Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Movimento desmatamento zero foi criado pelo Greenpeace, e tem como objetivo a preservação e conservação ambiental

O Desmatamento Zero é uma campanha de conscientização e luta pelo fim do desmatamento nas florestas nativas brasileiras, sobretudo na Amazônia. Criado em 2012 pela ONG Greenpeace, o movimento tem como objetivo promover a preservação e conservação do meio ambiente e dos recursos naturais.

O marco da campanha foi em 2015, com manifestações populares por todo o Brasil, pressionando os órgãos governamentais. Como consequência dessa mobilização, em 2016 o Greenpeace apresentou um projeto de lei sobre o Desmatamento Zero, no Congresso. O projeto contou com a assinatura de 1,4 milhão de pessoas, favoráveis à proposta.

Desmatamento na Amazônia

O desmatamento na Amazônia é um problema recorrente no Brasil. Ele é responsável pela perda de biodiversidade do bioma e seus serviços ecossistêmicos. Além disso, gera problemas socioambientais e econômicos para as comunidades locais e tradicionais, que sobrevivem dos recursos desse bioma.

O desmatamento também provoca danos para toda a sociedade, como a poluição atmosférica, gerada por queimadas. A vegetação tem um papel importante na purificação do ar, já que as plantas têm a capacidade de absorver o gás carbônico do ar e revertê-lo em oxigênio

Quando essa vegetação é retirada, a absorção de gás carbônico da atmosfera é reduzida, o que prejudica a qualidade do ar. Os efeitos disso são doenças e problemas respiratórios na população não apenas local, como de outras regiões. 

De acordo com um estudo, as árvores também têm a capacidade de reter o material particulado fino, MP2.5, da atmosfera. Esse material é liberado no ar pela queima de combustíveis fósseis e matéria orgânica. 

O MP2.5 favorece o aquecimento global e o fenômeno de chuvas ácidas. Ele pode gerar problemas na saúde, como doenças cardiovasculares, câncer de pulmão e doenças respiratórias.

Outro ponto é a importância da preservação do meio ambiente para a manutenção dos corpos hídricos. Na Amazônia, ocorre o fenômeno de evapotranspiração, em que as árvores liberam vapor de água para a atmosfera, formando rios voadores

Com o desmatamento, esse processo é afetado, alterando o ciclo das chuvas. Como consequência, pode haver crises hídricas em algumas regiões do País. Entenda mais no vídeo

O que é o movimento desmatamento zero

Manifestação Desmatamento Zero. Imagem editada e redimensionada de Ricardo André Frantz, via Wikimedia Commons, sob a licença CC BY 3.0

O desmatamento zero é um movimento criado em 2012, pela ONG Greenpeace. Ele tem como objetivo impedir o desmatamento em áreas de vegetação nativa no Brasil, sobretudo na Amazônia. A campanha ganhou notoriedade a partir de mobilizações, que pressionaram os agentes governamentais para a criação de medidas que freiem o desmatamento.

A maior parte do desmatamento das vegetações nativas ocorre por responsabilidade do setor pecuário. Entretanto, estudos apontam que é possível aumentar a produção de carne no território brasileiro sem que seja necessário o desmatamento de novas áreas.

Por isso, é necessária a atuação governamental para estabelecer diretrizes e fiscalizar o uso da terra. Dessa forma, garante-se o uso adequado do solo, conservando o meio ambiente e seus serviços.

Medidas para atingir o Desmatamento Zero

De acordo com o Greenpeace são necessárias algumas medidas para atingir o desmatamento zero. A primeira é a implementação de políticas ambientais, bem como a fiscalização adequada pelos órgãos ambientais. Dessa forma, é preciso reduzir as práticas de grilagem (ocupação ilegal das terras), e aumentar ou criar Unidades de Conservação.

Em segundo lugar, está a utilização sustentável dos recursos ambientais, de forma a incentivar a conservação. Os sistemas agroflorestais, por exemplo, consistem em modos de produção agrícola que funcionam em conjunto com a vegetação, sendo alternativas mais sustentáveis do que os modelos de monocultura.

Para implementar a segunda medida, o governo pode atuar como fiscal. Além disso, a partir de medidas administrativas, pode incentivar práticas que reduzam o desmatamento. Um exemplo disso são os pagamentos por serviços ambientais, em que são fornecidos incentivos fiscais para os produtores rurais que contribuem para a conservação.

Entretanto, as ações também podem partir da sociedade e das empresas. A partir da pressão popular, muitas empresas e governos podem alterar a sua forma de atuação. Portanto, como consumidor, é importante escolher empresas em que a fabricação dos produtos não esteja associada ao desmatamento. Além disso, é preciso pressionar o governo para que haja monitoramento dos produtos vendidos no País.

Benefícios proporcionados pelo Desmatamento Zero

Zerar o desmatamento gera vários benefícios. Confira:

  • Reduz as emissões dos gases do efeito estufa;
  • Diminui risco de doenças respiratórias, provocadas pela poluição do ar;
  • Melhora a qualidade do ar;
  • Reduz  intensidade das mudanças climáticas;
  • Diminui multas ambientais por parte das empresas;
  • Diminui grilagem e conflitos nas terras;
  • Melhora condições de trabalho;
  • Viabiliza direitos de povos tradicionais para o uso das terras.

Entenda mais sobre o Desmatamento Zero no vídeo: