Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Método de compostagem sem minhocas e oxigênio não emite metano durante degradação da matéria orgânica

Bokashi, um termo de origem japonesa que significa “matéria orgânica fermentada”, é um tipo de compostagem que tem como principal método a fermentação. O produto desse tipo de compostagem é diferente do húmus proveniente da vermicompostagem tradicional com minhocas. No sistema bokashi, o resultado é um líquido chamado “chá de bokashi”, mas ele também é usado como adubo orgânico.

Como funciona?

A compostagem bokashi é realizada por microrganismos em meio anaeróbio, ou seja, com a ausência de oxigênio. Por isso, ela emite menos CO₂ do que a vermicompostagem, além de não gerar CH4, o que pode ser considerada uma vantagem, já que estes gases são alguns dos responsáveis pelo aquecimento global.

Além disso, a bokashi é considerada um dos métodos de compostagem mais rápidos da agricultura orgânica. Todo o processo leva de duas a três semanas para degradar a matéria orgânica e gerar o chá de bokashi.

Você só precisa de um balde com um fundo furado que separe a parte superior (para os sólidos) da inferior (para o chá de bokashi), e que tenha uma torneira na parte de baixo; restos de alimentos e microrganismos eficazes para iniciar a fermentação.

Uma combinação de farelo, melaço e microrganismos eficazes compostos por bactérias Lactobacilli e leveduras Saccharomyces é o suficiente para gerar o composto orgânico líquido.

Esses microrganismos convertem alguns dos carboidratos dos restos de alimentos em ácido lático por meio de um processo de fermentação láctica. Eles também são chamados popularmente de “farelo de bokashi”.

A desvantagem desse método, em comparação à vermicompostagem, é que você ainda vai precisar de húmus e solo para plantar suas sementes.

O que pode ser compostado?

Assim como na vermicompostagem, o método bokashi aceita restos de cascas de alimentos de origem vegetal, casca de ovo, sachês de chá e borra de café. Mas você também pode inserir em pequenas quantidades gordura, laticínios, carne e até ossos.

No entanto, como é um sistema projetado apenas para resíduos alimentares, você não pode compostar grandes quantidades de resíduos de jardim em um sistema bokashi. É importante ter uma grande quantidade de carboidratos para que a bokashi funcione bem, e isto só é possível com restos de alimentos, principalmente os de origem vegetal.

Líquidos em geral não são bons para esse tipo de compostagem, então evite colocar chá e café. Evite também qualquer derivado animal que já esteja muito podre e resíduos que contenham mofo verde ou preto, pois esses fungos competem com os microrganismos da bokashi. Bolores brancos ou amarelos, que são comuns em pão e queijo, podem ser colocados.

Por que fazer compostagem?

Compostar os restos de alimentos, utilizando qualquer método, ajuda a reduzir a quantidade de lixo enviado a aterros e lixões. No Brasil, a matéria orgânica representa cerca de metade dos resíduos gerados pela população. Isso significa que, se todos compostagem em casa, metade do espaço de aterros e lixões não estaria sendo usada, e poderia dar lugar a usos mais nobres como parques e áreas de preservação.