Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Chuva ácida é um tipo de precipitação que pode causar desequilíbrios ecológicos e consequências ruins para a economia

Chuva ácida é um conceito cunhado por Robert Angus Smith em 1872, em Manchester, no Reino Unido, e diz respeito a vários tipos de precipitação com pH ácido, incluindo chuva, nevoeiro, granizo e neve. Esse tipo de precipitação pode causar desequilíbrios ecológicos e consequências ruins para a economia.

O que é chuva ácida

Chuva ácida é um termo amplo que descreve as diversas formas pelas quais ácidos saem da atmosfera. Ele foi usado pela primeira vez em um artigo intitulado “O ar e a chuva no início da climatologia química” para descrever a forma ácida da chuva em torno da cidade industrial de Manchester. Cientificamente, a chuva ácida é chamada de “deposição de ácido” e pode ocorrer nas formas seca e úmida.

A acidez da chuva é medida pelo seu pH, que é considerado normal em uma precipitação quando está em torno de 5,6. Quanto menor o pH (abaixo de 5,5), mais ácida é a chuva.

Deposição seca e úmida

A deposição seca geralmente ocorre perto do ponto de emissão. Já a deposição úmida, por outro lado, pode ocorrer milhares de quilômetros de distância da fonte original de emissão. Acredita-se que o problema da chuva ácida é resultado da eliminação de óxidos de nitrogênio, enxofre e outros constituintes presentes na atmosfera. Tanto a deposição seca quanto a úmida podem ser transformadas em sais no solo e causar danos ambientais.

Principais causadores de chuva ácida

As principais fontes dos óxidos de enxofre, nitrogênio e outras substâncias presentes na atmosfera são o carvão queimado nas usinas de energia, fundições (produzem SO2) e veículo motorizado por exaustão. Esses óxidos podem reagir com outros produtos químicos e produzir substâncias corrosivas que acabam indo parar na água da chuva. Mas a chuva ácida também pode ocorrer após a atividade vulcânica, que emite gases, partículas, compostos de enxofre e poeira.

Mais frequente em ambientes altamente industrializados, principalmente após a Revolução Industrial, a chuva ácida tem consequências negativas para o ambiente e economia.

Consequências da chuva ácida

Solos

Ao precipitar, a chuva ácida aumenta o pH do solo levando à deficiência de nutrientes e perda de fertilidade. A taxa de decomposição também é afetada negativamente, retardando a decomposição vegetais. A mudança máxima da acidez ocorre na camada de húmus.

Ambientes aquáticos

A chuva ácida também acidifica oceanos, rios e lagos, afetando fitoplâncton, anfíbios, invertebrados e peixes. Durante a década de 70, mais de 20% dos lagos do sul da Noruega perderam seus peixes. A acidez aumenta a taxa de mortalidade, causa falhas na reprodução e aumenta absorção de metais pesados.

Com um pH baixo, como é característico de uma ambiente após a chuva ácida, rãs, sapos e salamandras também são afetados. O zooplancton desaparece e os estoques de todas as espécies de peixes diminuem rapidamente porque os embriões não conseguem amadurecer com esse nível de acidez. Algumas espécies podem, no entanto, crescer em condições de chuva ácida. Plantas aquáticas maiores diminuem sua população, mas são tolerantes ao ambiente ácido. Musgos brancos da espécie Sphagnum acabam colonizando o ambiente.

Árvores

A chuva ácida danifica as folhas e as raízes das árvores, o que resulta em diminuição da cobertura do dossel e morte dos vegetais. Florestas da Alemanha Ocidental já enfrentaram grandes perdas devido à chuva ácida. Em 1982, 7,7% de 7,4 milhões de hectares da floresta da Alemanha Ocidental foram visivelmente danificados.

Agricultura

As plantas cultivadas apresentam significativa sensibilidade à chuva ácida. Em um ambiente com pH 2,6, a soja, por exemplo, apresenta redução na fixação de CO2, um processo importante para o crescimento da planta. A agricultura é severamente afetada pela chuva ácida, uma vez que ela causa redução da taxa de fotossíntese.

Algas, fungos e líquens

Algas, fungos e líquenes também são afetados negativamente pela chuva ácida. Vários micro-organismos e processos microbianos são afetados por causa de mudanças nas propriedades do solo.

Materiais e edifícios

Madeira danificada por chuva ácida. Imagem de Miguel no Unsplash

Monumentos de pedra feitos de mármore e calcário e materiais de construção contendo grandes quantidades de carbonato são suscetíveis à chuva ácida. Isso pode representar um grande perda de patrimônios, incluindo os registros históricos e culturais.

Saúde humana

A chuva ácida é uma forma invisível de poluição e tem efeitos indiretos na saúde humana. Pode haver aumento da ingestão de metais pesados, pois eles ficam mais disponíveis no solo. Os metais pesados ​​mais comuns, como Al, Cd, Zn, Pb, Hg, Mn e Fe são dissolvidos no solo e na água, fazendo o seu caminho para as águas subterrâneas que são consumidas por humanos e contaminam os alimentos (peixes, carnes e vegetais) e novos consumidores.

Controle de chuva ácida e impactos na economia

O controle da chuva ácida pode ser feito com calagem (adição de cal), controle de emissão de gases poluentes e intervenção política. Cada medida tem suas próprias vantagens e desvantagens. Mas é importante implementar medidas de redução de chuva ácida, uma vez que seus impactos podem ser irreversíveis.

Com a perda de produção de biomassa, redução dos serviços ecossistêmicos e impactos em edifícios, monumentos históricos, lavouras e faunas aquáticas e terrestres, os prejuízos econômicos também são consideráveis.