Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O iodo é um mineral necessário para o bom funcionamento do organismo, mas o corpo não pode produzi-lo sozinho. Descubra para que ele serve e como obter na dieta

O iodo é um tipo de mineral encontrado naturalmente no solo terrestre e nas águas do oceano. Muitos alimentos vegetais e de água salgada contêm iodo, um elemento que está amplamente disponível no sal iodado. 

O iodo necessário para o corpo deve vir da dieta. Como regra, há muito pouco iodo nos alimentos, a menos que tenha sido adicionado durante o processamento.

Alimentos processados ​​normalmente contêm mais iodo devido à adição de sal iodado. A maior parte dessa substância é encontrada nos oceanos, onde é concentrado pela vida marinha, especialmente as algas.

A glândula tireoide precisa desse mineral para produzir hormônios. Caso os níveis estejam baixos, os sistemas do corpo farão com que ela trabalhe mais. Isso pode causar aumento da glândula tireoide (bócio), que causa inchaço no pescoço.

Para que o iodo é usado?

A deficiência de iodo resulta em níveis baixos de hormônio tireoidiano, o que pode resultar em hipotireoidismo. Este é um problema incomum, mas pode ocorrer em bebês e crianças muito pequenas. 

O iodo também é usado para emergências de radiação, para proteger a glândula tireoide contra iodetos radioativos. Às vezes, é aplicado na pele para inflamar a pele, matar germes e facilitar a cicatrização de feridas. 

Ele também é usado para prevenir dores dentro da boca ou ao longo do trato digestivo e outras condições, mas não há boas evidências científicas para apoiar esses usos.

Benefícios do iodo para a saúde

O iodo é um componente vital dos hormônios da tireoide, que é a função mais importante e bem compreendida do mineral. A glândula tireoide produz os hormônios tireoidianos tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), ambos contendo iodeto.

A substância é consumida pela boca e é rapidamente absorvida no estômago e no intestino delgado. Ela viaja pela corrente sanguínea e, a partir daqui, os receptores (localizados na tireoide) se ligam a ela e a absorvem.

O T4, que contém quatro moléculas de iodeto, é um precursor inativo do hormônio tireoidiano T3 ativo, que contém três moléculas de iodeto. Isso significa que, depois que a glândula tireoide produz o T4 e o libera na corrente sanguínea, ele é convertido em T3, que interage com a maioria das células do corpo.

O hormônio tireoidiano T3 ativo funciona em praticamente todas as células e órgãos do corpo, regulando o metabolismo, o uso de energia, o crescimento e o reparo.

Deficiência de iodo

As consequências mais visíveis da deficiência do mineral envolvem defeitos na produção do hormônio tireoidiano, o que resulta em sintomas de doenças da tireoide. Se você tem níveis baixos da substância no organismo, os sintomas de disfunção da tireoide podem se desenvolver dentro de algumas semanas e incluir uma variedade de condições, como bócio e hipetireoidismo.

É possível que essa deficiência também esteja associada a doenças da mama, problemas de estômago e problemas ósseos.

O iodo reduz o hormônio da tireoide e pode matar fungos, bactérias e outros microorganismos, como amebas. Um tipo específico de iodo chamado iodeto de potássio também é usado para tratar (mas não prevenir) os efeitos de um acidente radioativo.

Funções no corpo e outros usos

O iodo é considerado um mineral essencial para o nosso corpo. É particularmente importante durante a gravidez, e a exposição no útero pode até ajudar a prevenir certas condições de saúde mais tarde na vida.

1. Promove a saúde da tireoide

Esse mineral desempenha um papel vital na saúde da tireoide. A glândula tireoide, localizada na parte frontal do pescoço, ajuda a regular a produção de hormônios, que controlam o metabolismo, a saúde do coração e muito mais.

Para produzir os hormônios da tireoide, sua tireoide absorve iodo em pequenas quantidades. Sem ele, a produção do hormônio tireoidiano pode diminuir. Uma glândula tireoide “baixa” ou subativa pode levar a uma condição chamada hipotireoidismo.

Você pode obter iodo suficiente de sua dieta comendo laticínios, alimentos fortificados e peixes de água salgada. O mineral também está disponível em alimentos vegetais que crescem em solos naturalmente ricos em iodo e no sal iodado.

2. Reduz o risco de bócio

O bócio é uma glândula tireoide aumentada. Sua tireoide pode aumentar como resultado de hipotireoidismo ou hipertireoidismo. O hipertireoidismo é uma glândula tireoide hiperativa.

Nódulos tireoidianos não cancerosos (cistos) também podem causar aumento da glândula tireoide. O bócio induzido por iodo pode ser revertido com a adição de alimentos ou suplementos ricos em iodo à dieta.

3. Tratamento do câncer de tireoide

O radioiodo também pode ser uma opção de tratamento possível para o câncer de tireoide. Ele funciona da mesma maneira que o tratamento do hipertireoidismo.

Quando você toma iodo radioativo por via oral, o medicamento destrói as células da tireoide, incluindo as cancerosas. Pode ser usado como tratamento após cirurgia da tireoide para garantir que todas as células cancerosas foram removidas do corpo.

4. Neurodesenvolvimento durante a gravidez

A ingestão do mineral durante a gravidez está ligada ao desenvolvimento do cérebro em fetos. Além disso, lactantes devem continuar monitorando esse consumo. Isso porque o iodo absorvido através da dieta e da suplementação é transferido através do leite materno para o seu bebê. Este é um período crucial de desenvolvimento do cérebro, portanto, os bebês precisam de 110 mcg por dia até atingirem os 6 meses de idade.

6. Melhora da função cognitiva

Os mesmos benefícios neurológicos do iodo durante a gravidez podem se estender ao funcionamento do cérebro saudável durante a infância. Isso também inclui um risco reduzido de deficiência intelectual.

7. Tratamento da doença fibrocística da mama

É possível que suplementos ou medicamentos à base do mineral possam ajudar a tratar a doença fibrocística da mama. Essa condição não cancerosa é mais comum em mulheres em idade reprodutiva e pode causar caroços nos seios.

8. Tratamento de infecções

O iodo pode ser usado topicamente na forma líquida para ajudar a tratar e prevenir infecções. Ele age matando bactérias dentro e ao redor de cortes e arranhões leves.

A forma tópica não deve ser usada em bebês recém-nascidos nem para tratar profundos, mordidas de animais ou queimaduras.

Ingestão diária necessária

Para reduzir nosso risco de deficiência de iodo, o National Institutes of Health tem as seguintes recomendações para ingestão diária com base na idade:

  • Nascimento até 6 meses: 110 mcg
  • Bebês entre 7-12 meses: 130 mcg
  • Crianças de 1-8 anos: 90 mcg
  • Crianças de 9 a 13 anos: 120 mcg
  • Adultos e adolescentes (a partir dos 14 anos): 150 mcg
  • Mulheres grávidas: 220 mcg
  • Lactantes: 290 mcg

Efeitos colaterais do iodo

Os possíveis efeitos colaterais da ingestão excessiva incluem:

  • náusea ou vômito
  • diarreia
  • febre
  • sensações de queimação na garganta e boca
  • dor de estômago

Em casos mais graves, a toxicidade do iodo pode levar ao coma. Você não deve tomar iodo se tiver problemas de tireoide, a menos que seja recomendado por seu médico. Crianças pequenas e idosos são mais propensos aos efeitos colaterais do iodo.