Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Sucessão ecológica é o processo gradativo de colonização de um habitat em que a composição das comunidades vai se alterando ao longo do tempo

Sucessão ecológica é o processo gradativo de colonização de um habitat em que a composição das comunidades vai se alterando ao longo do tempo. Ela pode ocorrer progressivamente em um ambiente árido, no caso da sucessão primária, ou em um local que passou por uma perturbação grave, como na sucessão secundária. 

De modo geral, pode-se dizer que as espécies pioneiras desempenham um papel fundamental na sucessão ecológica, preparando o ecossistema novo ou recentemente perturbado para comunidades mais complexas.

Tipos de sucessão ecológica

A sucessão ecológica pode ser primária ou secundária. A sucessão primária acontece em uma área antes desabitada, cujas condições iniciais são altamente desfavoráveis à vida. Já a sucessão secundária ocorre em locais que já foram anteriormente ocupados por uma comunidade biológica; por isso, há condições iniciais mais favoráveis ao estabelecimento de seres vivos.

A sucessão primária pode acontecer em superfícies de rochas, dunas de areia, lavas vulcânicas recém-solidificadas. A sucessão secundária, por sua vez, pode ocorrer em campos de cultivo abandonados, florestas derrubadas, áreas destruídas por queimadas ou lagos recém-formados. 

Em um campo de cultivo abandonado, por exemplo, o solo já está formado e possui nutrientes disponíveis. Por esses motivos, as mudanças nas sucessões secundárias são geralmente mais rápidas do que as verificadas em uma sucessão primária.

Etapas da sucessão ecológica

Comunidade pioneira

Comunidade pioneira é formada pelas primeiras espécies que se instalam em um ecossistema, as quais são chamadas de espécies pioneiras. Espécies pioneiras são espécies vegetais que podem colonizar ecossistemas inóspitos para outras espécies, em que as condições são pouco favoráveis para a sobrevivência. Elas são capazes de se manter perfeitamente desenvolvidas em locais com poucos nutrientes e água.

Assim que chegam, as espécies pioneiras realizam a manutenção do ecossistema, tornando-o mais hospitaleiro para as espécies posteriores. Esse processo pode ser feito por meio da estabilização do solo, do enriquecimento de nutrientes, da redução da disponibilidade de luz e da exposição ao vento e da moderação da temperatura. 

As espécies pioneiras também são muito utilizadas na recuperação de ecossistemas degradados. Como consequência, a área fica comprometida no que diz respeito à presença de espécies naturais e nutrientes disponíveis no solo. Assim, as espécies pioneiras fazem com que a vida volte a nascer naturalmente nessas regiões, recuperando-as.

Comunidade intermediária

A comunidade intermediária se apresenta como uma comunidade de transição, em que é observado um aumento significativo na biodiversidade.

Comunidade clímax

Comunidade clímax é o nome dado a uma comunidade estável. Nela, a biodiversidade, a biomassa e as condições microclimáticas  – condições ambientais particulares do habitat ao qual estão adaptadas determinadas espécies  – tendem a se manter constantes.