporcionam benefícios para a saúde.

O conceito de probiótico foi introduzido no início do século XX, quando o prêmio Nobel Elie Metchnikoff, conhecido como o “pai dos probióticos”, propôs que o consumo de micro-organismos benéficos poderia melhorar a saúde das pessoas. Os pesquisadores continuaram a investigar essa ideia e o termo “probióticos” - que significa “pró vida” - entrou em vigor.

Embora as pessoas frequentemente pensem em bactérias e outros micro-organismos como “germes” prejudiciais, muitos micro-organismos são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

As bactérias presentes no intestino, por exemplo, ajudam a digerir os alimentos, destruir micro-organismos causadores de doenças e produzir vitaminas.

Os alimentos que contêm micro-organismos benéficos para o corpo são chamados de alimentos probióticos. São exemplos de alimentos probióticos os fermentados como o chucrute, kimchee, kombucha, kefir, gengibre em conserva, pepino em conserva, beterraba fermentada, entre outros. Mas os probióticos também podem ser encontrados em cápsulas ou em sachês vendidos em farmácias.

Alguns probióticos podem ajudar a prevenir a diarreia causada por infecções ou antibióticos. Eles também podem ajudar a reduzir os sintomas da síndrome do intestino irritável. No entanto, nem todos os probióticos têm os mesmos efeitos.

Quais tipos de micro-organismos estão nos probióticos?

Os probióticos podem conter uma variedade de micro-organismos. Os mais comuns são as bactérias que pertencem aos grupos chamados Lactobacillus e Bifidobacterium. Cada um desses dois grandes grupos inclui muitos tipos de bactérias. Outras bactérias probióticas são leveduras como Saccharomyces boulardii.

Probióticos, prebióticos e simbióticos

Prebióticos não são a mesma coisa que probióticos. Como já mencionado, os probióticos são alimentos ou produtos que contêm micro-organismos benéficos para o organismo. Já os “prebióticos” são alimentos que favorecem o crescimento desses micro-organismos. Alguns exemplos são o repolho cu, farinha de banana verde, cebola, alho, tomate, banana, aveia (na versão sem glúten), linhaça, gergelim, amêndoas, entre outros.

O termo “simbióticos”, por sua vez, refere-se a produtos que combinam probióticos e prebióticos.

Para saber mais sobre os prebióticos dê uma olhada na matéria: "O que são alimentos prebióticos?".

O que a ciência diz sobre a eficácia dos probióticos

alimentos probióticos

Pesquisas relacionam o uso de probióticos com a prevenção e o tratamento de vários problemas de saúde, incluindo:

  • Distúrbios digestivos, como diarreia causada por infecções, diarreia associada a antibióticos, síndrome do intestino irritável e doença inflamatória intestinal;
  • Distúrbios alérgicos, como dermatite atópica (eczema) e rinite alérgica (febre do feno);
  • Cárie dentária, doença periodontal e outros problemas de saúde bucal;
  • Cólica em bebês;
  • Doença hepática;
  • Resfriado;
  • Prevenção da enterocolite necrosante em recém-nascidos de muito baixo peso.

Os estudos, no entanto, ainda não são conclusivos. Há evidências de que alguns probióticos são úteis na prevenção da diarreia causada por infecções e antibióticos e na melhora dos sintomas da síndrome do intestino irritável. Mas faltam informações sobre doses específicas e também sobre quais os melhores probióticos para cada tipo de doença.

Como os probióticos não são todos iguais, se um tipo específico de Lactobacillus ajuda a prevenir uma doença, por exemplo, isso não significa necessariamente que outro tipo de Lactobacillus ou qualquer um dos probióticos Bifidobacterium fariam a mesma coisa.

Mas o que se tem certeza é que os micro-organismos do intestino são fundamentais para o funcionamento do organismo. Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia concluiu, inclusive, que os micro-organismos presentes no intestino são capazes de afetar o humor, o comportamento e até mesmo o risco de doenças neurológicas, como o mal de Parkinson. 

Como funcionam os probióticos?

Os probióticos podem ter uma variedade de efeitos no organismo, e diferentes probióticos podem agir de diferentes maneiras, incluindo:

  • Ajudar a manter a colônia de micro-organismos do intestino estável;
  • Estabilizar as barreiras do trato digestivo contra micro-organismos nocivos ​​ou produzir substâncias que inibam seu crescimento;
  • Ajudar a comunidade de micro-organismos do trato digestivo a voltar ao normal após ser perturbada (por exemplo, por um antibiótico ou uma doença);
  • Combater os micro-organismos patógenos;
  • Estimular a resposta imune.

O que a ciência diz sobre a segurança e os efeitos colaterais dos probióticos

A seguridade dos probióticos para o organismo também depende do estado de saúde prévio da pessoa.

  • Em pessoas saudáveis, os probióticos têm um bom histórico de segurança. Os efeitos colaterais, se ocorrerem, geralmente consistem apenas em sintomas digestivos leves, como gases;
  • Por outro lado, existem relatos ligando probióticos a efeitos colaterais graves, como infecções em pessoas com problemas médicos prévios. O risco de efeitos colaterais graves é maior em pacientes muito doentes, operados, bebês muito doentes e pessoas com sistema imunológico debilitado.

Considere também

  • Não substitua tratamentos cientificamente comprovados por produtos e práticas não comprovados. Não use um produto de saúde complementar, como probióticos, como motivo para adiar uma consulta à sua médica ou médico sobre qualquer problema de saúde.
  • Se você está tomando um suplemento dietético probiótico, procure aconselhamento médico. Principalmente se você tiver problemas de saúde. Qualquer pessoa com uma condição de saúde grave deve ser monitorada de perto enquanto estiver tomando probióticos.
  • Se você está grávida ou amamentando, ou se você está considerando dar um suplemento dietético para uma criança, como probióticos, é especialmente importante consultar a médica ou médico seu e do seu filho.
  • Informe todos os seus profissionais de saúde sobre quaisquer abordagens de saúde complementares ou integrativas que você use. Dê a eles uma visão completa do que você faz para gerenciar sua saúde. Isso ajudará a garantir um atendimento mais seguro.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail