Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Células de Schwann podem estar relacionadas a dores de cabeça, alerta estudo

As células de Schwann são células do sistema nervoso responsáveis pela criação da bainha de mielina — o tecido que protege as células nervosas. Elas foram nomeadas após o fisiologista Theodor Schwann, que as descobriu no século XIX.

A sua função na bainha de mielina é essencial para o funcionamento do sistema nervoso periférico, agindo como isolantes e providenciando nutrientes para os axônios (fibras individuais dos nervos) — sendo assim categorizadas em dois grupos, desmielinizante e mielinizante. 

Sendo isolantes, as células de Schwann desmielinizantes permitem que os sinais elétricos adequados sejam enviados através do sistema nervoso. Embora elas não sejam condutoras, as células de Schwann ajudam nessa função. Já as mielinizantes são responsáveis pelo suporte dos axônios não mielinizados.

Além disso, as células de Schwann também ajudam na regeneração de axônios danificados dentro do sistema nervoso periférico. 

Oligodendrócitos

Embora parecidas, as células de Schwann e os oligodendrócitos são diferentes. Teoricamente, os oligodendrócitos oferecem a mesma função que essas células, servindo como proteção da bainha de mielina, porém, eles agem diretamente no sistema nervoso central, e não no periférico. 

Doenças desmielinizantes

A disfunção das células de Schwann pode ser decorrente de alguma doença desmielinizante que ocorre no sistema nervoso periférico. Essas doenças são caracterizadas pela destruição das células de suporte da mielina, que, consequentemente, destrói a mielina.

Existem diversos motivos para essa disfunção das células, seja mutações genéticas, infecções, traumas ou respostas autoimunes. 

As doenças desmielinizantes podem ser crônicas ou agudas, dentre elas estão esclerose múltipla, neuromielite óptica e encefalomielite disseminada aguda. Elas são caracterizadas pela paralisia, reflexos enfraquecidos, perda sensorial, fraqueza e condução nervosa lenta. 

Dores de cabeça

Uma pesquisa publicada na Nature Communications sugere que as células de Schwann têm um papel importante no desenvolvimento de dores de cabeça

Por muito tempo, especialistas debateram a função dos peptídeos relacionados ao gene da calcitonina na dor de cabeça. Embora eles soubessem que eles estavam envolvidos diretamente com a dor, eles não sabiam o motivo. 

Esses peptídeos contêm receptores presentes nas células de Schwann. Na pesquisa, alguns desses receptores foram desativados em ratos de laboratório, o que fez com que os animais não apresentassem dores de cabeça. 

Isso acontece porque, quando os peptídeos relacionados ao gene da calcitonina ligam-se aos receptores nas células de Schwann, o receptor adentra um compartimento chamado endossoma. Dentro do endossoma, os receptores continuam ativos por muito tempo, o que produz óxido nítrico. O óxido nítrico é solto e interage com um canal iônico em um neurônio, que transmite sinais de dor. 

A descoberta fez com que um novo tratamento para a dor de cabeça fosse considerado: interromper os receptores de adentrarem o endossoma.