Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Enterros em bolas de recife são concretizados por empresa americana, porém, podem causar impacto negativo no meio ambiente

Enterros em bolas de recife é um método desenvolvido pela empresa Eternal Reefs em conjunto com a Reef Ball Foundation e Reef Innovations. A técnica consiste na mistura de concreto com cinzas humanas para a formação de bolas perfuradas que são instaladas em ecossistemas marinhos para a restauração de corais. 

Vista como uma alternativa eco-friendly para os enterros convencionais, o método promete restaurar ambientes marinhos que foram degradados pelos seres humanos. Dessa forma, a empresa promete que esses enterros são feitos a partir da morte para criar vida. 

Porém, é necessário se questionar se esses enterros em bolas de recife são realmente sustentáveis. 

Como são feitos

Após o interesse pelos enterros em bolas de recife, o corpo da pessoa é encaminhado para uma casa de cremação, onde suas cinzas são recolhidas. Depois disso, as cinzas são misturadas com concreto de pH neutro para formar as tais bolas de recife. 

Essas bolas são redirecionadas para o fundo do mar em torno dos Estados Unidos, e então, as coordenadas em GPS são divulgadas com os entes queridos da pessoa. 

Possíveis impactos

Os enterros em bolas de recife são feitos a partir da cremação, um método de serviço funerário onde o corpo é reduzido a cinzas com ajuda do fogo. A cremação sozinha não é sustentável, uma vez que apenas um serviço é responsável pela produção de cerca de 400 kg de dióxido de carbono. O método também libera outros gases poluentes, incluindo o mercúrio e a dioxina. 

Além disso, os enterros em bolas de recife também contam com uma mistura de concreto, que é considerado um dos materiais mais destrutivos do planeta. A produção do concreto, por exemplo, é responsável por 4-8% de todas as emissões de CO2 do mundo. 

Embora o material seja feito de modo que, dentro do oceano, não vai danificar o ecossistema, sua produção ainda tem efeitos adversos no meio ambiente. 

Assim, parece que esse tipo de serviço funerário combina os dois aspectos mais poluentes tanto da cremação como do enterro convencional. Combinando a emissão de CO2 da cremação e da produção de concreto, é impossível ver o método como 100% sustentável. 

Pontos positivos 

Afinal, por que os enterros em bolas de recife são vistos como eco-friendly? Pelo o que foi visto, eles estão longe de ser alternativas sustentáveis, considerando o dano causado pelo seu processo. Porém, algumas pessoas defendem o método por conta de seus efeitos positivos a longo prazo. 

As bolas de recife, quando instaladas no fundo do mar, são capazes de virar novos ecossistemas. Elas são responsáveis pela proteção e abrigo de diversas espécies de corais, invertebrados e diversas espécies de peixes.

Como diminuir o impacto da cremação 

É impossível reverter os danos causados pela indústria do concreto, porém, na cremação, existem alguns tipos de intervenções onde os impactos podem ser reduzidos. 

Existem algumas pequenas soluções para as pessoas que desejam planejar um serviço funerário pensando no meio ambiente. Entre elas estão a utilização de um caixão biodegradável feito de papelão ou madeira bio, sem alças de metal. É possível, também, vestir o corpo com roupas de materiais biodegradáveis como algodão.