Como fazer café - conheça vários métodos

eCycle

Coador de pano ou papel? Espresso ou Moka? Conheça métodos usados para fazer café e escolha o seu

Existem várias formas de se fazer café, algumas mais agressivas para o meio ambiente e outras menos. Os métodos de preparo de café permitem resultados bem diferentes, de acordo com o paladar de cada um e o tempo disponível. Para quem tem pouco tempo, é bom optar por uma forma rápida de fazer café, outros podem preferir apreciar uma bebida com sabor mais encorpado ou mais suave, porém mais demorado.

Há ainda a questão ambiental, já que o processo de fazer café pode produzir resíduos como filtros de papel, cápsulas e até os próprios equipamentos usados para fazer o café, que precisarão de manutenção ou substituição caso quebrem.

Como fazer café

Antes de escolher qual o método de preparo mais indicado, é preciso comprar o pó. A maior parte dos pós de café vem em embalagens a vácuo, que são feitas de plástico metalizado, o problemático BOPP, que é de difícil reciclagem - e muitas marcas têm ainda uma embalagem externa de papel. O ideal, do ponto de vista do sabor e da redução de embalagens, seria comprar o café em grão a granel em lojas especializadas, feiras ou mercadinhos, e moer apenas na hora de preparar o café.

Em pó ou em grãos, dê preferência por locais em que seja possível levar um pote reutilizável e pedir ao vendedor que coloque o produto direto ali, evitando qualquer embalagem. Se isso for inviável onde você mora, dê preferência por embalagens recicláveis ou retornáveis. As cápsulas de café de alumínio (e apenas a de alumínio!) também podem ser uma opção nesse sentido, mas só se você se comprometer a levá-las no posto de coleta depois de usadas. No caso do café já moído, dê preferência às embalagens foscas e escuras, pois a presença da luz pode comprometer a qualidade do café.

Comprar a versão em grão permite que você moa o café na hora de prepará-lo, preservando suas propriedades e sabor, além de possibilitar que você faça a moagem dos grãos na espessura certa para o equipamento onde o café será feito. Para isso, porém, é necessário comprar um moinho manual (mais preciso) ou um moedor de café automático - sempre tomando cuidado para fazer o posterior descarte correto desses utensílios ao final de seu ciclo de vida.

Além das embalagens, o filtro é outro rejeito comum gerado pelo ato de fazer café. Presente em vários métodos de preparo, o filtro de café na maior parte das vezes acaba no lixo comum, embora possa ser colocado na composteira doméstica. Essa destinação, no entanto, deve ser moderada, de modo que o mais sustentável nesse sentido é procurar um método de extração do café que não exija o uso de filtro - ou procurar opções de artesanato com filtro de café e usar a criatividade para reaproveitar o material. Já a borra de café pode ser usada na fertilização de plantas, para ajudar na compostagem e até como repelente de insetos.

Métodos de preparo de café

Conheça alguns dos métodos de preparo de café e escolha como fazer café do seu jeito. Listamos alguns prós e contras de cada forma de fazer café quanto à questão ambiental. Como fazer café varia de acordo com a região do mundo e alguns desses métodos são relativamente novos aqui no Brasil, outros apenas pouco conhecidos.

Independente do método escolhido, o ideal é usar água mineral para fazer café. A água filtrada também funciona, só não vale usar a água da torneira, por conta do excesso de cloro, que pode deixar um gosto ruim no café. Conheça detalhes sobre alguns métodos de preparo de café:

Coador de papel

Muito comum e prático, fazer café usando um coador com filtro de papel gera uma grande quantidade de resíduos, como já comentamos. Além disso, são necessários vários apetrechos para preparar o café, como a leiteira para ferver a água, o suporte para o filtro e a garrafa térmica. Uma das vantagens do método é que permite fazer grandes quantidades de café e encher uma térmica grande (ou várias).

Coador de pano

Assim como o método anterior, este também permite fazer café para bastante gente de uma só vez, o que economiza energia e água com a manutenção dos utensílios. A grande vantagem da versão do coador de pano é ser reutilizável, além da possibilidade de se usar um coador feito com algodão orgânico. Muito econômico, o porém desse método é que o coador pode guardar resíduos de café se não for bem higienizado.

Também é possível encontrar versões de mini coador, se você só precisa fazer café para um - e usando um mini coador não é preciso ter uma garrafa térmica ou suporte para o coador (mas tome cuidado na hora de manusear a água quente).

Cafeteira elétrica

Automática, é talvez o melhor método para quem se pergunta como fazer café. A cafeteira faz o café sozinha e na quantidade desejada, mas gasta mais energia na hora de conservar o calor do que se você só fervesse a água no forno - e o aparelho também exige o uso de filtros de papel. Além de ser automática, outra vantagem é que a própria máquina já vem com tudo o que é necessário para fazer café - mas é preciso ter cuidado para descartar a cafeteira do modo correto quando ela pifar.

Máquina de café espresso

Tanto os equipamentos para fazer café espresso em cápsulas quanto as cafeteiras de espresso automáticas são máquinas mais caras e que exigem mais espaço, além de consumirem uma grande quantidade de energia elétrica. No caso das máquinas feitas para cápsulas de café, é preciso escolher também o tipo de cápsula a ser usada. Como o método gera uma enorme quantidade de resíduos, isso pode se tornar um problema se você não os destinar corretamente.

As cápsulas de café de alumínio são recicláveis, já que são compostas apenas por alumínio e café. No Brasil, a principal fabricante garante a reciclagem, mas o consumidor precisa fazer sua parte e devolver as cápsulas usadas em um dos postos de coleta - nesse caso as cápsulas podem ser devolvidas inteiras. Se você consumir outras marcas ou se na sua região ainda não existe um posto de coleta próximo, é preciso fazer a separação do alumínio e da borra de café, destinando o alumínio (de preferência limpo) para a coleta seletiva comum ou posto de reciclagem e a borra para compostagem ou no lixo orgânico.

Já as cápsulas de café de plástico ou outros materiais são um problema, já que sua reciclagem é muito difícil e pouco viável economicamente. Algumas marcas já oferecem serviços de coleta pós-consumo, mas em geral o destino desses resíduos acaba sendo o lixo comum (e posteriormente os aterros sanitários). Desconfie também de marcas cuja cápsula se diz biodegradável, mas para proteger a cápsula da umidade vem em mini-embalagens a vácuo. Se você gosta desse método, entre em contato com a fabricante das cápsulas para saber se ela oferece logística reversa.

A praticidade é um ponto positivo, já que o café sai rápido, em doses individuais e é um tipo de espresso. Saiba mais sobre esse método:

Já a cafeteira de espresso automática é um equipamento bem maior e mais trabalhoso de se usar, mas permite o preparo caseiro de um espresso profissional. A máquina já vem com todos os apetrechos necessários para passar o café (alguns modelos têm até moedor integrado), exigindo apenas que você compre os grãos ou o pó. O gasto energético alto e o descarte também são problemas desse método.

Cafeteira italiana ou Moka

Ideal para servir na hora, fazer café com esse método não exige nenhum apetrecho adicional além da cafeteira em si, que já possui um compartimento para colocar o pó de café e outro para a água. Basta preencher os espaços e levar a cafeteira italiana ao calor. Dê preferência ao modelo de alumínio, que irá durar muitos e muitos anos e é reciclável.

Essa cafeteira faz a quantidade de café de acordo com o tamanho (os maiores modelos são para 12 xícaras), mas para manter o calor é preciso usar uma garrafa térmica. Para evitar o desperdício de café, basta comprar uma cafeteira pequena - existem modelos para apenas uma xícara, que garantem um café relativamente rápido e sempre fresco.

French Press ou Prensa Francesa

Semelhante ao Moka, a French Press também é um utensílio que por si só já te permite ter café fresco - só que é feita de vidro e metal ou de plástico. Para fazer café com a french press, basta misturar o pó (em moagem média para grossa) com um pouco da água fervida, misturar e depois completar com o restante da água. Posicione o êmbulo, espere alguns minutos e empurre-o para coar o café.

Se você for tomar na hora ou em um período de tempo curto não é necessário usar térmica - as boas versões do método são de vidro resistente e guardam o calor por um tempo maior que o da cafeteira italiana, mas bem menor do que se você usasse uma garrafa térmica. Esse método também não é muito bom para quem precisa fazer café para muita gente, mas há modelos de vários tamanhos, variando em geral de 300 ml a 1 litro. O preço do utensílio costuma ser menor que os modelos de cafeteira italiana e está cada vez mais fácil encontrar modelos acessíveis.

Hario

Menos conhecido no Brasil, o método japonês consiste na utilização de um suporte para filtro feito em cerâmica. Ele tem sulcos em espiral presentes em sua extensão, que permitem um fluxo contínuo e homogêneo da extração do café. Há suporte em tamanho grande e na versão mini, para fazer uma xícara por vez, mas é preciso usar o filtro de papel e o método só é vantajoso em termos de sabor para consumir o café na hora. Além do sabor acentuado, percebido melhor se você moer o café na hora, uma vantagem do modelo mini é evitar o desperdício, já que você faz apenas a dose que vai beber.

Clever Dripper

Inventado em Taiwan, o “sistema inteligente de café” começa a aparecer nas cafeterias brasileiras. O método também gera um café coado (e usa filtro de papel), mas funciona como uma mistura do coado com a infusão da French Press. O ideal é fazer com um pó fino ou médio e servir na hora, já que a grande vantagem do clever é o sabor proporcionado pela infusão (que em geral é de 2 minutos). De vidro, o equipamento é mais sensível, além de gerar os resíduos do filtro de papel.

Chemex

Apesar de existir desde 1941, esse método também é novidade no Brasil. Trata-se de uma espécie de jarra usada para filtrar o café, geralmente feita com um vidro resistente. Além do design elegante, fazer café com esse método é fácil e gera uma bebida suave, já que o utensílio usa um filtro de formato exclusivo, feito com três camadas de um papel mais grosso que o normal. O café feito na Chemex é considerado uma bebida bastante limpa, sem resíduos, nem excesso de óleos.

Aeropress

Criado em 2005, esse método chama a atenção dos amantes já experientes na arte de como fazer café, já que permite variações de sabor. A aeropress parece uma grande seringa, de formato cilíndrico e composta por duas peças que se encaixam, criando um vácuo. A extração do café nesse método acontece mesclando três técnicas: inicialmente a infusão, já que o café fica em contato com a água por vários minutos; pela pressão do ar quando o pistão é abaixado, lembrando a extração do espresso; e depois, a filtragem pelo filtro de papel, como um coado.

Esses elementos permitem criar combinações que resultam em cafés de sabor muito distinto, o que atrai os chamados "coffee geeks". Por isso, o ideal é que você já tenha um pouco de prática se quiser fazer café usando a Aeropress.

Conclusão

Analisando o gasto energético, a praticidade dos utensílios e o descarte final de todos os produtos e matérias-primas envolvidos na escolha da melhor forma de como fazer café, acreditamos que a cafeteira italiana, a famosa Moka, seja o método mais sustentável. Ao usar uma cafeteira italiana feita de alumínio, você pode levar o utensílio diretamente ao fogo ou chapa elétrica, o que permite um cafézinho fresco mesmo sem ter fogão. É possível fazer apenas a quantidade que será bebida e a cafeteira é muito resistente a quedas e ao uso, podendo ser reciclada quando quebrar.

Independente do método escolhido, se sobrar café, não jogue fora. Você pode congelar o café velho e usar para fazer café gelado, batidas e frappuccinos(ou até mesmo no preparo de drinques!). Use forminhas de gelo para fazer “gelo de café”, que depois pode ser batido com água, leite ou com bebidas alcoólicas. Guardar cubinhos de café é ótimo para aqueles dias em que o pó de café acabou e você esqueceu de comprar mais, além de evitar o desperdício.


Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×