Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Empresa escocesa investe em plantações no Oceano Atlântico. Confira

Nos próximos 30 anos a população mundial pode alcançar 9 bilhões de habitantes. Frente a esse crescimento e a escassez de água doce usada no cultivo e preparo de alimentos, novas técnicas de agricultura menos intensivas são desenvolvidas para conseguir suportar o aumento de produção. Por isso, a empresa escocesa Seawater Solutions investiu em uma solução — a cultivação de vegetais em água salgada. 

Com apenas 2% de água doce disponível para o consumo humano, sendo parte de fontes escassas, contaminadas ou presas em geleiras, a produção de alimentos pode estar ameaçada nos próximos anos. Especialistas sugerem que ela deve aumentar em até 70% para acomodar o crescimento populacional. Contudo, as mudanças climáticas são um empecilho para que esses métodos funcionem. 

Enquanto o consumo de água cresce, a seca de diversas cidades ao redor do mundo sofrem com as consequências da crise climática. Cidades como Santiago, no Chile passam por secas devastadoras com o racionamento da água. Porém, regiões conhecidas por suas chuvas também enfrentam o mesmo problema, como o Reino Unido. 

A partir dessa ameaça, a startup com sede em Glasgow foi criada. A Seawater Solutions foi fundada em 2017 e conta com a Agricultura Regenerativa de Água do Mar (RAS na sigla em inglês), um tipo de aquicultura baseada na introdução de espécies tolerantes ao sal e ecologias em terras degradadas. A empresa é responsável por transformar essas terras em um ecossistema artificial de sapal onde é possível extrair alimentos.

Essas plantações, chamadas de halófitas, conseguem sobreviver e prosperar em águas com grande porcentagem de sal

O método ajuda a proteger a costa de inundações e de possíveis erosões, além de ser uma forma de absorção de carbono — podendo ser 30 vezes mais eficaz que florestas tropicais. A adaptação para essas plantações também poderia gerar créditos de carbono para fazendeiros que se interessarem pela mudança. Além disso, esses ecossistemas artificiais são sustentáveis e utilizam fontes renováveis de energia. 

Enquanto os halófitos produzidos pela Seawater Solutions podem ser usados como alimentos, matéria-prima de cosméticos e biocombustíveis, outras plantações similares já usam o método para o cultivo de outros alimentos. A Netherlands the Salt Farm Foundation, por exemplo, cultiva batatas e repolhos com ajuda da agricultura salina. 

Ainda não se sabe se a agricultura salina ou se as técnicas usadas pela Seawater Solutions são as melhores para combater os efeitos das mudanças climáticas, porém, a adaptação de métodos de cultivo são essenciais para o futuro do planeta.