Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Pesquisa aponta que fumaça de diesel confunde insetos polinizadores

Um novo estudo publicado na University of Reading indica que a fumaça de diesel pode prejudicar a polinização de plantas. Cientistas apontam que o cheiro dos químicos confunde abelhas e borboletas, que não conseguem cheirar o pólen presente em plantações de mostarda preta.

Foi observado que isso acontece porque a fumaça poluente altera odores florais, que são utilizados pelos insetos polinizadores para localizar fontes de pólen e néctar. 

Cientistas usaram um aparelho de fumigação com óxido de nitrogênio, um gás poluente encontrado em usinas de energia, caldeiras industriais e gases de escape de diesel. Os locais fumigados com a solução receberam entre 62% e 70% menos visitas de insetos polinizadores do que os locais com ausência do químico. 

Em geral, os poluentes resultaram em 90% menos visitas nas plantas, o que reduziu em 31% toda a polinização do local. 

Os insetos analisados no estudo incluíam borboletas, mariposas, abelhas e sirfídeos polinizadores — também conhecidos por moscas-das-flores.

Essa não é a primeira vez que químicos presentes na atmosfera impossibilitaram a polinização feita por insetos. Um estudo publicado no Proceeding of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS) observou os impactos dos pesticidas na abelhas. Foi comprovado que um único contato com certos tipos de inseticidas tem a capacidade de reduzir a população de abelhas significativamente. 

O inseticida usado na pesquisa chama-se o imidacloprido, que é tóxico para as abelhas. O imidaclopride afeta diretamente o sistema nervoso desses insetos — causando um efeito no comportamento e na fisionomia das abelhas. 

Além disso, outros estudos indicam que inseticidas sistêmicos contaminam a melada dos insetos.

Inseticidas, pesticidas e os químicos liberados na fumaça de diesel são todos resultados da intervenção humana no ambiente. Esses poluentes vem criando um histórico de devastação entre o trabalho de insetos polinizadores, o que pode afetar grande parte da produção agrícola. 

Poluentes atmosféricos oferecem diversos riscos à humanidade. Além de seu efeito na saúde, a sua presença pode ameaçar plantações e outras fontes de alimento. É estimado que a polinização feita por insetos suporte 8% de toda a produção agrícola. Além disso, 70% das espécies de plantas são dependentes do trabalho de insetos polinizadores, como a maçã e o morango. 

De acordo com os cientistas da pesquisa, o impacto do diesel era esperado na polinização. Porém, os resultados da pesquisa foram piores do que já era imaginado. A preocupação é de que os poluentes atmosféricos têm consequências não apenas na produção alimentícia, mas também na resiliência do meio ambiente.