Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Joaninha é um besouro conhecido por colaborar com o controle de populações de outros insetos, como os pulgões

Joaninha é um inseto bastante conhecido por sua coloração vermelha com pequenas bolinhas pretas, mas é possível encontrá-la em várias tonalidades, como amarela e dourada. Ela faz parte da família de insetos chamada Coccinellidae, que é da mesma ordem que os besouros.

Há quem admire esse pequeno animal justamente por causa de suas cores chamativas, mas também devemos valorizá-lo por seu papel no equilíbrio dos ecossistemas, ajudando no controle de outros insetos, como os pulgões que se alimentam de plantas.

Características da joaninha

A joaninha apresenta antenas, olhos e asas bastante finas e leves que podem bater até 85 vezes por segundo. Ela nasce preta, mas sua coloração adulta e suas bolinhas pretas podem variar. Apesar do inseto vermelho ser o mais conhecido, existem cerca de 5 mil espécies de joaninhas diferentes, com características e cores distintas, tais como amarelo, laranja, marrom, rosa e até preto.

Sua coloração chamativa serve como mecanismo de defesa – fenômeno chamado de aposematismo. Os predadores reconhecem sua cor e sabem que se trata de um animal com gosto ruim. Além disso, a joaninha secreta um líquido de suas articulações nas pernas com odor desagradável a outros animais e, caso se sinta sob ameaça, pode até se fingir de morta.

Para o acasalamento, os machos seguem alguns passos. Primeiro, eles se aproximam, observam a fêmea e a examinam sentindo as antenas e a boca. Se for bem aceito, ele montará nas costas da outra joaninha e tentará copular.

Hábitos da joaninha

Esse inseto é um ser diurno, dessa forma, utiliza o máximo de luz solar possível para buscar alimentação e acasalamento. Normalmente, a joaninha é encontrada em lugares onde o clima é temperado e há muitos pulgões. No inverno, ela costuma hibernar, vivendo de gordura armazenada e ficando em áreas protegidas, como cavernas, pedras ou plantas de folhagem densa.

Ficando nas áreas protegidas, elas emitem sinais químicos, chamados de feromônios, para atrair outros indivíduos para a área. Nessa época, elas formam comunidades com cerca de 15 joaninhas. Com isso, além do grupo se proteger da predação, quando esses pequenos insetos acordam na primavera, estão ao lado de muitos parceiros em potencial.

Em determinados lugares, como no sudoeste dos EUA e alguns países asiáticos, as pessoas enfrentam verdadeiras infestações de joaninhas no inverno, pois elas procuram por pequenas aberturas nas casas para hibernarem. No entanto, para os seres humanos, elas não apresentam nenhuma ameaça, exceto para quem é alérgico.

Metamorfose da joaninha

Foto de earthswell no Unsplash

Assim como outros insetos, por exemplo, as borboletas, a joaninha apresenta metamorfose completa, ou seja, ao longo da vida, ela passa por quatro estágios perceptivelmente diferentes.

Depois do acasalamento, as fêmeas de joaninha depositam seus ovos fertilizados nas plantas com pulgões. Assim, ao passar cerca de dois a cinco dias, as larvas saem e têm uma fonte de alimentação imediata em uma fase que dura cerca de três semanas.

Com o fim desse estágio, as larvas entram em repouso, como pupas. Depois de uma semana crescendo, a joaninha adulta surge completamente formada e pronta para continuar se alimentando.

O que a joaninha come?

A maior parte das espécies de joaninha é predadora e come outros insetos. Os mais comuns são os pulgões, mas ela também come outros insetos com corpos moles, como ácaros, moscas brancas e cochonilhas. Todos esses animais são considerados pragas nas plantações por se alimentarem das plantas. Por isso, a joaninha é também conhecida como a melhor amiga dos fazendeiros e agricultores.

Quando há escassez de presas, as joaninhas podem comer os próprios ovos e as larvas. Algumas vezes, elas se planejam com antecedência para a escassez e até põem ovos inférteis para sustentar seus filhos.

Há, ainda, outras espécies, como a subfamília Epilachninae, que são praticamente joaninhas vegetarianas, pois só comem alguns fungos, como cogumelos, enquanto outras preferem comer plantas.

Papéis e importância para o ecossistema

A joaninha é uma predadora voraz. Sua capacidade de diminuir as populações de outros insetos, como os pulgões, é valiosa para o ecossistema e ajuda a controlar a destruição de plantas importantes para outros organismos.

Além disso, ela serve como hospedeiro para uma grande variedade de parasitas e parasitóides. E, fazendo parte da cadeia alimentar, ela é presa de muitos outros animais, como aves, mamíferos pequenos e certas espécies de aranhas.

As joaninhas também são importantes para a agricultura, já que controlam determinados insetos que prejudicam as plantas. No entanto, quando são utilizadas com esse fim e colocadas forçadamente em certas plantações, elas podem expulsar outras espécies importantes, desequilibrando o ecossistema.

Isso também pode ser um dos motivos para a diminuição do número de joaninhas. Alguns pesquisadores que estudam o declínio das joaninhas nos Estados Unidos e Canadá apontam que a redução de sua população pode ser devido à introdução de espécies não nativas em determinados lugares, além de mudanças no uso da terra e mudanças climáticas.

Para entender esse problema e ajudar na preservação, há iniciativas como a dos entomologistas da Cornell University que criaram o Lost Ladybug Project. Nesse projeto, qualquer pessoa pode detectar, fotografar e enviar relatos sobre as joaninhas na América do Norte.

De todo modo, a visão dos especialistas deixa o alerta sobre a importância de respeitar os ecossistemas para preservar as diferentes populações de insetos, incluindo as joaninhas.