Loja
Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo

Benefícios do bálsamo são cientificamente comprovados

O bálsamo, cientificamente chamado de Sedum dendroideum, é uma planta suculenta da família das crassuláceas. Ela é muito conhecida por suas propriedades medicinais e por seu uso como planta ornamental. Seu desenvolvimento é melhor em solos arenosos, enriquecidos com húmus e que recebam sol pleno ou meia sombra. A planta demanda regas semanais durante o verão e a primavera, e mensais durante o outono e o inverno.

A planta é comumente usada em telhados verdes, e suas flores amarelas atraem abelhas e outros animais polinizadores e podem atingir 90 centímetros.

Por ser uma suculenta, o bálsamo é sensível ao encharcamento e muito resistente à seca, tolerando também geadas. Ele pode ser plantado por estaquia dos ramos e folhas e por brotos. Esta espécie tem sido tradicionalmente utilizada para o tratamento de doenças e alguns estudos confirmam sua eficácia. Confira:

Para que serve o bálsamo?

Bálsamo
Foto: Sedum dendroideum, Museu de Toulouse | Por Léna, sob a licença CC BY-SA 3.0, em Wikimedia Commons

Trata dores e inflamações

De acordo com um estudo publicado pela revista Elsevier, os glicosídeos de kaempferol presentes no bálsamo podem ser os responsáveis pelo uso medicinal da planta. O estudo testou os efeitos das substâncias em ratos e concluiu que elas possuem propriedades contra dores e inflamações.

Tem potencial antidiabético

Um estudo publicado pela International Union of Biochemistry and Molecular Biology avaliou o potencial antidiabético de um extrato de folhas de bálsamo em ratos. A conclusão do estudo mostrou que um tipo de flavonóide presente na planta reduziu a glicemia em camundongos diabéticos (depois de duas horas após o consumo) em 52, 53 e 61%. Isso porque a substância foi capaz de estimular a utilização de glicose pelo fígado. O que significa que o extrato de bálsamo tem potencial antidiabético.

diabetes
Diabetes: tipos, sintomas e como tratar

Trata distúrbios gástricos

O suco fresco das folhas de bálsamo tem sido muito utilizado na medicina tradicional brasileira para o tratamento de distúrbios gástricos e inflamatórios. Um estudo publicado pela revista Elsevier avaliou as propriedades contra dores e anti-inflamatórias do bálsamo e concluiu que quatro glicosídeos de kaempferol reduziram dores e inflamações. O que indica que o bálsamo pode ajudar a aliviar as dores gástricas.

Remédio para gastrite
Remédio para gastrite: receitas caseiras e simples
Refluxo gastroesofágico
Refluxo gastroesofágico: causas e sintomas
Remédio para refluxo
12 opções caseiras de remédio para refluxo

Como usar o bálsamo

O uso do bálsamo depende do tipo de tratamento desejado, podendo ser utilizado externa ou internamente. Para uso externo, o bálsamo pode ser macerado até se tornar uma pasta.

Em seguida, deve ser aplicado sobre a área afetada. A sua folha também é usada em perfurmaria. Já para o uso interno, ele pode ser ingerido cru, em saladas, ou como chá.

O maior aproveitamento se dá pela ingestão do bálsamo cru. Se ingerido pela manhã, como primeiro alimento, é ainda mais benéfico para o corpo.

Chá de bálsamo

Se você quiser o chá de bálsamo, faça a infusão de seis folhas em água fervente. Coloque as folhas com o fogo já desligado, e deixe por 15 minutos antes de beber.

Contraindicações

O bálsamo não possui nenhuma contraindicação apontada pelos nutricionistas e estudiosos, é uma opção de remédio natural. Mas é melhor não consumir mais de 10 folhas por dia, já que o excesso pode causar desconforto intestinal ou até diarreia. Vale lembrar que o consumo exagerado de qualquer coisa, ainda que natural, pode causar reações adversas.

Além disso, antes de usar a planta como aliada para tratar qualquer condição de saúde, o ideal é consultar sua médica ou médico de confiança. O uso do bálsamo não substitui o tratamento clínico indicado, podendo servir apenas como complemento.

No caso de pessoas que usam qualquer tipo de medicamento, também é importante conversar com o profissional que acompanha seu quadro para se certificar de que não existem riscos de interação entre a planta e os remédios que você toma.


Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais