Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Sêmen é o fluido responsável pela ejaculação e reprodução humana

Sêmen, também chamado de fluido seminal, é um líquido que é liberado pelo órgão reprodutivo masculino depois do orgasmo. O sêmen é composto das células reprodutivas masculinas, o esperma, e outros compostos como proteínas, vitaminas e minerais. 

A textura fluída do sêmen faz com que seja possível depositar o esperma na parte interna da vagina, quando há uma relação heterossexual. Essa é a área onde se encontra a abertura do útero, onde o feto é desenvolvido. Para que esse transporte seja possível, o organismo cria o chamado plasma seminal. 

Depois que o esperma é produzido, ele passa por outras glândulas do órgão reprodutivo masculino e é banhado em fluídos e secreções que são produzidas por diversos tubos do sistema. A ampola é o destino final do esperma, onde ele entra em contato com um líquido amarelado, a ergotamina. 

Essa substância reduz o oxigênio de compostos químicos, e agrega a frutose ao total, um açúcar responsável por alimentar o esperma. Todo esse processo é o que cria a estrutura do sêmen

Ejaculação 

Para que os espermas tenham um ambiente mais adequado para sua existência, são liberados líquidos da glândula da próstata e vesículas seminais durante a ejaculação. No total, os fluidos que são liberados pelas vesículas seminais compõem cerca de 60% do volume total do sêmen.

Já os fluidos da glândula da próstata são cerca de 30% do fluído seminal. Os dois líquidos contêm uma grande variedade de nutrientes em sua composição, alguns deles são:

  • Cálcio;
  • Sódio;
  • Zinco;
  • Potássio;
  • Enzimas de quebra de proteínas;
  • Hormônios chamados de prostaglandinas;
  • Fósforo;
  • Frutose;
  • Aminoácidos;
  • Ácido cítrico. 

Análise do sêmen

Em certas situações, o sêmen precisa passar por um tipo de análise sob um microscópio para que seja checado o quanto ele está saudável. A análise do sêmen serve para avaliar a mobilidade e atividade do esperma e o seu formato. Assim, verifica-se o quanto a pessoa é fértil.

Existem dois cenários em que um indivíduo precisa fazer análise de sêmen:

Infertilidade: Quando um casal encontra dificuldades em engravidar, é recomendado fazer uma análise de sêmen. Desta forma, é possível descobrir se existe algo fora do normal que está causando a infertilidade do casal. Por meio desse exame é possível descobrir qual a possibilidade do sêmen liberado gerar uma grávidez.

Vasectomia: Uma análise de sêmen realizada logo depois de uma vasectomia serve para dizer se a cirurgia foi bem sucedida. Para que o procedimento seja positivo, os tubos que liberam o esperma no sêmen precisam ser bloqueados. Quando o teste de sêmen é feito, o resultado positivo mostra que não existe esperma em sua composição. 

Mobilidade do esperma

Para que o esperma consiga causar uma gravidez, ele precisa ter uma boa mobilidade. Para isso, o sêmen tem que ter pequenas quantidades de magnésio, potássio e uma presença moderada de oxigênio no plasma seminal. 

Químicos de sulfato presentes no sêmen auxiliam na prevenção de inchaço do esperma, e a frutose funciona como principal nutriente das células. Um volume normal de sêmen em cada ejaculação é de 2 a 6 mL. É comum que esse fluido seja repleto de células degeneradas que foram roubadas dos dutos em que o sêmen passou. 

Esperma

Esperma é uma célula reprodutiva encontrada na maioria dos animais de sexo masculino. Ela também pode ser chamada de spermatozoon e spermatozoa. O esperma é flagelado, com exceção de animais como vermes nematódeos, como as lombrigas; decápodes, como o lagostim e diplópodes, como os ácaros. 

O esperma é conhecido pelos humanos por ser a célula reprodutiva responsável por fecundar o óvulo feminino e gerar a criação de um feto. Na maioria dos vertebrados, principalmente em mamíferos, o esperma é produzido nos testículos. Sua forma madura é constituída por duas partes distintas, a cabeça e a cauda.  

Estrutura do esperma

O tamanho de um esperma maduro chega a ser até 0,05 milímetros de comprimento. Sua estrutura da cabeça consiste em uma capa núcleo que contém material genético de 23 cromossomos. A cabeça está ligada ao corpo pelo “pescoço” e a cauda, e contém uma mitocôndria que consegue gerar toda a atividade energética necessária para o esperma

Já a cauda do esperma é feita de fibras de proteína que se contraem em lados opostos, o que faz com que a sua estrutura tenha um movimento parecido com uma onda. Essa movimentação faz com que o esperma se mexa no fluido seminal, que também provém energia extra para a célula reprodutiva. 

Existem alguns espermas com duas cabeças ou duas caudas. Em caso dos testículos estarem muito quente, esses espermas podem morrer, ou a espermatogênese –  processo de criação do espermatozoide – pode não acontecer. 

A velocidade comum de movimento de um esperma é de 3 milímetros por minuto. No entanto, algumas células conseguem nadar mais rápido que outras. Um estudo publicado pela revista Physical Review E and Physical Review Letters, mostrou que a movimentação do esperma depende de uma ajuda.

Essa ajuda vem de pelos presentes nas trompas de Falópio. Os pelos são chamados de cílios, e eles alinham as partículas de esperma em uma direção consistente. Isso ajuda no transporte do esperma até o óvulo que será fecundado. 

Tempo de vida do esperma

A produção de esperma demora cerca de 72 dias, e precisa de uma temperatura que seja pelo menos 5°C  menor do que a temperatura corporal. Para que o esperma seja produzido na temperatura correta, os testículos têm um tipo de “termostato” próprio, que controla a temperatura do escroto e mantém a produção de esperma segura.

Quando fora do corpo, existe um período de tempo em que o esperma sobrevive. Em uma região como tecidos e roupas de cama, o esperma provavelmente irá morrer logo depois de secar. Já na água, como em piscinas ou em banheiras, o esperma vive mais tempo. No entanto, as chances de uma pessoa engravidar nessa situação são muito baixas.

Quando dentro do corpo feminino, o esperma pode viver até cinco dias. Ou seja, se o casal tiver uma relação sexual um pouco antes da parceira ovular, ainda existe uma chance de gravidez. 

Lembrando que é necessário apenas um espermatozoide para que alguém engravide. Mesmo que o homem consiga produzir cerca de trilhões de espermatozoides durante sua vida, e que ele libere mais de 100 mil durante uma ejaculação. Ainda sim, basta um único esperma para fecundar um óvulo. Como o caminho da vagina até os ovários nas trompas de Falópio é grande, alguns espermas morrem antes de chegar ao destino.  

Infertilidade

Ao decorrer da vida, a quantidade de esperma produzido pelo homem diminui. No entanto, ele nunca para de produzi-lo. Caso você e sua parceira estejam encontrando dificuldades em engravidar, existe uma chance de que sua fertilidade esteja sendo afetada. Para isso, é preciso checar a saúde de seu sêmen.

A quantidade comum de sêmen que deve ser ejaculado é de 2-6 (mL), aproximadamente uma colher e meia de chá. Menos do que isso pode não conter esperma o suficiente para a mulher engravidar, e mais do que isso pode diluir a quantidade de esperma ejaculado no sêmen.

A concentração de esperma também é importante para dizer se uma pessoa é fértil ou não. 15 milhões de esperma por mL de semen é considerado uma quantidade natural. Além do esperma, o sêmen ejaculado é composto por água, açúcar, proteína, vitamina C, zinco e prostaglandinas.

Dicas para aumentar a quantidade de esperma

Se você e sua parceira estiverem em busca de ter filhos, existem algumas dicas para que se melhore a saúde de seu sêmen. Confira:

  • Não fume ou use drogas, principalmente esteroides anabólicos;
  • Diminua a quantidade de álcool que você consome;
  • Tenha uma dieta saudável e o seu peso sob controle;
  • Mantenha seus testículos frios, pois o calor diminui a produção de esperma. Assim, será necessário evitar banhos quentes e calças apertadas;
  • Evite contato com substâncias tóxicas como pesticidas e metais pesados.