Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conheça os diferentes tipos de lágrimas, quais suas funções e por que elas são importantes

Lágrimas são secreções formadas por água, sais minerais, proteínas e gorduras, produzidas pela glândula lacrimal para limpar, purificar e lubrificar os olhos. A qualquer momento, cerca de sete microlitros dessas secreções estão presentes em cada um de nossos olhos, o que equivale a cerca de um décimo de gota d’água. Elas fornecem oxigênio e nutrientes aos olhos, removendo resíduos, servindo como linha de defesa contra patógenos e ajudando a curar ferimentos.

O revestimento ou filme lacrimal do olho é composto por três camadas distintas: externa, intermediária e interna. A externa é a camada lipídica, cuja função é impedir que as lágrimas rolem sem parar, além de diminuir a evaporação. Problemas nessa camada podem causar a síndrome do olho seco, doença ocular que provoca desconforto, irritação, sensação de areia nos olhos, fotofobia, queimação e outros sintomas incômodos.

Entre as camadas interna e externa está a intermediária, ou a camada aquosa, que é a principal. A camada aquosa é formada por água, sais minerais e proteínas que protegem os olhos contra agentes invasores infecciosos. Além disso, ela cria uma superfície simétrica e lisa para a visão. Por último, a camada interna (ou camada de mucina) fica em contato direto com a córnea.

Tipos de lágrimas

Basais

As lágrimas basais compõem o principal tipo de lágrima. Elas são liberadas continuamente em pequenas quantidades para lubrificar a córnea e mantê-la livre de poeira. Isso é vital para garantir uma boa acuidade visual e conforto. As lágrimas basais também lutam contra a infecção bacteriana como parte do sistema imunológico.

Reflexas

Lágrimas reflexas resultam da irritação dos olhos por partículas estranhas ou da presença de substâncias irritantes, como vapores de cebola, gás lacrimogêneo ou spray de pimenta, além de perfumes e fragrâncias. Elas também podem ocorrer com luz forte e estímulos quentes ou apimentados na língua e na boca, ou associadas a vômitos, tosse e bocejos. As lágrimas reflexas são liberadas em quantidades muito maiores do que as basais, mas ambas têm o mesmo objetivo: proteger os olhos.

Emocionais

As lágrimas emocionais ou psíquicas são chamadas de choro e estão associadas a todas as emoções: estresse, raiva, sofrimento, luto, dor física, alegria, crises de riso, felicidade intensa. Elas contêm hormônios do estresse como uma forma de nos livrarmos deles, razão pela qual um bom choro é terapêutico quando estamos muito nervosos.

Funções

Depois de piscar, uma película de fluido lacrimal reveste a superfície do olho com uma certa espessura e é mantida por um tempo. Isso é chamado de estabilidade da ruptura. As lágrimas não apenas mantêm o olho úmido, mas também desempenham um papel importante na manutenção do funcionamento saudável dos olhos. Além disso, outras funções das lágrimas são:

Prevenir a secura

As lágrimas evitam o ressecamento ao cobrir a superfície ocular, além de protegê-lo de agentes irritantes externos.

Fornecer oxigênio e nutrientes aos olhos

Não há vasos sanguíneos na superfície do olho, então o oxigênio e os nutrientes são transportados para as células da superfície pelas lágrimas.

Prevenir infecção

Corpos estranhos que entram no olho são lavados pelas lágrimas. Além disso, elas contêm uma substância chamada lisozima, que tem ação antibacteriana e previne a invasão e infecção por micróbios.

Curar danos à superfície do olho

As lágrimas contêm componentes que curam os danos à superfície do olho.

Criar uma superfície lisa no olho

Uma das funções da lágrima é lubrificar e alisar a superfície de nossos olhos para que a luz seja refratada corretamente, permitindo que enxerguemos as coisas com clareza.

Lágrimas
Imagem de Tom Pumford em Unsplash

As lágrimas podem salvar a sua vida

A glândula lacrimal em nossa pálpebra está constantemente produzindo pequenas quantidades de lágrimas basais para repor o filme lacrimal. A razão pela qual nossos olhos não vazam com lágrimas basais usadas o dia todo é que o que não evapora é drenado pelos dutos lacrimais nos cantos internos dos olhos e desce para o nariz. É por isso que nossos narizes ficam escorrendo quando choramos.

As lágrimas emocionais têm benefícios especiais para a saúde. O bioquímico e “especialista em lágrimas” Dr. William Frey, do Ramsey Medical Center em Minneapolis, descobriu que as reflexas são 98% água, enquanto as emocionais também contêm hormônios do estresse que são excretados do corpo através do choro. Depois de estudar a composição das lágrimas, o Dr. Frey descobriu que as emocionais liberam esses hormônios e outras toxinas que se acumulam durante o estresse.

Estudos adicionais também sugerem que o choro estimula a produção de endorfinas, o analgésico natural do nosso corpo e hormônios do bem-estar. Curiosamente, os humanos são as únicas criaturas conhecidas por derramar lágrimas emocionais, embora seja possível que elefantes e gorilas também o façam. Outros mamíferos e também crocodilos de água salgada produzem lágrimas reflexas que são protetoras e lubrificantes (daí a expressão “lágrimas de crocodilo”).

Todas as lágrimas contêm água, lipídios, lisozima, lipocalina, glicose e sódio. Este líquido antibacteriano rico em proteínas vai da borda externa do globo ocular em direção à córnea e lubrifica toda a superfície do olho sempre que piscamos. As lágrimas também contêm traços de várias substâncias químicas originalmente presentes no sangue, algumas das quais atuam como marcadores de doenças – glicose, por exemplo, que pode sinalizar diabetes, ou enzimas que apontam para uma possível doença hepática.

Marcadoras de doenças

Uma pesquisa mostrou que os marcadores de muitas doenças devastadoras, como câncer, esclerose múltipla, diabetes mellitus, fibrose cística e doença de Parkinson, são encontrados nas lágrimas. A ciência trabalha para validar o uso desses marcadores no diagnóstico da doença de Alzheimer. Também foi criada uma tecnologia chamada TearExo, desenvolvida para rastrear o câncer de mama usando lágrimas coletadas pelas próprias pacientes. Isso pode reduzir muito os custos dos testes e permitir a detecção mais precoce de malignidade do que as mamografias comuns podem fornecer.