Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A economia social é um conceito que surgiu em 1830, com a publicação de um tratado por Charles Dunoyer, em Paris

A economia social é um conceito que surgiu em 1830, com a publicação de um tratado na Universidade de Lovaina, em Paris, por Charles Dunoyer.

Contexto histórico

O conceito de economia social surgiu no contexto da Revolução Industrial, com a influência do pensamento socialista do século XIX. A ideia era formar práticas de solidariedade entre as classes trabalhadoras, dando origem a novas formas de organização, como as cooperativas.

Apesar de ser marcada por este tratado, a economia social também começou a ser gestada por conta dos ideais da Revolução Francesa e do idealista francês Louis Blanc, que incluíam liberdade, fraternidade e igualdade. Nesse período, começaram a surgir cooperativas de trabalhadores, que aumentavam as potencialidades do emprego e reduziam as desigualdades sociais.

Mas a economia social possui diferentes escolas teóricas. Entre elas, estão a socialista, social-cristã reformista, escola liberal e a escola solidária.

Empreendendorismo ético

A conscientização dos problemas gerados pela desigualdade social, como produto do sistema capitalista, tem um potencial de reorientar os mercados. Parte dos atores políticos sabe da importância de atender as necessidades sociais. Dessa forma, a economia social é um elemento legítimo no contexto do empreendedorismo ético.

Algumas previsões sugerem que o futuro capitalismo pode acomodar, talvez até mesmo exigir, à medida que a recessão se aprofunda, as energias da economia social para criar novos mercados e atender às necessidades de bem-estar.

Embora um corpo de pesquisa tenha surgido examinando as características econômicas das empresas sociais e como elas conseguem ou não gerenciar a interface entre o mercado e as prioridades éticas, pouco se sabe sobre o que é estar envolvido na economia social ou sobre quais diferenças sociais atores ganham com a experiência.

No entanto, a maior parte do pensamento acadêmico e político presume a prática da economia social é recompensadora e empoderadora.

Quais são as regras?

Uma empresa pautada nos moldes na economia social, precisa ser autônoma em relação ao Estado; a propriedade é institucional e não é objeto de repartição entre os participantes; são organizações que não têm como principal finalidade maximizar lucros, prevendo em alguns casos restrições à distribuição dos excedentes (o mais usado é a ausência de relação entre o capital e a participação nos lucros); têm gestão democrática e participativa e o objetivo fundamental da organização é a manutenção do bem–estar ou do equilíbrio social.



Veja também: