O que é o câncer?

eCycle

Com hábitos adequados, até 4 milhões de casos de câncer poderiam ser evitados por ano

O que é o câncer?

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo. As células saudáveis se multiplicam quando necessário e morrem quando o organismo não precisa mais delas. O câncer ocorre quando o aumento de células do corpo está fora de controle e elas se dividem muito rápido ou quando a célula "se esquece" de morrer.

Dividindo-se rapidamente, essas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores ou neoplasias malignas. Por outro lado, um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original, raramente constituindo um risco de morte.

Existem mais de 100 tipos de câncer, que correspondem aos vários tipos de células presentes no corpo humano. Se o câncer tiver início em tecidos epiteliais, como a pele ou mucosas, é conhecido como carcinoma. Se começar em tecidos conjuntivos, como ossos, músculos ou cartilagens, é chamado de sarcoma.

Outra característica que diferencia os diversos tipos de câncer existentes são a velocidade de multiplicação das células doentes e a capacidade que elas têm de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes, fenômeno conhecido como metástase.

Causas

O câncer é causado por alterações (conhecidas como mutações) no interior das células do corpo. O DNA dentro de uma célula contém um conjunto de informações que dizem a ela como crescer e se dividir. Erros nas instruções podem permitir que uma célula se torne cancerosa. A mutação do gene pode instruir uma célula saudável para:

  • Permitir o crescimento rápido: a mutação do gene pode dizer a uma célula para crescer e se dividir mais rapidamente. Isso cria muitas novas células com a mesma mutação;
  • Impedir que o crescimento celular pare: as células normais sabem quando parar de crescer. As células cancerosas podem perder o controle que lhes dizem quando parar de crescer;
  • Cometer erros ao reparar defeitos do DNA: genes de reparo procuram defeitos no DNA de uma célula e fazem correções. Uma mutação nesse gene de reparo pode significar que outros erros não serão corrigidos, levando as células a se tornarem cancerosas.

Além disso, muitas outras mutações genéticas podem contribuir. Elas podem ocorrer por vários motivos, por exemplo:

  • Congênitas: você pode nascer com uma mutação genética que herdou de seus pais. Esse tipo de mutação é responsável por uma pequena porcentagem de cânceres;
  • Mutações genéticas que ocorrem após o nascimento: a maioria das mutações genéticas ocorre depois do nascimento e não são herdadas. Um certo número de fatores pode causar mutações genéticas, como o tabagismo, radiação, exposição a vírus, produtos químicos causadores de câncer (carcinógenos), obesidade, hormônios, inflamação crônica e falta de exercício.

Mutações genéticas com que nascemos e aquelas que você adquire ao longo de sua vida podem trabalhar em conjunto para causar câncer. Por exemplo, se você herdou uma mutação genética que predispõe ao câncer, isso não significa que você terá câncer. Em vez disso, você pode precisar de uma ou mais mutações genéticas que causam câncer. Sua mutação genética hereditária torna você mais vulnerável para o câncer que as outras pessoas quando expostas a um determinado fator de risco.

Sintomas de câncer

Os sintomas causados pelo câncer variam de acordo com a parte afetada. Alguns sinais e sintomas gerais, que não são específicos para o câncer e devem ser cruzados com outros fatores de risco, incluem:

  • Fadiga;
  • Protuberância ou área de espessamento que pode ser sentida sob a pele;
  • Mudanças de peso, incluindo a perda não intencional ou ganho;
  • Alterações da pele, tais como amarelecimento, escurecimento ou vermelhidão da pele, feridas que não cicatrizam ou alterações moles;
  • Mudanças nos hábitos intestinais ou da bexiga;
  • Tosse persistente;
  • Dificuldade em engolir;
  • Rouquidão;
  • Indigestão ou desconforto depois de comer;
  • Dor muscular ou nas articulações persistente e sem causa aparente;
  • Febre ou suores noturnos persistentes sem causa aparente.

Faça uma consulta com sua médica se você tiver quaisquer sinais ou sintomas persistentes sem causa aparente. Se você não tem quaisquer sinais ou sintomas, mas está preocupado com o risco de câncer, converse sobre suas preocupações com um especialista.

Com os hábitos adequados, até 4 milhões de casos de câncer poderiam ser evitados por ano

De acordo com um relatório do World Cancer Research Fund, estima-se que o câncer é cerca de 30% a 40% evitável através de uma alimentação e nutrição adequadas, de atividades físicas regulares, da prevenção da obesidade e do não tabagismo. Em nível mundial, isso representa que, a cada ano, cerca de 3 milhões a 4 milhões de casos de câncer poderiam ser evitados. Confira as recomendações do Instituto Nacional de Câncer José Gomes da Silva (INCA) sobre como prevenir o câncer e evitar a doença:

1. Não fume

O cigarro libera cerca de 4,7 mil substâncias tóxicas e cancerígenas que são inaladas por fumantes e não fumantes no ambiente. Quase um 1/3 das mortes por câncer são causadas pelo tabagismo. Evitar o fumo é a principal forma de se prevenir, principalmente contra os cânceres de pulmão, boca, laringe, faringe e esôfago.

2. Tenha uma alimentação saudável

Coma alimentos mais saudáveis como frutas, legumes, verduras, grãos e cereais integrais, leite e derivados desnatados, e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. A ingestão diária desses tipos de alimento pode evitar o desenvolvimento do câncer.

3. Amamente

A amamentação exclusiva até os seis meses de idade previne as mães do câncer de mama e as crianças da obesidade infantil.

4. Pratique atividades físicas diariamente

Manter o corpo saudável é essencial para se prevenir de diversas doenças, entre elas o câncer. A realização diária de exercícios como caminhar, dançar, ou até trocar o elevador por escadas irá te ajudar com essa meta.

5. Use preservativos

Algumas doenças sexualmente transmissíveis estão relacionadas ao processo de desenvolvimento do câncer. Entre elas, destaca-se o papilomavírus ou HPV. A doença está associada ao câncer do colo do útero, de pênis, de ânus, de orofaringe e de boca.

6. Proteja-se do sol

Use a proteção adequada e evite o sol entre 10h e 14h. A exposição prolongada ao sol sem os devidos cuidados está ligada ao câncer de pele. No Brasil, cerca de 25% de todos os tumores diagnosticados são cânceres de pele.

7. Evite a ingestão de bebidas alcoólicas

O consumo excessivo de álcool está relacionado não somente ao câncer de fígado, mas também aos tipos de câncer de boca, faringe, esôfago, colorretal, e até de mama.

Tratamento de Câncer

Muitos tratamentos contra o câncer já estão disponíveis. Suas opções de tratamento vão depender de vários fatores, como o tipo e estágio do câncer, sua saúde geral e as suas preferências. Juntos, você e sua médica podem medir os riscos e benefícios de cada tratamento do câncer para determinar o que é melhor para você. O tratamento do câncer têm diferentes objetivos:

  1. Cura: nesse caso, o objetivo do tratamento é alcançar uma cura para o câncer, permitindo que o paciente tenha uma vida normal. Isso pode ou não pode ser possível, dependendo da situação específica do paciente;
  2. Tratamento primário: o objetivo de um tratamento primário é remover completamente o câncer do corpo ou matar as células cancerosas. Qualquer tratamento do câncer - como radioterapia ou quimioterapia - pode ser usado como primário para o câncer, mas o mais comum é a cirurgia. Se o câncer que você tiver responde bem à radioterapia ou quimioterapia, você pode receber uma dessas terapias como seu tratamento primário;
  3. Tratamento adjuvante: o objetivo da terapia adjuvante é matar todas as células cancerosas que podem permanecer após o tratamento primário, a fim de reduzir a chance do câncer voltar. Qualquer tratamento do câncer pode ser utilizado como uma terapia adjuvante. Terapias adjuvantes comuns incluem quimioterapia, radioterapia e terapia hormonal;
  4. Tratamento paliativo: eles podem ajudar a aliviar os efeitos colaterais do tratamento ou sinais e sintomas causados pelo câncer em si. Cirurgia, radiação, quimioterapia e terapia hormonal podem ser usados para aliviar os sinais e sintomas. Alguns medicamentos podem ser prescritos para aliviar sintomas como dor e falta de ar. O tratamento paliativo pode ser usado juntamente com outros tratamentos destinados a curar o câncer.

Cirurgia

O objetivo da cirurgia é remover o tumor e uma margem de tecido que aparenta estar saudável, já que esse pode conter células malignas. Caso a cirurgia não remova todo o tumor, o paciente pode realizar um tratamento adjuvante com quimio ou radioterapia.

Radioterapia

Terapia que usa radiação ionizante no local do tumor. É muito utilizada para tumores que ainda não se espalharam e não tem metástases. A radioterapia também pode ser usada nos casos em que o câncer não pode ser retirado completamente com a cirurgia, ou quando se quer diminuir o risco de o câncer voltar a crescer após o procedimento.

Quimioterapia

A quimioterapia utiliza medicamentos orais ou intravenosos, com o objetivo de destruir, controlar ou inibir o crescimento das células cancerosas. Ela pode ser feita antes ou após a cirurgia, e o período de tratamento varia conforme o câncer e o paciente.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×