Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Entenda mais sobre os impactos positivos que a educação sexual pode fazer

A educação sexual pode ser um assunto polêmico, porém, muitos dados indicam que ela pode afetar positivamente os jovens. Esse método de ensino é uma forma de informar as pessoas sobre informações que podem ajudá-las a tomar as melhores decisões no futuro, seja no sexo ou em relações em geral. 

Embora a conversa sobre educação sexual tenha saído de controle, a maioria das pesquisas sobre o assunto mostram resultados positivos. Principalmente em discussões sobre ISTs, menstruação e gravidez

De acordo com a UNESCO, apenas 34% de jovens entendem sobre a prevenção e transmissão do HIV, enquanto apenas duas entre três meninas de alguns países sabem o que está acontecendo com elas quando estão menstruando. Por isso, e por diversos outros motivos de precaução, a educação sexual é essencial na formação de jovens. 

O que é educação sexual? 

A própria UNESCO vê a educação sexual como uma forma compreensiva de educar e aprender sobre os aspectos cognitivos, emocionais, físicos e sociais da sexualidade. Grande parte dos projetos de educação sexual incluem assuntos essenciais no amadurecimento de jovens, como desenvolvimento pessoal, puberdade, anatomia, sexualidade e identidade de gênero. 

Falta de educação sexual

Em alguns casos, acredita-se que a falta de educação sexual, ou uma focada na abstinência, pode resultar em mais casos de gravidez na adolescência e na contaminação por infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Em contraste, locais onde esses ensinamentos são disseminados, esses casos diminuem. 

É o caso da Suíça, onde programas de educação sexual compreensivos são extensos e estabelecidos por longos períodos de tempo. A UNESCO também comprovou que jovens privados desses ensinamentos são mais vulneráveis a comportamentos sexuais perigosos.

Qual o melhor tipo de educação sexual

O tipo mais eficaz de educação sexual é aquele ensinado na juventude e que prevaleça aos anos escolares dos jovens, mas também que é incluso de todas as sexualidades, identidades de gênero e raças. Ela também deve ser instruída por profissionais de saúde, ou por pessoas que passaram por treinamentos específicos. 

As polêmicas

Embora muitos adultos acreditem que o investimento na educação sexual pode resultar em relações sexuais precoces, um relatório da UNESCO comprovou que esse não é o caso. Afinal, esse tipo de educação frisa constantemente os possíveis riscos que essas relações podem oferecer, além de incentivar um ato seguro. 

O prazer dentro da educação sexual

Uma pesquisa publicada pelo jornal PLOS ONE, indica que o ensinamento do prazer dentro da educação sexual pode ser benéfico para os jovens, além de incentivar atitudes de sexo seguro — incluindo o uso da camisinha. 

Essa tática promove um ambiente seguro e monitorado onde os jovens podem aprender sobre o assunto sem ter que recorrer a outros recursos, como a internet. O incentivo foi criado a partir da necessidade de impedir a proliferação de ISTs e HIV na juventude. O estudo foi feito em conjunto com representantes da OMS em conjunto com o programa The Pleasure Project, que conseguiram achar evidências que apoiam a educação do prazer dentro desses ensinamentos.