Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Ibuprofeno é um anti-inflamatório que, se usado em excesso, pode causar efeitos colaterais graves. Conheça alternativas naturais

Imagem de Chinh Le Duc no Unsplash

O ibuprofeno é um medicamento comum, utilizado amplamente para febre, dores de cabeça e inflamação. Sua popularidade faz com que muitas pessoas o utilizem sem a real necessidade. Por isso, vale entender em quais ocasiões esse fármaco é realmente necessário, quais são seus efeitos colaterais e como substituí-lo com alternativas naturais. Veja a seguir!

Para que serve ibuprofeno?

Ibuprofeno é um anti-inflamatório não esteroidal (Aine) disponível em comprimidos, xaropes e como preparação intravenosa. Ele também é analgésico, ajuda a reduzir a febre e tem efeito antiplaquetário, ou seja, protege contra a formação de coágulos sanguíneos.

Esse medicamento atua bloqueando a produção de prostaglandinas, substâncias que o corpo libera em resposta a doenças e lesões, causando dor, inchaço ou inflamação. Essas substâncias também podem ser liberadas no cérebro e causar febre.

Em suma, o ibuprofeno pode ser utilizado para:

  • Febre;
  • Inflamação;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de dente;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nas costas;
  • Artrite;
  • Ferimentos leves.

Contraindicações

O ibuprofeno não é indicado para pessoas que são sensíveis à aspirina ou a qualquer outro anti-inflamatório não esteroidal e para quem tem ou teve úlcera péptica.

Também devem ter cautela ao utilizar esse medicamento pessoas que tenham alguma dessas condições:

  • Asma;
  • Problemas no fígado;
  • Problemas renais;
  • Pressão alta;
  • Ataques cardíacos;
  • Estreitamento das artérias;
  • Cirurgia de revascularização do miocárdio;
  • Experiência de sangramento no estômago;
  • Acidente vascular encefálico.

Além disso, o ibuprofeno também não é recomendado para pessoas com insuficiência cardíaca severa. Em 2015, a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos reforçou seu alerta sobre o aumento do risco de ataque cardíaco ou derrame ao tomar doses mais altas de ibuprofeno.

Como qualquer outro medicamento, é preciso tomá-lo sob orientação médica e segui-la corretamente para evitar qualquer efeito colateral ou reações alérgicas e adversas.

Efeitos colaterais do ibuprofeno

O ibuprofeno pode causar efeitos colaterais como qualquer outro medicamento. Esses são alguns efeitos comuns:

  • Dor de estômago;
  • Náusea;
  • Azia;
  • Gases;
  • Constipação;
  • Diarreia;
  • Vômitos.

    Apesar de raro, tomar ibuprofeno em excesso ou por muito tempo pode aumentar a probabilidade de que ocorra efeitos colaterais mais graves, tais como:

    • Ataque cardíaco e derrame;
    • Diminuição na função renal e aumento da pressão arterial;
    • Úlceras;
    • Sangramento no estômago e no intestino;
    • Insuficiência hepática.

      O que pode substituir o ibuprofeno?

      Algumas opções naturais podem servir como alternativa ao ibuprofeno. Vale dizer, entretanto, que é necessário procurar orientação médica antes de qualquer tratamento.

      Por ser um fármaco anti-inflamatório, alguns alimentos que têm efeito anti-inflamatório podem ser boas alternativas a ele. Conheça algumas opções:

      Cúrcuma

      A cúrcuma, também conhecida como turmérico, açafrão-da-terra ou açafrão-da-índia, é uma planta herbácea originária da Índia e do sudeste da Ásia, de nome científico Curcuma longa.

      Ela contém curcumina, um antioxidante que ajuda a proteger o corpo das moléculas de radicais livres que podem danificar as células e os tecidos. Ela é usada há muito tempo em medicamentos ayurvédicos e chineses como um agente anti-inflamatório.

      Estudos clínicos com cúrcuma indicam que ela pode ser usada para tratamento de diferentes condições, tais como indigestão, úlceras, dor de estômago e psoríase. Outra pesquisa relatou que a cúrcuma funcionou quase tão bem quanto o ibuprofeno para reduzir a osteoartrite.

      A dosagem recomendada de cúrcuma em pó é de 400 a 600 mg tomada três vezes ao dia. Os efeitos colaterais são poucos, mas, com o uso prolongado, pode haver distúrbios estomacais. Por isso, vale sempre manter o cuidado.

      A cúrcuma em pó é comumente utilizada como tempero. É ela, inclusive, que confere a coloração amarela ao pó de curry, um condimento bastante popular em alguns países asiáticos.

      Chá verde

      O chá verde é uma bebida feita a partir da planta Camellia sinensis, que também dá origem a outros tipos de chá, como o chá preto, o chá branco e o oolong. Ele tem propriedades antioxidantes que conferem características preventivas ao câncer e proteção cardiovascular.

      Além disso, o chá verde é considerado um anti-inflamatório natural, podendo ser uma boa alternativa ao ibuprofeno. Nesse caso, a recomendação é de três a quatro xícaras de chá por dia. Vale lembrar que ele contém cafeína e, por isso, pode causar reações em pessoas sensíveis à substância.

      Pimenta

      O princípio curativo da pimenta é a capsaicina, uma resina oleosa que funciona como um ótimo analgésico, inibindo a liberação do principal neurotransmissor de estímulos de dor. A pimenta aumenta a liberação de endorfina e também é eficaz na redução de níveis de lipídios no sangue.

      Além de ajudar a manter equilibrados os níveis de açúcar, ela produz anestesia regional, auxilia na recuperação e reconstituição de tecidos danificados, melhora as funções estomacais e intestinais e ajuda na prevenção de câncer. Pode ser utilizada para perda de peso e para aliviar a dor de neuropatias diabéticas, da osteoartrite e psoríase.

      Raramente a pimenta é utilizada sozinha, podendo ser preparada com outras substâncias anti-inflamatórias nas refeições.

      Casca de salgueiro branco

      A casca de salgueiro branco é um dos mais antigos remédios para dor e inflamação. Nas civilizações antigas, como a egípcio e a romana, ela era utilizada como agente analgésico e antipirético (que diminui a febre).

      O mecanismo de ação da casca do salgueiro branco é semelhante ao da aspirina, por isso, ele pode ser utilizado como alternativa aos anti-inflamatórios como o ibuprofeno. Por esse mesmo motivo, a casca é usada (junto com a unha-de-gato e anis-estrelado, suavizando seu sabor amargo) para alívio de dores de cabeça, de dores musculares, reumáticas, menstruais, ciáticas e de fibromialgia.

      Entre suas contraindicações, ele não deve ser consumido por crianças e por pacientes com úlcera péptica, diabetes mal controlada, distúrbios hepáticos ou renais e em casos que a aspirina também não seria recomendada.

      Unha-de-gato

      A unha-de-gato é um descongestionante, bactericida, antimutagênico e citostático útil nos tratamentos de tumores cancerígenos. É também um anti-inflamatório eficaz para tecidos e terminações nervosas, um desintoxicante renal e intestinal e um bom remédio para diverticulites, colites, hemorroidas, fístulas, gastrites, úlceras, parasitoses, desequilíbrios da flora intestinal e doença de Crohn.

      A unha-de-gato inibe a coagulação e estimula o sistema imunológico, além de aliviar alergias químicas e de pólen, bronquites e asma. Ela pode ser consumida como um chá (1000 mg de casca de raiz para 240 ml de água) ou como um extrato seco em cápsula (de 20 a 60 mg por dia).

      Porém mantenha a atenção: as unhas-de-gato medicinais são de duas espécies: Uncaria tumentosa e Uncaria guianensis. Não confunda com a planta ornamental Ficus pumila, que também se chama unha-de-gato, mas é tóxica.



      Veja também: