O que é xilitol? Faz mal?

eCycle

Xilitol adoça sem elevar os níveis de insulina no sangue e ainda faz bem para a saúde bucal

xilitol
Imagem editada e redimensionada de Nik MacMillan, está disponível no Unsplash

O açúcar branco tem sido visto como um dos alimentos processados mais prejudiciais da dieta moderna. Por essa razão, os adoçantes sem açúcar, como o xilitol, estão se tornando populares. O xilitol parece e tem gosto de açúcar, mas tem menos calorias e não aumenta os níveis de açúcar no sangue. Vários estudos sugerem que ele tem benefícios importantes, incluindo a melhoria da saúde bucal.

O que é o xilitol?

O xilitol é classificado como um álcool de açúcar. Quimicamente, os álcoois de açúcar combinam características de moléculas de açúcar e moléculas de álcool. Sua estrutura permite que estimulem os receptores gustativos do sabor doce na língua.

O xilitol é encontrado em pequenas quantidades em muitas frutas e vegetais e, portanto, é considerado natural. Os seres humanos até produzem pequenas quantidades por meio do metabolismo normal.

É um ingrediente comum em gomas de mascar sem açúcar, doces, balas, alimentos amigáveis ​​aos diabéticos e produtos de higiene bucal. Ele tem um sabor doce semelhante ao do açúcar comum, mas contém 40% menos calorias:
  • Açúcar de mesa: 4 calorias por grama
  • Xilitol: 2,4 calorias por grama

O xilitol comprado em lojas vem na forma de um pó branco e cristalino. Por ser um adoçante refinado, não contém vitaminas, minerais ou proteínas. Nesse sentido, fornece apenas calorias vazias. Ele pode ser processado a partir de árvores como bétula ou de uma fibra vegetal chamada xilana (confira aqui estudo a respeito: 1).

Embora os álcoois de açúcar sejam tecnicamente carboidratos, a maioria deles não eleva os níveis de açúcar no sangue e, portanto, não contam como carboidratos refinados, tornando-os adoçantes populares em produtos com baixo teor de carboidratos (confira aqui estudo a respeito: 2).

Embora a palavra "álcool" seja parte do seu nome, não é o mesmo álcool que o deixa bêbado. Álcoois de açúcar são seguros para pessoas com dependência alcoólica.

Tem índice glicêmico muito baixo e não aumenta o nível de açúcar no sangue ou a insulina

Um dos efeitos negativos do açúcar branco e do xarope de milho rico em frutose, é que eles podem aumentar os níveis de açúcar no sangue e insulina.

Devido aos seus altos níveis de frutose, também podem levar à resistência à insulina e a múltiplos problemas metabólicos quando consumidos em excesso (confira aqui estudo a respeito: 3, 4). Em contrapartida, o xilitol contém zero de frutose e tem efeitos negligenciáveis ​​no açúcar no sangue e na insulina (confira aqui estudos a respeito:2, 3). Portanto, nenhum dos efeitos nocivos do açúcar se aplica ao xilitol.

O índice glicêmico do xilitol (IG) - uma medida da rapidez com que um alimento aumenta o açúcar no sangue - é de apenas 7, enquanto o açúcar comum é de 60 a 70.

Também pode ser considerado um adoçante amigo da perda de peso, uma vez que contém 40% menos calorias do que o açúcar.

Para pessoas com diabetes, pré-diabetes, obesidade ou outros problemas metabólicos, o xilitol é uma excelente alternativa ao açúcar.

Embora os estudos humanos correspondentes estejam atualmente indisponíveis, estudos em ratos mostram que o xilitol pode melhorar os sintomas da diabetes, reduzir a gordura da barriga e até mesmo evitar o ganho de peso em uma dieta rica em calorias (confira aqui estudos a respeito: 5, 6, 7).

Faz bem para a saúde bucal

Muitos dentistas recomendam o uso de goma de mascar adoçada com xilitol - e por boas razões. Estudos concluíram que o xilitol faz bem para a saúde bucal e ajuda a prevenir a cárie dentária. Um dos principais fatores de risco para a cárie dentária é uma bactéria oral chamada Streptococcus mutans. Embora alguma placa nos dentes seja normal, o excesso estimula o sistema imunológico a atacar as bactérias. Isso pode levar a doenças inflamatórias como gengivite.

Essas bactérias orais se alimentam de glicose dos alimentos, mas não podem usar o xilitol. Por isso, substituir o açúcar por xilitol reduz o alimento disponível para as bactérias nocivas (confira aqui estudo a respeito: 8). Elas não podem usá-lo como alimento, mas ainda assim o ingerem. Depois de absorver o xilitol, as bactérias são incapazes de metabolizar a glicose - o que faz com que suas vias produtoras de energia entupam e elas acabam morrendo. Em outras palavras, ao mastigar chiclete com xilitol ou usá-lo como adoçante, as bactérias nocivas presente na boca morrem de fome (confira aqui estudo a respeito: 9).

Em um estudo, a goma de mascar adoçada com xilitol reduziu os níveis de bactérias ruins em 27 a 75%, enquanto os níveis de bactérias amigáveis permaneceram constantes. Outros estudos, realizados em animais também chegaram à conclusão de que o xilitol pode aumentar a absorção de cálcio no sistema digestivo, protegendo-o contra a osteoporose e fortalecendo os dentes (confira aqui os estudos: 10, 11).

Estudos em humanos demonstraram que o xilitol - seja substituindo o açúcar ou adicionando-o à dieta - pode reduzir a placa e a cárie dentária em 30–85% (confira aqui os estudos 12, 13, 14).

Como a inflamação é a raiz de muitas doenças crônicas, a redução da inflamação da placa e da gengiva também pode trazer benefícios para o organismo como um todo.

Reduz as infecções de ouvido e a candidíase

A boca, nariz e orelhas estão todos interligados. Portanto, bactérias que vivem na boca podem acabar causando infecções de ouvido - um problema comum em crianças. Acontece que o xilitol pode matar de fome algumas dessas bactérias da mesma forma que inibe as bactérias produtoras de placa (confira aqui estudo a respeito: 15).

Um estudo em crianças com infecções recorrentes do ouvido observou que o uso diário de goma de mascar com xilitol reduziu a taxa de infecção em 40%.

O xilitol também combate a levedura Candida albicans , que pode levar a infecções por cândida. Ele reduz a capacidade da levedura de aderir às superfícies, ajudando assim a prevenir a infecção (confira aqui estudo a respeito: 15).

Outros benefícios potenciais para a saúde

O colágeno é a proteína mais abundante do organismo, encontrada em grandes quantidades na pele e nos tecidos conjuntivos.

Alguns estudos em ratos ligaram o xilitol ao aumento da produção de colágeno, o que pode ajudar a neutralizar os efeitos do envelhecimento na pele (confira aqui estudos a respeito: 16, 17).

O xilitol também pode ser protetor contra a osteoporose, pois leva ao aumento do volume ósseo e do conteúdo mineral ósseo (confira aqui estudos a respeito: 18, 19). Além disso, ele alimenta os probióticos do intestino, agindo como uma fibra solúvel e melhorando a saúde digestiva (confira aqui estudo a respeito: 20).

É altamente tóxico para cães

Em humanos, o xilitol é absorvido lentamente e não tem efeito mensurável na produção de insulina. No entanto, o mesmo não pode ser dito para cães. Quando eles ingerem xilitol, o organismo confunde com glicose e começa a produzir grandes quantidades de insulina.

Então as células do cão começam a absorver glicose da corrente sanguínea, o que pode levar a hipoglicemia, ou baixo nível de açúcar no sangue, e até a morte (confira aqui estudo a respeito: 21).

O xilitol também pode ter efeitos prejudiciais na função hepática em cães, com doses elevadas causando insuficiência hepática (confira aqui estudo a respeito: 22).

Só é necessário 0,1 gramas por kg de peso corporal para um cão ser afetado. Sendo assim, um chihuahua 3 kg adoece ao comer apenas 0,3 grama de xilitol. Isso é menos do que a quantidade contida em um único pedaço de goma de mascar.

Se você é tutor de um cão, mantenha o xilitol fora da sua casa. Se você acredita que seu cão acidentalmente comeu xilitol, leve-o ao seu veterinário imediatamente.

Efeitos colaterais e dosagem

O xilitol é geralmente bem tolerado, mas algumas pessoas apresentam efeitos colaterais digestivos quando consomem em grande quantidade. Os álcoois de açúcar podem puxar a água para o intestino ou ser fermentados pelas bactérias intestinais (confira aqui estudo a respeito: 23). Isso pode levar a gases, inchaço e diarreia. No entanto, o organismo parece se ajustar muito bem ao xilitol.

Se você aumentar a ingestão lentamente e dar tempo ao seu corpo para se ajustar, provavelmente não sentirá nenhum efeito negativo. O consumo a longo prazo de xilitol parece ser completamente seguro.

Em um estudo, as pessoas que consumiram uma média de 1,5 kg de xilitol por mês - com uma ingestão diária máxima de mais de 30 colheres de sopa (400 gramas) - não apresentaram quaisquer efeitos negativos.

As pessoas usam álcoois de açúcar para adoçar cafés, chás e várias receitas. Você pode substituir o açúcar por xilitol na proporção de 1:1. Se você tem síndrome do intestino irritável (SII) ou alguma intolerância, tenha cuidado com álcoois de açúcar e considere evitá-los completamente.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail