Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Inseticida sistêmico representa uma grande ameaça para o meio ambiente e para a vida na Terra

Inseticida sistêmico é um tipo de inseticida que, quando aplicado sobre folhas, troncos, ramos, raízes e sementes, pode ser absorvido e circular com a seiva para todas as partes da planta. Normalmente, ele se movimenta pela planta de modo a atingir partes não pulverizadas. O inseticida sistêmico representa uma grande ameaça para o meio ambiente e para a vida na Terra.

O que é inseticida?

Inseticida é qualquer substância que se destina a prevenir, destruir, repelir ou mitigar insetos. Ele pode agir por meio do contato, ingestão, fumigação, profundidade ou sistemicidade, como ocorre com o sistêmico.

Os neonicotinoides são os inseticidas sistêmicos mais utilizados em plantações ao redor do mundo, geralmente aplicados como uma cobertura para as sementes. Quando a planta cresce, consequentemente sua seiva mata os insetos que se alimentam dela. 

Como funciona um inseticida sistêmico?

Quando aplicado sobre folhas, troncos, ramos, raízes e sementes, o inseticida sistêmico é absorvido rapidamente e transloca-se com a seiva para todas as partes da planta. Com isso, ele entra em contato com o corpo dos insetos, atingindo seu sistema nervoso e provocando sua morte.

Em decorrência da distribuição nos tecidos, os inseticidas sistêmicos oferecem proteção em áreas que não tiveram deposição de gotas do produto na pulverização e em pontos de crescimento, controlando com mais precisão as pragas que se instalam em diferentes partes da planta.

Percevejos

Os percevejos são exemplos de insetos frequentemente acometidos por inseticidas sistêmicos. Considerados como uma ameaça para as lavouras de milho, eles se escondem no dossel das plantas e em partes mais difíceis de serem atingidas pelos pesticidas. Dessa maneira, é preciso uma tecnologia que seja capaz de alcançar os percevejos nas partes mais escondidas, como é o caso do inseticida sistêmico.

Inseticidas sistêmicos contaminam alimento produzido por insetos e inviabilizam amadurecimento das plantas

Uma pesquisa conduzida na Universidade de Ciências Agrárias da Penn State indica que os neonicotinoides e outros inseticidas sistêmicos podem contaminar a melada produzida por insetos. A melada é uma excreção formada por insetos sugadores de seiva que age como uma importante fonte de alimentos para esses animais. 

De acordo com a pesquisa, essa contaminação pode ter um efeito extremamente negativo em plantações de grandes áreas, principalmente nas que são tratadas com os inseticidas analisados. 

O estudo concluiu que essa contaminação é prejudicial aos insetos benéficos às plantações, pois muitas vezes, eles são polinizadores responsáveis pelo amadurecimento de diversas plantas. Foi comprovada sua toxicidade para vespas parasitas e sirfídeos polinizadores — também conhecidos por moscas-das-flores — que morreram após o contato com a substância.

Diversas outras pesquisas já comprovaram o efeito maléfico dos pesticidas em insetos não alvo. Um estudo publicado no Proceeding of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS) observou os impactos dos pesticidas na abelhas. Foi comprovado que um único contato com certos tipos de inseticidas tem a capacidade de reduzir a população de abelhas significativamente. 

O inseticida usado na pesquisa chama-se o imidaclopride, que é tóxico para as abelhas. O imidaclopride afeta diretamente o sistema nervoso desses insetos — causando um efeito no comportamento e na fisionomia das abelhas. 

Enquanto insetos não alvo podem ser afetados, também existe o alerta para a possível infestação de espécies invasoras em plantações de grande escala. Essas plantações como arroz, milho e trigo representam mais de 50% de áreas de colheita no mundo todo e a melada é a maior fonte de carboidratos dos seus insetos polinizadores. 

Uso de inseticidas sistêmicos representa ameaça

O uso contínuo de inseticidas é uma ameaça para os insetos e para a polinização em geral, o que pode vir a ser um problema imensurável para o meio ambiente e inviabilizar a vida humana na Terra, já que as abelhas polinizam pelo menos 70% dos alimentos. 

Os pesquisadores envolvidos no estudo alertam para a necessidade de suspender o uso de inseticidas sistêmicos, principalmente os que são solúveis em água e persistentes no ambiente. 

Importância dos insetos

Inseticida sistêmico
Imagem de Fabian Keller no Unsplash

Os insetos são fundamentais para todos os ecossistemas. Eles são responsáveis por polinizar as plantas e decompor a matéria vegetal e animal. Além disso, os insetos são fonte de alimento para animais de outros níveis da cadeia alimentar e são considerados a proteína do futuro. Por isso, é importante que o uso contínuo de inseticidas sistêmicos seja reduzido.