Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A importância da árvore não está só na sombra ou no oxigênio liberado: as árvores melhoram nossa qualidade de vida e até previnem doenças

Que as árvores ajudam a manter o ar limpo, todo mundo já sabe. Mas como elas fazem isso já é outra história. Saiba mais sobre a importância da árvore e os benefícios proporcionados por esta planta lenhosa para a nossa saúde e para o planeta.

Árvores são fontes de oxigênio

Para começar, uma árvore adulta consegue absorver, em um ano, aproximadamente 22 quilos de gás carbônico, e produzir oxigênio suficiente para a respiração de dois adultos. Esse processo acontece através da fotossíntese, que ocorre de duas maneiras: quando a planta obtém glicose, durante o dia, e por meio da respiração, quando a planta “quebra” a glicose para obter energia, durante a noite.

Durante a fotossíntese, as plantas e algas fazem o processo inverso dos seres humanos, consumindo o gás carbônico e liberando oxigênio. No entanto, as plantas respiram dia e noite, consumindo também o oxigênio que produzem. Portanto, a principal fonte de oxigênio do planeta são as algas, que não são classificadas como plantas ou árvores.

Segundo Vincent Cotrone, do Massachusetts Department of Conservation and Recreation, as árvores têm a capacidade de absorver entre 55 e 109 quilos de gases poluentes, como o dióxido de enxofre, oriundos da queima do carvão, óxidos nitrosos, provenientes dos escapamentos de carros e caminhões, e outras partículas vindas, principalmente, do diesel. Zonas urbanas arborizadas possuem 60% menos de partículas de poluição, de acordo com o mesmo órgão.

Temperatura

Em artígo publicado no Journal of Arboriculture, Klaus Scott, James Simpson e Gregory McPherson afirmam que a temperatura das cidades também é influenciada pela quantidade de árvores. De acordo com os autores, a sombra das árvores pode reduzir a temperatura do asfalto em até 2°C, e do interior dos carros em até 8°C.

Além disso, elas também refrescam o ambiente. Para você ter uma ideia, uma árvore grande e saudável produz o mesmo efeito de dez aparelhos ar-condicionado funcionando 20 horas por dia.

Apenas uma árvore consegue absorver mais de três mil litros de água de chuva, diminuindo a contaminação de lençóis freáticos e mananciais em 7%, e reduzindo o gasto de impostos com tratamento de água, segundo o US Department of Agriculture. Finalmente, as árvores reduzem a poluição sonora e áreas arborizadas valorizam e aumentam a ocupação de imóveis.

Natureza faz bem à saúde mental

A relação entre natureza e saúde mental tem ganhado cada vez mais destaque entre a comunidade científica. E não é para menos: diversos estudos já mostraram que a exposição à natureza pode trazer benefícios enormes para as pessoas, principalmente aquelas que vivem em grandes centros urbanos.

Além disso, passar um tempo em espaços verdes ou incorporar ao seu dia a dia o contato com plantas, flores e árvores é uma maneira simples de relaxar e ter uma folga da correria cotidiana.

Segundo uma pesquisa da organização ISGlobal, existe uma associação protetora entre a quantidade e o acesso a espaços verdes e ansiedade e depressão.

Observou-se que essa associação pode ser explicada, em parte, pela redução da exposição à poluição do ar e ao ruído e, em menor proporção, pelo aumento da atividade física e do suporte social. Até mesmo o simples acesso visual a elementos da natureza pode beneficiar o bem-estar mental.

Árvores perto de casa reduzem risco de depressão

Um dos maiores estudos sobre o assunto, conduzido por pesquisadores alemães, descobriu que ter mais árvores próximas de casa reduz o número de antidepressivos prescritos.

Combinando as informações com dados sobre a quantidade e as espécies de árvores presentes nas ruas de Leipzig, os pesquisadores foram capazes de identificar uma relação entre as prescrições de antidepressivos e o número de árvores nas ruas a diferentes distâncias das casas das pessoas.

Mais árvores imediatamente ao redor da casa (menos de 100 metros) foram associadas a uma menor ocorrência de prescrição de medicamentos antidepressivos. Essa associação foi particularmente significativa para grupos carentes.

Como esses grupos sociais correm o maior risco de receber prescrição de antidepressivos na Alemanha, as árvores nas ruas das cidades podem servir como uma solução baseada na natureza para uma boa saúde mental.

Ao mesmo tempo, as áreas verdes nas cidades também podem ajudar a diminuir o abismo na desigualdade de acesso a serviços de saúde entre grupos sociais economicamente diferentes.