Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Apoio da mãe (e do pai) é prioridade quando se trata da criação de filhos saudáveis e bem sucedidos

Mães que apoiam seus filhos são fundamentais para o desenvolvimento de um adulto saudável. Esse tipo de suporte é necessário para criação de crianças e jovens. Um filho que não teve nenhum amparo maternal pode acabar enfrentando os mais diversos tipos de problemas na vida adulta, incluindo dificuldades de desenvolvimento social e processamento de informação. 

Por isso, muito se preza pelo amparo maternal no desenvolvimento de crianças. No entanto,  esse amparo não deve ser provido apenas pela figura da mãe. Pais também devem prestar apoio e amparo emocional aos filhos, assim como outras pessoas que exercem o papel de figura parental. Sejam eles avós, avôs, tios ou tias.  

A importância

Estudos voltados para o âmbito da psicologia familiar mostram que o amparo maternal tem grande impacto sobre a vida adulta da criança. Foi possível observar, durante a pesquisa da revista Journal of Marriage and Family, que o amparo de uma mãe dita como a criança irá lidar com suas emoções, ações e atenção quando for adulta.

Algumas das atitudes positivas que são ditadas pela presença da mãe são o processamento de informações sociais e a aceitação daqueles ao redor. A pesquisa também revelou que aqueles que tiveram maior amparo maternal também eram mais prováveis a terem altos níveis de educação, uma boa memória episódica e declarar uma maior felicidade matrimonial. 

Ou seja, quando mães e filhos têm uma interação mais carinhosa e regada de apoio, as mães têm uma maior capacidade de focar na atenção e no controle das ações da criança. Isso mostra como as interações sociais na infância têm uma certa influência nos recursos psicológicos disponíveis na fase adulta. 

Outro estudo da área mostrou que o amparo da mãe é a chave para uma boa relação mãe e filho. Para os pesquisadores, ignorar comportamentos negativos da criança, ou ameaçá-la e puni-la por isso impede que ela aprenda, de forma eficiente, como organizar e lidar com suas emoções. 

Apesar da autoridade na relação mãe e filho ser algo normal e essencial, ela não é o único tipo de interação que deve acontecer. Para que ocorra uma espécie de amparo maternal, a criança precisa sentir confiança na relação com a mãe. Demonstração de carinho, apoio, otimismo e o ato de ouvir seu filho podem ser maneiras de demonstrar apoio maternal. 

Dicas para oferecer apoio

Reafirme seu amor

É essencial que a criança saiba que você a ama pela pessoa que ela é, que você sempre estará ao seu lado para apoiá-la e ajudá-la.

Bom ambiente

Certifique-se que seu filho tem todas as necessidades básicas atendidas no seu ambiente de convivência. A prioridade é que ele tenha acesso a um lugar para morar, comida saudável, material escolar e produtos de higiene

Saúde mental

A saúde mental de um filho é tão importante quanto a saúde física. Uma criança ou adolescente enfrentando problemas psicológicos, sem nenhum amparo materno ou paterno, não é uma criança saudável. Certifique-se que seu filho tem espaço para cuidar da sua saúde mental e está livre de qualquer tipo de abuso, seja ele físico, sexual ou psicológico.   

Respeite e ouça seus sentimentos

Para uma criança em desenvolvimento, e qualquer pessoa, a prioridade é ouvir e respeitar seus sentimentos. Por isso, o amparo maternal também é tomar conhecimento sobre como seu filho tem se sentido, quais as suas preocupações e o que você pode fazer para ajudá-lo. Não reconhecer os sentimentos da criança como algo válido irá apenas afastar mais ainda a mãe e o filho.

Reconheça suas conquistas

Em vez de só falar sobre os erros cometidos pela criança, a parabenize pelas suas conquistas. Demonstre orgulho pelas coisas que ela conseguiu alcançar, até mesmo pequenas vitórias são importantes para elas. Conheça os benefícios da disciplina positiva.

Respeite seus gostos

O amparo maternal também consiste no respeito mútuo entre mãe e filho. Desta forma, tenha respeito pelos amigos, estilo de roupa, interesses, escolhas e gosto musical de sua criança. Mesmo que não seja de seu agrado, quem deve gostar é o seu filho e apenas ele.

Ensine empatia para seu filho

Uma forma de gerar apoio ao filho também é ensinando boas atitudes. Uma delas é influenciar sua criança a construir uma inteligência emocional e senso de empatia. Ao ensinar seu filho a levar os sentimentos dos outros em consideração, e tentar se colocar na posição de outra pessoa, é possível que ele desenvolva seu senso de empatia. 

Lembre se que está criando uma criança para o mundo

A presença do apoio da mãe na criação de um filho também é o ato de pensar no próximo. Afinal, uma criança com boa educação e amparo dos familiares, irá desenvolver um bom papel na sociedade. Desta forma, ela terá mais facilidade com suas relações sociais, e apresentará atitudes ligadas à empatia, bons modos e poderá prestar amparo para outras pessoas.

Um adulto que teve amparo da mãe na infância tem grandes chances de viver uma vida mais saudável e feliz. Além disso, ele estará mais propenso a ter respeito e empatia por todas as pessoas. Evitando situações de conflito como brigas, bullying, vícios, agressão, ansiedade e depressão

Romantização da maternidade

Apesar da figura da mãe ter papel essencial na criação de uma criança, é preciso ter em mente alguns tópicos. Nem toda mulher deseja ser mãe, apesar de muitas pessoas acreditarem que a maternidade é papel de toda mulher, a situação não é essa.

Algumas pessoas simplesmente não desejam ser mães, e elas têm esse direito. A mulher deve ter o direito de escolher se quer ser mãe ou não.

Além disso, o papel de cuidado e de prestação de apoio não cabe apenas à mãe. Apesar dela ser um personagem de importância, quando se trata de mulheres que desejaram ser mães, ela não é a única responsável. O pai, ou outra figura responsável, também deve oferecer o amparo necessário para que a criança consiga desenvolver suas  habilidades sociais. 

Todas as ações citadas acima servem não apenas para a mãe, mas  para qualquer adulto responsável pelos cuidados da criança. Seja ele o pai, o tio, a tia, a avó ou o avô. A responsabilidade sobre a criação do filho não deve ser apenas da mãe.