O que é sedentarismo?

eCycle

O sedentarismo atinge grande parte da população mundial. Com as facilidades e tentações da vida moderna, fica cada vez mais difícil fugir desse estilo de vida

Sedentarismo, assistindo TV
"hot lather" por Al Ibrahim está licenciado sob CC BY 2.0

O que é

O sedentarismo é a falta, diminuição ou ausência de atividades físicas, e é caracterizado pela gasto calórico reduzido. Ele é Intensificado pelos hábitos da vida moderna, como passar muito tempo dentro de carros, a facilidade de escadas rolantes e elevadores e o tempo que gastamos jogados no sofá assistindo TV enquanto comemos alguma besteira, sem contar a rotina de trabalho em escritórios de grande parte da população.

O sedentarismo infantil vem preocupando bastante os especialistas da área da saúde, pois por conta da facilidade que videogames, tablets e a internet trouxeram para a vida das crianças, elas não sentem mais vontade de sair pra brincar e praticar esportes. Esses hábitos já estão mostrando resultados negativos... De acordo com a iniciativa “Desenhado Para o Movimento” de 2010, crianças de dez anos tinham expectativas de vida menores que a de seus pais.

Causas

As causas do sedentarismo são diversas, mas todas relacionadas a dietas pouco balanceadas e falta de exercícios físicos. O sedentarismo não é apenas caracterizado pela falta de atividades esportivas, mas também pela falta de atividades simples do dia a dia, como a caminhada até o trabalho, cumprimento de tarefas domésticas, passeios no parque e afins. Veja também: Sedentarismo atinge 45,9% dos brasileiros e mulheres são as mais afetadas

Consequências

O sedentarismo traz muitos riscos ao corpo, como doenças cardiovasculares, osteoporose, diabetes, obesidade, aumento do colesterol, hipertensão arterial, infarto do miocárdio, entre outras. O risco de infarto é, em média, 54% maior em pessoas sedentárias e o de derrame cerebral, 50% maior. O sedentarismo, quando em níveis muito altos, pode causar até morte súbita.

Tratamento

O tratamento do sedentarismo consiste em fazer exercícios físicos pelo menos 3 vezes por semana e, em alguns casos, mudar a dieta. Mudar a rotina não é fácil, por isso, o mais indicado é que você pegue leve no início. Comece fazendo atividades que não sejam pesadas e com as quais você se identifique (veja dez atividades simples que você pode incluir no seu dia a dia).

Antes de começar, também é importante que você passe no seu médico, faça alguns exames e cheque quais atividades não geram nenhum risco a você. O ideal é que você tenha o acompanhamento de três profissionais: um médico desportista, um educador físico (ou personal trainer) e um nutricionista. O médico desportista vai investigar o histórico clínico, avaliar os exames e recomendar os melhores exercícios a serem praticados; o educador físico vai acompanhar a execução, sempre atento se os movimentos estão de corretos e de acordo; e o nutricionista vai instruir a alimentação composta por vitaminas, proteínas, carboidratos, entre outros, que serão o complemento ideal para o tratamento.

Como evitar

O passo mais importante para fugir de uma vida sedentária é aderir às atividades físicas o mais rápido possível. Especialistas indicam que 30 minutos de exercícios físicos por dia já são o suficiente para aumentar sua qualidade de vida e melhorar a sua saúde. Ter uma alimentação saudável também é muito importante, veja dicas de como ter uma dieta mais saudável (e sustentável!).


Fontes: SBH.org, Saútil

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail