Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Gás natural renovável é alternativa para lixo nos aterros, mas pode gerar poluentes atmosféricos

O gás natural renovável é uma alternativa para a produção de combustíveis, energia elétrica e biogás a partir do uso de matéria orgânica proveniente da criação de animais, aterros sanitários e efluentes. Ele contribui para a redução de resíduos sólidos no meio ambiente. Entretanto, o seu uso provoca a emissão de gases do efeito estufa, como o metano e o dióxido de carbono.

O que é?

O gás natural renovável consiste em uma alternativa sustentável para a produção de energia, a partir da captura de gases gerados em aterros. Esses gases são formados a partir da decomposição da matéria orgânica despejada nos aterros, nos processos de digestão anaeróbia e gaseificação.

O gás natural renovável é um biogás gerado a partir da decomposição de matéria orgânica. Ele pode ser utilizado como combustível, substituindo os combustíveis fósseis para o abastecimento de automóveis e máquinas industriais. Além disso, pode ser usado como gás natural em sistemas de aquecimento e geração de energia elétrica.

No caso de abastecimento de veículos, o gás natural renovável passa por um processamento chamado de condicionamento ou atualização. Esse processo têm um padrão de pureza elevado, que consiste na retirada da água e outros elementos, como o dióxido de carbono. O produto final gerado por esse processamento é o biometano, um gás rico em metano que desempenha o mesmo papel que o gás natural convencional. 

O gás natural renovável pode ser produzido como gás natural liquefeito ou comprimido, assim como o gás natural comum. 

Diferença entre gás natural comprimido e gás natural liquefeito

O gás natural comprimido é aquele produzido a partir da compressão do gás em um gasoduto de baixa, média ou alta pressão, que varia de acordo com o volume do gás. Esse gás já está previamente comprimido durante a sua produção, e o processo de compressão intensifica essa condição.

Enquanto isso, o gás natural liquefeito é produzido a partir do resfriamento do gás a baixas temperaturas, após a coleta do gás natural desidratado e o processo de purificação. Essas etapas são realizadas para evitar processos como a formação de hidratos e partículas com potencial corrosivo. Dessa forma, o gás se torna mais seguro.

Fontes para a produção de gás natural renovável

Aterros sanitários

Aterro sanitário. Imagem editada e redimensionada de Agência Brasília em Flickr, sob a licença CC BY 2.0

A vantagem dessa fonte de energia renovável é o uso de resíduos descartados e acumulados em aterros sanitários para a produção de combustíveis. Os aterros sanitários são locais com uma grande quantidade de matéria orgânica que, em decomposição, liberam gases do efeito estufa para a atmosfera, como o gás metano, contribuindo para a poluição do ar.

Além disso, a decomposição em aterros sanitários leva à produção de chorume, um líquido rico em metano que provoca a poluição do solo e de águas subterrâneas. De acordo com um estudo, os aterros sanitários representam a terceira maior fonte de gás metano gerada pelo ser humano.

Dessa forma, o uso desse material para a produção de energia contribui para a redução de resíduos presentes em aterros e da poluição ambiental. 

Tratamento de efluentes

Efluentes. Imagem editada e redimensionada de aitoff em Pixabay

O processo de tratamento de efluentes pressupõe a retirada de materiais das águas. A produção do gás natural renovável pode ser feita a partir desses materiais, quando de origem orgânica. 

Esse processo pode ser realizado em Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), se tornando uma alternativa sustentável para a mitigação de impactos provocados pelo despejo de esgoto em corpos hídricos.

O esgoto é responsável pela emissão de gás metano na atmosfera, no solo e na água. Dessa forma, ele prejudica o equilíbrio ecossistêmico, favorecendo o aquecimento global e a perda da demanda bioquímica de oxigênio (DBO) – parâmetro de medição de matéria orgânica em corpos d’água. 

A DBO tem a capacidade de mensurar a qualidade de um corpo hídrico. Ela avalia a quantidade de oxigênio necessário em um curso d’água para que a matéria orgânica seja degradada por micro-organismos. Se a quantidade de oxigênio é reduzida, a quantidade de matéria orgânica é maior, o que pode levar à eutrofização.

Pecuária

Pecuária. Imagem editada e redimensionada de guerralurdes29 em Pixabay

A partir do estrume, o gás natural renovável pode ser pode ser produzido e utilizado como combustível, gás natural ou recurso para a produção de energia elétrica. O estrume consiste em fezes animais em decomposição. 

Ele pode ser utilizado para a adubação do solo, geração de energia e produção de biogás. A produção de biogás ocorre em um biodigestor. Nele, a produção de metano é estabilizada, reduzindo a poluição desse gás para o meio ambiente.

Desvantagens

Apesar de suas vantagens, o gás natural renovável é um combustível que emite gases para a atmosfera conforme é utilizado. Nos meios de transporte, esse gás passa pelo processo de combustão, liberando gases como o dióxido de carbono. De acordo com um estudo, nos Estados Unidos, o sistema de transporte representa cerca de 29% das emissões de gases para a atmosfera.

O mesmo estudo indica que a climatização de ambientes nos Estados Unidos representa 29% das emissões do país. O aquecimento e resfriamento é gerado, em sua maioria, a partir de gás natural.

Por fim, no mesmo país, a rede elétrica é responsável por 28% das emissões de gases na atmosfera. Portanto, o uso de gás natural renovável pode contribuir com a redução de resíduos orgânicos em aterros, efluentes e estrume. Entretanto, conforme o gás é utilizado, ele contribui para a poluição do ar.