Saiba mais sobre o Sol

eCycle

O Sol é composto essencialmente por hidrogénio e hélio e é a estrela central do Sistema Solar

O Sol é a estrela central do Sistema Solar. Todos os outros corpos desse conjunto celestial e satélites associados giram ao seu redor. Responsável por 99,86% da massa do Sistema Solar, o Sol possui uma massa 332.900 vezes maior que a da Terra, e um volume 1.300.000 vezes maior que o do nosso planeta.

O Sol fica a cerca de 150 milhões de quilômetros da Terra, o equivalente a 8 minutos-luz de distância (1 minuto-luz corresponde a 17.987.547 quilômetros). Por conta dessa distância, a luz do Sol não chega ao nosso planeta de maneira imediata - ela demora cerca de 8 minutos e 18 segundos para chegar à Terra.

Principais características do Sol

  • Massa: 1,989 x 1030 kg (300.000 vezes a massa da Terra);
  • Raio: 6,96 x 108 km, o mesmo que 695.500 km (100 vezes o raio da Terra);
  • Densidade média: 1,409 kg/m3;
  • Distância da Terra: 1,496 x 108 km, o mesmo que 149.600.000 km;
  • Luminosidade: 3,9 x 1026 watts = 3,9 x 1033 ergs/s;
  • Temperatura superficial: 5,5 mil graus Celsius;
  • Temperatura central: 15 milhões de graus Celsius;
  • Idade: 4,6 bilhões de anos;
  • Período de rotação: 25,67 dias no equador e 33,40 dias nas regiões polares;

Estrutura física do Sol

O Sol pode ser dividido em partes com diferentes propriedades físicas, confira quais são elas:

  1. Núcleo: onde ocorrem as fusões nucleares e o processo de nucleossíntese. Representa aproximadamente 25% da massa do Sol;
  2. Zona radiativa: zona em que a radiação eletromagnética produzida pelo núcleo é refletida por muitas vezes, levando milhares de anos para escapar de seu interior;
  3. Zona convectiva: uma camada instável que transmite calor por meio da convecção;
  4. Fotosfera: a camada mais externa do Sol, é com base nela que toda a luz solar é irradiada. A fotosfera tem cerca de 100 km de espessura;
  5. Cromosfera: uma camada de baixa densidade que marca a transição entre a atmosfera solar e a coroa solar;
  6. Coroa: uma aura de plasma que permeia milhões de quilômetros ao redor do Sol. A temperatura nessa região pode chegar a 1.000.000 ºC. Acredita-se que essa temperatura surja em razão do intenso campo magnético do Sol.

Idade do Sol

Estudiosos sugerem que a idade do Sol seja de 4,6 bilhões de anos e que, em cerca de 7 bilhões de anos, ele será uma gigante vermelha com um raio equatorial 200 vezes maior que o atual e até 5 mil vezes mais brilhante, “engolindo” a órbita do nosso planeta. Ao atingir essa marca, o Sol será capaz de fundir átomos de carbono devido às altas temperaturas. Os estágios finais da evolução estelar do Sol indicam que essa estrela se tornará uma anã branca (uma classe de estrelas extremamente densas), apresentando menos da metade de sua massa atual, por conta do processo de fusão nuclear e da emissão de ventos solares.

Cor do Sol

O Sol é considerado uma estrela de sequência principal (que produz sua energia por meio da fusão do hidrogênio) e de categoria anã amarela. Apesar do nome, ele não é uma estrela pequena ou de cor amarelada.

O adjetivo amarela está relacionado à temperatura de sua superfície e à sua luminosidade: trata-se de uma estrela muito mais fria e menos luminosa que as chamadas de brancas e azuis. Além disso, o Sol é capaz de produzir todos os comprimentos de onda da luz visível, de forma que, ao ser observado de fora da Terra, sua cor é branca. O tom amarelo que observamos ao olhar para esse astro surge devido à dispersão dos raios solares ao adentrarem a atmosfera.

Temperatura do Sol

A temperatura do Sol é bastante variada. O núcleo solar pode chegar a 15 milhões de Celsius, já que é nessa região que ocorre a fusão nuclear. A região mais próxima do núcleo, conhecida como zona radiativa, pode apresentar temperaturas que variam entre 2 e 7 milhões de Celsius.

Às margens da zona radiativa, encontra-se a zona convectiva, onde se formam grandes correntes de plasma que são capazes de transmitir energia ao exterior do Sol por meio da convecção. A zona convectiva tem uma temperatura média de 2 milhões de Celsius. A superfície do Sol, por sua vez, chamada de fotosfera, apresenta uma temperatura média de 5000 Celsius.

Radiação solar

A energia produzida pelo Sol chega parcialmente à Terra em forma de ondas eletromagnéticas. Na superfície terrestre, a intensidade da radiação solar chega a 1366 kW/m² (quilowatts por metro quadrado), e esse valor varia menos que 0,1% durante todo o período orbital. Toda essa energia é proveniente de fusões nucleares que ocorrem no núcleo do Sol e são capazes de converter átomos de hidrogênio em átomos de hélio.

Cerca de 1,3% de toda a energia que é produzida pelo Sol está na forma de minúsculas partículas chamadas de neutrinos. Os neutrinos são tão pequenos que podem atravessar o interior do nosso planeta sem tocar em um único átomo sequer. O Sol emite uma enorme quantidade dessas partículas - para ter-se uma ideia, aqui na Terra estamos expostos a um fluxo de 8.1010 neutrinos por centímetro quadrado, a cada segundo.

Os fótons de luz que são criados no núcleo solar só conseguem chegar à sua superfície após um período de aproximadamente 170 mil anos. Isso acontece em razão da alta densidade no interior do Sol. Portanto, ao olharmos para o astro, a luz que chega aos nossos olhos foi produzida a pelo menos 170 mil anos. Depois de deixar o Sol, a luz leva pouco mais de oito minutos para chegar até a Terra.

Composição do Sol

O Sol é composto essencialmente por hidrogénio e hélio, que são os dois elementos mais simples que existem e também os mais abundantes. A massa do Sol é constituída por 73,4% de hidrogênio e 25% de hélio. O terceiro elemento mais abundante é o carbono, com cerca de 0,2% da massa total.

Evolução do Sol

O Sol está “queimando” hidrogênio há pelo menos 4,6 bilhões de anos. Alguns modelos físicos indicam que a estrela fica até 10% mais brilhante a cada bilhão de anos, de modo que o Soldos dias de hoje é cerca de 40% mais brilhante do que era no momento de sua criação.

O futuro do Sol será marcado pelo momento em que todo o seu hidrogênio for convertido em hélio. Quando isso ocorrer, ele terá o seu tamanho aumentado em até 200 vezes, podendo chegar até a órbita de Vênus.

Depois disso, no final de sua vida, o Sol sofrerá um enorme colapso gravitacional e seu tamanho será reduzido até que ele se transforme em uma estrela anã-branca. Os astrônomos estimam que, nessa fase, o Sol passe a ter cerca de 50% de sua massa atual e que o seu tamanho fique comparável ao da Terra.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×