Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Entenda como acontece a movimentação lunar e seus ciclos de 29,5 dias; compostos por quatro fases

O planeta Terra possui apenas um satélite natural, a Lua. Apesar de ser o segundo corpo mais brilhante no céu, a Lua não possui brilho próprio, sendo iluminada pela luz do Sol. Conforme a Lua se desloca em torno da Terra durante o mês, ela apresenta quatro fases diferentes, que constituem o ciclo lunar. De acordo com a luminosidade, a Lua pode ser classificada em cheia, minguante, nova ou crescente.

Por que os ciclos lunares ocorrem?

Ao girar em torno da Terra, a Lua se desloca no sentido leste em relação ao Sol. Isso modifica a incidência de raios solares que a superfície lunar recebe, alterando também a maneira como nós a enxergamos a partir dos hemisférios terrestres. Durante esse caminho de rotação, ela passa por quatro estágios diferentes, conhecidos como fases da Lua, que constituem o ciclo lunar. Cada fase da Lua tem duração de aproximadamente sete dias, influenciando nas marés e em alguns hábitos, como cortar o cabelo.

Eventualmente, ocorre o perfeito alinhamento entre o Sol, a Terra e a Lua, o que dá origem a eclipses. Um eclipse solar acontece quando a Lua passa em frente ao disco solar, podendo ocorrer somente durante a lua nova. Já um eclipse lunar ocorre no momento em que a Lua passa através da sombra da Terra, o que pode ocorrer somente na Lua cheia. Essa transição entre fases era utilizada para contagem do tempo na Antiguidade, de forma que muitos calendários foram criados tendo como base o ciclo lunar.

Ciclo lunar

Ao executar sua trajetória, ocorre a gradual mudança de fases, dividida em quatro etapas principais. Durante a lua nova, nosso satélite natural apresenta sua face não iluminada totalmente voltada para a Terra, de forma que se torna impossível sua observação. Cerca de uma semana após a lua nova, metade do disco lunar torna-se iluminado, caracterizando o quarto crescente. Nesse período, o satélite é visível ao entardecer.

Duas semanas após a lua nova, todo o disco lunar fica iluminado, marcando a lua cheia. O satélite, por estar em posição oposta ao Sol, surge no horizonte leste quase que ao mesmo tempo do pôr-do-sol. Sete dias após a lua cheia, acontece o quarto minguante, em que o disco está novamente iluminado pela metade. Nessa fase, a Lua passa a ser visível somente no período da madrugada.

Por último, sua porção visível diminui até se tornar nula, retornando à fase da lua nova. Após essas quatro fases, o ciclo recomeça, durando cerca de 29,5 dias. Um ciclo completo das fases da Lua é denominado mês lunar ou período sinódico. Uma das características importantes da Lua é a da sincronização de sua rotação e translação, fazendo com que o satélite tenha sempre a mesma face voltada para a Terra em qualquer ponto do planeta.

Influência dos ciclos lunares nas marés

A atração gravitacional da Lua é o motivo dominante de termos marés na Terra. Mais especificamente, a Terra girando sob a Lua uma vez por dia e a Lua orbitando ao redor da Terra uma vez por mês são as grandes razões pelas quais o oceano está constantemente balançando.

Em termos mais simples, a atração gravitacional da Lua cria uma protuberância na água do oceano que está mais próxima dela. Há uma elevação semelhante no lado oposto do planeta devido à inércia da água. Conforme a Terra gira por essas protuberâncias, as marés altas aparecem em cada área costeira a cada 12 horas e 25 minutos. Algumas marés são mais altas do que outras, dependendo da geografia.

O Sol também desempenha um papel: a rotação da Terra, assim como sua órbita elíptica ao redor do Sol, gera marés que variam ao longo do dia e do ano. Mas esse impacto é menos da metade da contribuição da Lua.