Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Dermatite atópica é uma doença cutânea inflamatória que possui influência genética e provoca coceira na pele

A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é um dos tipos mais comuns de dermatite, caracterizada como uma doença cutânea inflamatória. Ela atinge cerca de 50 milhões de pessoas no mundo e tem influência genética, sendo associada a alterações imunológicas com reações alérgicas.

A doença provoca mudanças na barreira de proteção da pele, com erupções que coçam e apresentam crostas. É mais comum que as erupções apareçam nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos. Muito comum entre crianças, os primeiros sintomas costumam surgir após os três meses de idade e geralmente começam a desaparecer por volta dos cinco anos.

Entretanto, as crises poderão ocorrer com frequência, com possibilidade de duração até a fase adulta. Em adultos, geralmente a dermatite atópica é uma doença prolongada ou recorrente e pode ser acompanhada de alergias respiratórias, como rinite alérgica e asma.

Sintomas da dermatite atópica

A dermatite atópica é caracterizada pelo ressecamento da pele, com manchas esbranquiçadas, aspereza, vermelhidão, inflamação e uma intensa coceira das áreas lesionadas. Pessoas com dermatite atópica tendem a apresentar pele seca com mais probabilidade de crises no inverno, por causa dos banhos muito quentes e contato com roupas de lã. No entanto, se descoberta logo no início, é possível diminuir a frequência e a intensidade das crises. Confira alguns dos sintomas:

  • Alterações na cor da pele;
  • Secreção ou sangramento da orelha;
  • Áreas esfoladas da pele causadas por coceira;
  • Pele mais clara ou escura que o seu tom normal;
  • Vermelhidão ou inflamação da pele ao redor das bolhas;
  • Áreas espessas ou parecidas com couro, que podem ocorrer após irritação e coceira prolongadas.

Os sintomas da dermatite atópica melhoram e pioram dependendo do período em que a pessoa está vivendo ou durante a mudança das estações.

Prevenção

Normalmente, a dermatite atópica é genética, portanto é difícil evitar sua primeira aparição e ela não tem cura. Entretanto, é possível prevenir crises mantendo a pele bem hidratada, e cuidados com o banho são fundamentais.

A dermatite pode provocar uma coceira intensa, e o ato de coçar a lesão pode deixá-la ainda mais irritada, o que facilita a invasão e contaminação das feridas por bactérias. Apesar disso, a dermatite atópica não é uma doença contagiosa, não havendo nenhum risco de transmissão.

Tratamentos para dermatite atópica

O tratamento de dermatite atópica é feito geralmente à base de medicamentos, com o objetivo de controlar a coceira, a redução da inflamação da pele e prevenir recorrências. Consulte sua médica ou médico para verificar as opções. Em princípio, é provável que um creme ou uma pomada suave de cortisona ou esteroide sejam receitados. Se esses não surtirem efeito, você poderá precisar das medicações orais.

Entretanto, cuidar da sua pele em casa pode diminuir a necessidade de medicamentos. Adote algumas medidas para melhorar a recuperação – veja exemplos:

  • Mantenha sua pele hidratada com óleos, pomadas ou cremes hidratantes. Evite produtos que contenham álcool, perfumes, fragrâncias, corantes ou outras substâncias químicas.
  • Evite banhos muito quentes e demorados, não use sabonetes direto na pele lesionada e prefira loções de limpeza;
  • Alivie a coceira usando compressas frias e fazendo uso de medicamentos anti-histamínicos;
  • Mantenha as unhas das crianças curtas – pense na possibilidade de usar luvas leves se a coceira durante a noite for um problema;
  • Evite tecidos de lã;
  • Evite alterações súbitas na temperatura corporal e estresse, que podem causar suor e piorar ainda mais a situação;
  • Não esfregue ou seque a pele com muita força ou por muito tempo. Jamais use buchas vegetais ou esfoliantes.

Remédios caseiros e naturais, como farinha de aveia, óleo de melaleuca, camomila, gel de babosa e óleo de copaíba podem ajudar a aliviar os sintomas e melhorar a inflamação. Mas certifique-se de buscar orientação médica antes de utilizar qualquer produto na área afetada.

Descoberta aponta novo alvo terapêutico para dermatite atópica

Um estudo realizado por pesquisadores da Trinity revelou um mecanismo chave subjacente à colonização bacteriana da pele na dermatite atópica. A descoberta mostra que a bactéria causadora da doença se liga a uma proteína específica localizada na superfície das células da camada externa da pele de pacientes que apresentam a complicação.

“Nossa descoberta fornece novos insights sobre como a bactéria se liga às células da superfície da pele, o que é uma etapa crucial durante a colonização. Especificamente, ela pode ser considerada um avanço importante que poderia pavimentar o caminho para o desenvolvimento de abordagens para prevenir a colonização da pele pela bactéria causadora da dermatite atópica”, disse Joan Geoghegan, professora associada de Microbiologia do Departamento de Microbiologia da Trinity.

“Ter como alvo a ligação da bactéria à pele humana seria uma adição bem-vinda às nossas opções terapêuticas. Isso é essencial em uma era em que a resistência antimicrobiana é uma ameaça global emergente”, concluiu. Dessa maneira, espera-se que novas formas de tratamento surjam para aliviar os sintomas dessa complicação.