Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Com a presença de substâncias nocivas, poluentes da mineração contribuem para formação de chuva ácida e desenvolvimento de câncer

A mineração é uma atividade que tem grandes impactos ambientais. Além da devastação de ecossistemas, são liberados poluentes da mineração no ar, solo e água, como os metais pesados. Os metais pesados têm efeitos na saúde humana, sendo associados ao desenvolvimento de câncer e doenças respiratórias.

Mineração

Mineração. Imagem de MemoryCatcher em Pixabay

A mineração é iniciada com a derrubada da rocha na pedreira, seguida de um processamento do material de interesse econômico. A primeira etapa é realizada a partir de instrumentos perfurantes ou explosivos, que degradam a rocha. Essa atividade pode ser repetida com um drop-ball – esfera de aço-manganês lançada nas rochas – caso não sejam retiradas todas as rochas desejadas.

A segunda etapa consiste no tratamento e beneficiamento do material. O beneficiamento tem outras etapas, a britagem, peneiramento, moagem e ensacamento do minério. Após o beneficiamento, o material é processado e, em seguida, ocorre a extração do minério bruto. Por fim, o minério é comercializado e destinado para o uso desejado.

Poluentes atmosféricos

A poluição atmosférica contribui para fenômenos como a chuva ácida e efeito estufa. Alguns dos seus efeitos na saúde humana são irritação nos olhos, doenças cardiovasculares, dor de cabeça, problemas de pulmão e doenças respiratórias. 

Já para o meio ambiente, a poluição atmosférica contribui para problemas nas plantas, como redução do crescimento e danificações nas folhas, frutos e caules. Além disso, essa poluição favorece a proliferação de pragas. Em animais, os efeitos são danos na saúde, como problemas respiratórios e diminuição da capacidade de reprodução da espécie.

Os principais poluentes da mineração são os óxidos de nitrogênio, de enxofre, de carbono, os hidrocarbonetos e os materiais particulados em dispersão. O último grupo está presente em todas as atividades de mineração.

Materiais particulados

Com a escavação e explosão, pequenas partículas se formam, dando origem a uma nuvem de poeira. Essa nuvem de poeira permanece por algum tempo no ar, contribuindo para a poluição atmosférica. Essas partículas são chamadas de material particulado, um dos poluentes resultantes da atividade mineradora. 

Na etapa de beneficiamento, partículas ainda menores são formadas. O material particulado mais fino promove impactos ambientais mais severos. Isso porque são de fácil dispersão, acessando diferentes ambientes. 

Materiais particulados finos, como o MP2.5, estão presentes em aerossóis e são facilmente inalados por pessoas e animais, comprometendo o sistema respiratório. Assim, as etapas da mineração prejudicam a qualidade do ar, favorecendo doenças como asma, pneumonia e câncer de pulmão.

Além da emissão de materiais particulados pelas etapas de mineração, essas partículas são liberadas a partir da queima de combustíveis, utilizados nos caminhões para o transporte. Eles favorecem o fenômeno de chuva ácida e aquecimento global.

Metais pesados

Metais pesados são classificados como elementos que impactam negativamente a saúde humana e, portanto, têm alta toxicidade. Os metais pesados contaminam todo o ambiente e seus seres vivos, o que provoca um impacto direto na população, sobretudo em comunidades tradicionais locais. 

Esses metais estão presentes naturalmente nos minérios, e são liberados a partir de fenômenos como o intemperismo e a erosão. Na mineração, esses materiais são liberados de forma intensa, provocando impactos negativos, como a contaminação do solo, da água e do ar e a alteração de ciclos hidrológicos.

Existem metais pesados que passam por alterações físico químicas e biológicas no ambiente aquático, tornando-se mais tóxicos. Uma das alterações que podem ocorrer é a precipitação do material, a partir de reações químicas associadas à presença de substâncias orgânicas na água. 

Com isso, o material precipitado (de fase sólida) é acumulado em conjunto com os sedimentos. Com a contaminação dos metais pesados no ambiente, eles são ingeridos pelas pessoas, provocando danos na saúde, como problemas renais, neurais e doenças carcinogênicas.

Formas de identificar a contaminação

De acordo com um estudo, algumas espécies vegetais aquáticas permitem a identificação do nível de contaminação do ambiente. Isso porque essas espécies absorvem e acumulam os poluentes, ainda que em baixa quantidade, permitindo o estudo de toxicidade. Um exemplo é a espécie Pistia stratiotes. A partir do uso dessa espécie, o estudo identificou a presença de manganês, enxofre e zinco no ambiente. 

Outro estudo identificou a presença de cobre, zinco, ferro, chumbo e arsênio em um rio, a partir da análise de plantas aquáticas, animais e de sedimentos no ambiente. Foram identificadas maiores concentrações de chumbo nos sedimentos do rio e na espécie animal analisada.

Cianeto

O cianeto é uma substância utilizada para realizar a extração de um minério, como o outo, de uma rocha ou minério bruto. Ele tem a capacidade de dissolver o minério no interior da rocha, permitindo a sua separação. Após esse processo, o material passa por um tratamento para a retirada do cianeto.

O contato humano com o cianeto se dá pela ingestão de alimentos e pela água contaminada. Essa substância é tóxica, promovendo danos na saúde como dores de cabeça, problemas gastrointestinais, dificuldades na fala, fraqueza muscular e problemas de tireoide. Para o meio ambiente, o cianeto gera infertilidade do solo e da água, afetando os ecossistemas.

Lama

A mineração provoca um rejeito de difícil tratamento e grande impacto, a lama. A lama da mineração é repleta de metais pesados e substâncias tóxicas. Dessa forma, quando presente no meio ambiente, altera a composição do solo, afetando todo o ecossistema. Além disso, em ambientes aquáticos a lama promove a turbidez da água, impactando a ação fotossintetizante das plantas, devido a baixa incidência solar.

Como tentativa de separar a lama contaminada do ambiente, as mineradoras constroem barragens de rejeito, que armazenam a lama e impedem o contato de ecossistemas e pessoas com o material. Entretanto, é necessária uma fiscalização rígida, para impedir o rompimento das barragens. 

No caso de rompimentos, a lama pode provocar infertilidade do solo, morte de animais e desmatamento da vegetação. Além disso, o rompimento de barragens pode gerar o desalojamento de pessoas, acidentes e até mesmo a morte.

Mineração subaquática

A mineração subaquática consiste na exploração de minérios no fundo do mar. Essa atividade ganhou espaço ao longo do tempo, porém provoca impactos ambientais negativos. Com a atividade de mineração subaquática, pedras são depositadas no fundo dos oceanos, a partir da escavação. 

Como resultado, a mineração provoca o sufocamento de espécies aquáticas. Isso ocorre por conta da formação de plumas de sedimentos, após a movimentação do fundo do mar. Além disso, o ambiente está sujeito à poluição luminosa e sonora, provocada por máquinas mineradoras.