Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Gêmeos idênticos têm visões mais parecidas sobre as questões ambientais do que não idênticos, segundo pesquisas

Algumas pessoas são mais conscientes do ponto de vista ambiental do que outras, e os cientistas dizem que a razão pode estar em seus genes.

Um estudo descobriu que gêmeos idênticos têm visões mais semelhantes sobre conservação e ambientalismo do que gêmeos não idênticos. De acordo com os pesquisadores, isso sugere que pode haver uma ligação entre a composição genética das pessoas e seu apoio às políticas ambientais.

“O objetivo é entender por que as pessoas são diferentes, e tais diferenças vêm da combinação de genes e ambientes”, disse Chia-chen Chang, pesquisadora da Universidade Nacional de Cingapura e principal autora do artigo, publicado no jornal BioScience.

“Considerar os componentes genéticos nos fornece uma resposta mais holística para essa pergunta, mas os resultados genéticos são apenas sobre probabilidade, não determinismo.”

Os pesquisadores usaram dados de mais de 1.000 gêmeos do registro TwinsUK, o maior banco de dados de gêmeos do Reino Unido. Eles examinaram as respostas de gêmeos idênticos e não idênticos às perguntas sobre sua preocupação com a natureza, ativismo ambiental e como seu próprio comportamento era ecologicamente correto.

Os resultados sugerem que gêmeos idênticos têm consistentemente mais em comum nas três categorias. Isso, dizem os cientistas, sugere uma ligação entre a genética das pessoas e seu comportamento ambiental, bem como sugere que há alguma herdabilidade para características ambientalistas.

“Inicialmente, não esperava detectar herdabilidade moderada dessas características”, disse Chang, embora ela tenha notado que os resultados foram apoiados por pesquisas anteriores sobre evolução que mostraram herdabilidade para alguns comportamentos altruístas e cooperativos.

Mas o ambiente social em que alguém cresce e está rodeado ainda explica mais de 50% da preocupação individual com a natureza, ativismo ambiental e comportamento pessoal, dizem os pesquisadores.

“A herdabilidade sugere que existem componentes genéticos. Mas as estimativas de herdabilidade são influenciadas tanto pela genética quanto pelo ambiente ”, disse Chang. “Nosso comportamento ambiental é provavelmente mais complicado do que pensamos.”

Felix Tropf, professor de genética das ciências sociais do Centro de Pesquisa em Economia e Estatística, que não participou do estudo, disse que há um longo caminho a percorrer para entender o papel da herdabilidade nas atitudes ambientais das pessoas.

“Não acho que esse estudo seja extremamente útil para o problema”, disse ele. “Isso pode motivar pesquisas adicionais que em algum momento podem ser muito úteis, mas primeiro é importante entender que tudo o que basicamente observamos é que gêmeos geneticamente idênticos são mais semelhantes do que gêmeos não geneticamente idênticos em suas atitudes em relação às mudanças climáticas.”

Na verdade, embora possa haver muitos genes associados às atitudes em relação à crise climática, todos eles podem fazer coisas diferentes de maneiras diferentes. “Não existe um gene que o aproxime da natureza ou algo parecido”, disse Tropf. Ele também sugeriu que os pesquisadores deveriam ter incluído informações sobre se os gêmeos no estudo eram frequentemente expostos à natureza, já que isso teria um impacto nos resultados.

“É bom analisar as influências no comportamento individual em relação ao ambientalismo, mas no final, a mudança climática é um problema estrutural, um problema sistêmico e político”, disse ele.