Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Em outubro de 2013, o Movimento B chegou ao País com o Sistema B Brasil, organização sem fins lucrativos responsável pelo engajamento, divulgação e articulação regional deste movimento global, que foi fundado pelo B Lab e une pessoas que usam o poder de seus negócios para auxiliar na construção de uma sociedade mais justa e inclusiva, focada em questões sociais e ambientais. Em comemoração aos seus oito anos de atuação, o Sistema B Brasil preparou uma série de ações em parceria com as Empresas B, com o objetivo de trazer mais conhecimento sobre o movimento e sua importância para o futuro do planeta.

“Entendemos que existem muitas pessoas e empresas que estão engajadas com nossos valores e causas, mas, que ainda não entenderam de fato o que é o Sistema B e como podemos auxiliá-los a tirarem do papel essas práticas que já são reconhecidas internacionalmente como necessárias. Hoje, temos a oportunidade de nos apresentar de maneira leve e didática e trazer para perto essas pessoas”,

explica Francine Lemos, Diretora Executiva do Sistema B Brasil.

As ações que acontecem nesse mês de outubro têm como objetivo conectar o Sistema B Brasil com o público que identifica a necessidade de ser parte da transformação de que o mundo precisa. Na programação, destaque para a transformação da rua Oscar Freire, símbolo do consumo no país e capital mais rica do Brasil, em “Rua B”. Com sete lojas de Empresas B na rua, a ideia é fazer uma série de intervenções de artistas da PretaHub no dia 30 de outubro, conectando a arte de rua com a Oscar Freire e dando luz para o consumo responsável e consciente de marcas sustentáveis. Entre as ações previstas, há ainda a criação de um marketplace online para produtos B nos sites do Mercado Livre, Americanas e Magazine Luiza, que é uma das B Movement Builders.

O ESG e a evolução do mercado de impacto

O ESG vem ganhando força nos últimos dois anos, mas, antes dele, o Sistema B Brasil trouxe enormes avanços para a formação de um ecossistema de impacto. “Fazendo uma retrospectiva, podemos apontar alguns destaques da nossa atuação. E é sensível que houve um aumento significativo na preocupação das empresas em relação a questões de sustentabilidade. Sem dúvida, esse é o maior avanço dos últimos oito anos. É como se a ficha tivesse finalmente caído de que, para continuarmos existindo, é necessário mais do que só gerar lucro”, explica Francine.

Compreender o papel do seu negócio e ressignificá-lo de modo a gerar impacto positivo na sociedade e no planeta é um caminho sem volta. Contribuindo com esse cenário, o Sistema B liderou diversas iniciativas visando construir um ecossistema favorável para empresas que utilizam a força do mercado para dar soluções a problemas socioambientais. Entre as iniciativas do Sistema B Brasil nos últimos anos, podem-se destacar programas como Net Zero 2030 – campanha mundial do movimento B com mais de 1.300 empresas comprometidas a zerar suas emissões de carbono – e a versão brasileira do Coletivo do Clima – um grupo de empresas que estão ligadas de alguma maneira ao Movimento B e trabalham juntas para tomar medidas em relação à emergência climática.

Na área social, O Sistema B Brasil atuou no avanço de diversas pautas como na discussão em torno da diversidade e inclusão dentro das empresas, por meio do movimento Seja Antirracista – em parceria com a IDBR e o Capitalismo Consciente Brasil –, com o objetivo de ser um espaço de comprometimento público com diretrizes sobre como lutar contra o racismo estrutural e institucional; na diversidade etária, em parceria com a Labora – que trabalha e incentiva outras organizações em relação à diversidade geracional; e na parceria do grupo Mulheres B com a ONU Mulheres em 2021 – para tratar temáticas relacionadas a gênero e espaço corporativo.

Para o Sistema B, as empresas têm o papel de acelerar a implantação de uma Nova Economia, cujo maior indicador de sucesso seja o de provocar impactos positivos que gerem valor para a sociedade e o meio ambiente de maneira sustentável. E é isso que o Sistema B Brasil tem buscado nos últimos anos. “São oito anos fomentando uma ideia de evolução do nosso sistema econômico e vendo a sociedade e o meio ambiente mostrando que passou da hora de fazermos negócios de um jeito diferente, indo muito além do lucro. Se quando começamos nosso modelo era uma opção, hoje, vemos que é uma questão de sobrevivência (das pessoas, do planeta e dos negócios) buscar uma economia B”, conclui Francine.

Programação semana B

RUA B – Oscar Freire

“Grandes marcas são um canal para o conceito do Movimento B chegar a lugares que nem sempre conseguimos alcançar por outros meios. E, na rua do consumo da capital mais rica do Brasil, a gente quer mostrar que lucro e propósito podem caminhar juntos”, explica Francine Lemos. Foi assim que surgiu a ideia de transformar a tradicional Oscar Freire, uma das ruas mais conhecidas da capital de São Paulo – e que abriga o maior número de Empresas B Certificadas na cidade – na “Rua B”, no último sábado de outubro (30/10).

Além da personalização das lojas que darão vida à “Rua B”, em parceria com as marcas Bemglô, Aesop, Natura, Ben&Jerry’s, Pantys e Reserva, foram convidados oito artistas do PretaHub – hub de pesquisa, mapeamento e aceleração do empreendedorismo e consumo negro do Brasil, que pensa a relação com a cultura, a economia e o empreendedorismo – – para personalizar o “B” do Sistema B Brasil com o intuito de despertar o olhar para a importância do movimento por meio da arte de rua. Adriana Barbosa, fundadora do PretaHub e do Festival Feira Preta, é uma das conselheiras do Sistema B Brasil.

Com ajuda dos artistas Lídia Viber, Ramo Negro, Lya Nazura, Laís Da Lama, Soberana Ziza, Robinho Santana, Auá Mendes e Nenesurreal, o Sistema B Brasil e o Preta Hub querem promover uma reflexão, por meio de processos criativos e intervenções artísticas, sobre como é possível consumir de forma mais consciente, escolhendo marcas que reconhecem e usam de forma correta o poder do corporativismo.

GÔNDOLA B – Casa Santa Luzia

Também de 25 a 31 de outubro, a ação “Gôndola B”, parceria criada entre Sistema B Brasil e Casa Santa Luzia – tradicional supermercado localizado na Alameda Lorena, em São Paulo – dará destaque aos produtos de Empresas B Certificadas dentre os mais de 30 mil itens da loja, entre nacionais e importados. Os consumidores poderão encontrar, em um mesmo local, produtos da Biowash, Greenpeople, Menos 1 Lixo, Tao Kombucha, Cerveja Praya, Danone, Evolat Brasil | Naveia, Fazenda da Toca, Mãe Terra, Nude, Positiva e VCT BRASIL (Concha y Toro). O objetivo principal da “Gôndola B” é trazer mais conhecimento sobre essas empresas e as práticas por trás da certificação.

CAMPANHA “TÔ B DA VIDA” – Redes sociais

Pessoas e empresas que já fazem escolhas responsáveis o fazem porque estão cansadas do consumo irresponsável e querem mudar o hoje para um amanhã possível. Dessa lógica, surgiu a campanha para ativação digital da “Semana B”, que traz o conceito “Tô B da vida”, provocando as pessoas a entenderem os impactos de suas ações e do seu consumo e a agirem de maneira a gerar impacto positivo.

A campanha terá conteúdos educativos e com uma linguagem simples nas redes sociais do Sistema B Brasil, como Instagram e LinkedIn, sobre as principais causas do Movimento B e explicando como as pessoas podem fazer parte desta rede. Lucy Freitas, Gerente de Comunicação da organização, conta que a capanha “Tô de B da vida” tem o objetivo de trazer o indivíduo para o centro dessa discussão e fazer com que as pessoas e empresas relembrem que elas são e devem seguir sendo os agentes de transformação.

“O Movimento B traz um pouco dessa indignação que gera ação e transformação. Como eu consigo gerar essa transformação? A partir de uma atitude B. Na ‘Semana B’ queremos mostrar a todos que a indignação que eles sentem é a mesma que nos move”.