Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A Engenharia Acústica busca combater a poluição sonora

Engenharia Acústica é uma área do conhecimento científico que estuda sons e vibrações. O papel do profissional formado nessa área concentra-se na investigação e no entendimento dos mecanismos de produção, transmissão e recepção do som, assim como no desenvolvimento de estratégias para o seu controle e manipulação.

De modo geral, a Engenharia Acústica atua no combate à poluição sonora. Isso porque ruídos indesejados podem ter impactos significativos na saúde e bem-estar animal e humano, gerar estresse e depressão e causar perda auditiva.

O que é poluição sonora?

poluição sonora é um dos maiores problemas ambientais que acontecem nos grandes centros urbanos, sendo menos frequente em regiões mais afastadas. Ela ocorre quando o som altera a condição normal de audição em um determinado ambiente. Embora não se acumule no meio ambiente como outros tipos de poluição, a poluição sonora causa vários danos ao corpo, à qualidade de vida das pessoas e à fauna e, por isso, é considerada um problema de saúde pública mundial.

Alguns efeitos negativos da poluição sonora para os seres humanos são:

No ecossistema, a poluição sonora provoca o afastamento de animais, prejudica a reprodução e pode até ser fatal. Os ruídos afastam e até matam aves, diminuindo sua população local e, como consequência, desequilibrando o ecossistema e provocando o aumento da população de insetos na ausência de seus predadores.

Atividades de um engenheiro acústico

O profissional formado em Engenharia Acústica encontra oportunidades em inúmeras áreas, desde a criação de Softwares e equipamentos, como medidores de níveis sonoros e dispositivos voltados ao isolamento acústico, como na projeção de sistemas de controle de vibrações na construção civil, em edifícios e obras, assim como atividades relacionadas à acústica musical e de salas e ambientes.

Áreas de atuação

Dentre as áreas de atuação da Engenharia Acústica, destacam-se:

1. Vibrações

O engenheiro que atua nessa área busca criar e executar sistemas de controle de vibrações para máquinas e equipamentos industriais, estruturas de edificações e veículos.

2. Acústica ambiental

Nesta área, o profissional irá atuar realizando medições e elaborando laudos técnicos para projetos acústicos de ambientes com a finalidade de assegurar o bem-estar do ponto de vista acústico.

Diversos instrumentos são utilizados pelos engenheiros para capturar, medir e processar sons na faixa auditiva do ser humano, além de ferramentas computacionais que tornam possível a elaboração de mapas de ruído ambiental. A análise desses profissionais pode gerar uma certidão de tratamento acústico, documento que certifica a adequação de atividades que possivelmente provocam poluição sonora.

3. Acústica musical

Essa área é voltada para o desenvolvimento de equipamentos musicais. É necessário que o profissional da área tenha uma boa base de física, além de conhecimento sobre como os instrumentos musicais funcionam e psicoacústica.

O engenheiro da área pode trabalhar como designer de estúdios de gravação, de TV, rádio ou de ensaio. Além disso, também pode atuar na eletroacústica.

4. Acústica de salas

No caso da acústica de salas, compreende ao engenheiro realizar projetos arquitetônicos que sejam apropriados aos aspectos acústicos de locais como escritórios, igrejas, teatros, ambientes de trabalho e salas de aula.

O ramo também inclui profissionais da engenharia civil e arquitetura que necessitam adequar o conforto acústico ao âmbito da construção civil.

5. Controle de ruído

O engenheiro especialista na área pode trabalhar na identificação de fontes de ruídos, na programação de ações que reduzam ou eliminem a poluição sonora em ambientes urbanos e industriais, além da determinação de protetores auditivos ideais.

Engenharia Acústica na sociedade

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a poluição sonora de 50 dB (decibéis) já prejudica a comunicação e, a partir de 55 dB, pode causar estresse e outros efeitos negativos. Ao alcançar 75 dB, a poluição sonora apresenta risco de perda auditiva se o indivíduo for exposto a ela por períodos de até oito horas diárias. Dessa maneira, o trabalho de um engenheiro acústico se torna indispensável em diversos níveis.