Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Doces feitos de insetos são alimentos nutricionais e protéicos populares no oriente

Doces feitos de insetos estão presentes há muitos séculos em vários lugares do mundo. A entomofagia – como é chamada a prática – além de fornecer nutrientes essenciais para o corpo humano, também é uma forma mais sustentável de obter proteínas, em comparação aos outros doces convencionais no ocidente.  

Os doces feitos de insetos são fabricados dos mais diversos formatos. Eles podem ser triturados ou adicionados inteiros à receita do doce. A produção de doces feitos de insetos  não é realizada em escala global, o que significa que não é tão fácil encontrar um doce feito de insetos nas prateleiras do mercado.

No entanto, com a ascensão dos alimentos com baixa pegada de carbono, os doces feitos de insetos podem chamar a atenção de um público maior.

Entomofagia 

O termo entomofagia se refere ao ato de comer insetos. A prática é comum em países tropicais do oriente. Nessas regiões, o hábito de comer insetos promove benefícios nutricionais, econômicos e ecológicos para as comunidades rurais. 

Em regiões onde a fome é grande, o consumo de insetos também serve como fonte de proteína para a população. No entanto, o consumo de insetos não foi popularizado em regiões ocidentais do mundo. Isso significa que naturalizar a entomofagia é mais difícil nessas localidades.

Afinal, a população não está acostumada com a culinária e a maioria ainda vê a prática com estranheza. Apesar dessa aversão da sociedade ocidental, muitas pessoas consomem insetos sem ter consciência disso. Segundo Center for Invasive Species Research, é estimado que, em média, um estadunidense come até dois quilos de insetos mortos por ano em seus alimentos.

Meio ambiente e doces feitos de inseto

Existe uma relação entre os doces de insetos e a preservação do meio ambiente. Além de serem ricos em proteínas, vitaminas e minerais, os doces feitos de insetos têm uma pegada de carbono menor do que a indústria da carne. A produção de insetos reduz o gasto de água e energia, o que reflete na quantidade de carbono gerado pela indústria.

De acordo com a Organização das Nações Unidas, existem mais de 1.900 espécies de insetos comestíveis no mundo. Para que ocorra uma transição sustentável do modo de vida dos seres humanos, a organização afirma que as pessoas deveriam adotar esses alimentos feitos de insetos em sua dieta.

A ONU estima que existam aproximadamente dois bilhões de pessoas no mundo que se beneficiam de uma alimentação feita de insetos. Já existem fazendas de insetos ao redor do mundo, que conseguem oferecer a estrutura necessária para a produção de doces feitos de insetos, por exemplo.

Apesar de já existirem fazendas de insetos em regiões como a Tailândia, ainda é preciso uma série de estudos relacionados à prática. Para que haja uma produção em massa de doces feitos de insetos, e outros tipos de pratos da entomofagia, é necessário um estudo da sustentabilidade da produção, quais as melhores espécies para cada região e se seu comércio é viável.  

Motivação para o consumo de doces feitos de insetos

Os doces feitos de insetos, assim como qualquer outra receita com essas iguarias, são ricos em proteínas, gorduras saudáveis, ferro, cálcio e têm pouca quantidade de carboidratos. Em relatório com a ONU, a Food and Agriculture Organization afirma que o consumo de insetos pode fornecer mais nutrientes do que uma dieta com carne vermelha. 

Por isso, além dos doces feitos de insetos serem benéficos para a natureza, eles trazem benefícios para a saúde humana. 

Mas, no Brasil, o uso de insetos em receitas é escasso. Este tipo de alimento é mais comum em comunidades tradicionais e regiões como norte e nordeste. Desta forma, não é tão fácil encontrar doces feitos de insetos. No entanto, você pode se aventurar na cozinha preparando um caldo de Turu, larva encontrada em árvores que é bastante consumida na região norte do Brasil.

Receita de caldo de Turu

Ingredientes

  • 500 g de turu inteiro e com o próprio caldo
  • ½ colher de sopa de manteiga 
  • 1 dente de alho picado
  • ½ xícara de chá de cebola picada
  • ½ xícara de chá de pimentão picado
  • 2 pimentas picadas
  • 2 xícaras de chá de chicória fatiada 
  • ½ xícara de chá de coentro picado
  • 1 xícara de chá de tomate picado sem pele e sem semente
  • ½ xícara de chá de suco de limão 
  • 750 ml de água
  • Sal a gosto 
  • Fatias de torrada de sua preferência

Modo de preparo

  1. Limpe o turu e retire as tripas escuras da larva;
  2. Deixe-os em uma tigela com o líquido do inseto e reserve-o;
  3. Em uma panela aquecida, derreta a manteiga e refogue o alho, cebola, pimentão, pimentas, chicória e o coentro;
  4. Pique aproximadamente 100 gramas de turu em pedaços pequenos e refogue na panela;
  5. Acrescente tomate e o resto dos turus inteiros, com o seu líquido, suco de limão e água;
  6. Coloque o sal a gosto e deixe ferver por 5 minutos;
  7. Sirva e use as torradas como acompanhamento.