Foliculite: sintomas, tratamento e prevenção

eCycle

A foliculite é uma doença causada pela infecção na pele, mas possui tratamento, cura e prevenção

Foliculite

A foliculite, condição por vezes popularmente chamada de "pelo encravado", é uma doença de pele causada pela infecção nos folículos pilosos (estrutura complexa que sustenta os fios de cabelo e pelos). Em geral, a foliculite é causada por bactérias ou fungos, mas também pode ter sua origem em vírus e inflamações em pelos que não conseguem se desenvolver normalmente. É uma condição caracterizada por coceira, vermelhidão local e pus, podendo ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos ou cabelos.

Sintomas

Quando a foliculite é superficial, só é afetada a parte superior do folículo piloso. Nesse caso, os sintomas são: pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus; pele avermelhada e inflamada; coceira e sensibilidade na região. Esse tipo de foliculite raramente causa complicação grave.

Quando a foliculite é profunda pode haver formação de furúnculos. Nesse caso, os sintomas são: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; sensibilidade e dor, que em alguns casos pode ser intensa. Nos quadros de foliculite profunda, as chances de cicatrizes são maiores e pode haver destruição do folículo piloso.

O que causa

Qualquer pessoa pode desenvolver foliculite; entretanto, algumas condições aumentam a vulnerabilidade, esses casos incluem: doenças que diminuem a imunidade (como diabetes), leucemia crônica e AIDS; presença de acne ou dermatite; uso de medicamentos, como cremes de corticoide ou terapia antibiótica em longo prazo; excesso de peso, entre outras.

As causas mais comuns da foliculite são a fricção do barbear ou de roupas apertadas; calor e suor, como o ocasionado pelo uso de luvas ou botas de borracha; dermatites e acne; lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas; depilação, curativos de plástico ou fita adesiva nos pelos.

Tipos

Foliculites superficiais

Dentre as foliculites superficiais, o tipo mais comum é a foliculite estafilocócica. Ela acontece quando bactérias - principalmente do tipo Staphylococcus aureus - infectam a pele causando coceira, vermelhidão local e pus, podendo ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos. Arranhões, ferimentos e escoriações predispõem a pele a desenvolver foliculite estafilocócica, uma vez que os estafilococos vivem na superfície corporal o tempo todo e se aproveitam do ferimento para adentrar na pele. 

Outro tipo de foliculite superficial é a foliculite pseudomonas, conhecida popularmente como "foliculite da banheira quente". As bactérias Pseudomonas aeruginosa, que são as causadoras desse tipo de foliculite, se desenvolvem em ambientes aquosos nos quais os níveis de cloro e pH não estejam bem regulados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas. O tempo de desenvolvimento da doença é de oito horas a cinco dias após a exposição à bactéria.

A região da barba também pode ser acometida por foliculite. Nesses casos, o tipo mais comum é a pseudofoliculite. A pseudofoliculite é a inflamação dos folículos pilosos da área da barba causada principalmente pela raspagem dos pelos. Esses últimos, ao crescerem, se curvam e voltam para o interior da pele. Essa condição afeta principalmente homens negros, na face e pescoço, mas também pode ocorrer em qualquer pessoa que depile os pelos do resto do corpo. Esse processo leva à inflamação e pode deixar cicatrizes.

A foliculite ptirospórica é outro tipo de foliculite superficial comum em adolescentes e homens adultos. Ela é causada por um fungo que causa espinhas, pápulas avermelhadas e coceira acometendo normalmente o dorso, o tórax anterior, o pescoço, os ombros, os braços e a face.

Foliculites profundas

As foliculites profundas são aquelas que acometam o folículo piloso inteiro.

Sicose barba:

Esse tipo de foliculite se caracteriza por pequenas inflamações que aparecem primeiro no lábio superior, no queixo e na mandíbula. Essas inflamações podem ser recorrentes, sendo causadas pelo barbear diário. Em casos mais graves, podem deixar cicatrizes.

Foliculite por bactéria gram-negativa:

Usar antibióticos durante muito tempo é umas das condições que levam a esse tipo de foliculite. Isso porque os antibióticos podem desequilibrar a proteção natural da pele, possibilitando que as bactérias gram-negativas se proliferem. Essa condição não costuma ser grave na maioria das pessoas, principalmente se o uso dos antibióticos for suspendido. Na maioria das pessoas não há grandes problemas, principalmente após parar de usar os medicamentos. Em alguns casos, elas podem se espalhar pela face e causar lesões graves.

Furúnculos e carbúnculos:

Quando as bactérias estafilocócicas infectam os folículos pilosos surgem pápulas vermelhas e doloridas, características de furúnculos e carbúnculos. Com o passar do tempo, as pápulas enchem-se de pus e crescem, ficando mais doloridas e, no estágio final, rompem e vazam uma secreção purulenta. O furúnculos menores normalmente não deixam cicatrizes. O carbúnculo (aglomerado de furúnculos) e os furúnculos grandes, por serem mais profundos e graves que um único furúnculo, costumam deixar cicatrizes.

Foliculite eosinofílica:

Esse caso de foliculite acomete principalmente pessoas com HIV e se caracteriza por manchas avermelhadas e feridas com pus que podem coçar, principalmente na face e nos braços. As feridas costumam se espalhar e deixam a pele das áreas afetadas mais escura do que a cor normal. A causa exata da foliculite eosinofílica não é conhecida, embora possa envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

Tratamento convencional

O tratamento da foliculite depende das características de cada quadro. As foliculites bacterianas podem ser tratadas com antibióticos e as fúngicas, com antifúngicos. No caso dos furúnculos ou carbúnculos, dependendo do aspecto de cada um, o médico poderá drená-los para alívio dos sintomas.

A foliculite eosinofílica pode ser tratada com corticosteroides, mas em casos graves é necessária medicação oral. Em pessoas com HIV, também podem ser receitados anti-histamínicos. Os casos menos graves costumam melhorar sozinhos.

Tratamento caseiro

Compressa quente de água e sal

Uma das formas de aliviar a coceira e inflamação causadas pela foliculite é aplicar compressas mornas de água e sal. Para isso, aqueça a água, adicione sal, mergulhe uma toalha e, depois de torcê-la, coloque sobre a região afetada da pele.

Chá de alho

Na hora de fazer a compressa quente pode ser utilizado chá de alho no lugar da água. Isso porque o alho funciona como um antisséptico.

Aloe vera

O aloe vera, também conhecido como babosa, é outra opção para aplicar sobre as áreas afetadas pela foliculite . Esse método, inclusive, pode ser realizado em conjunto com os métodos anteriores.

Prevenção

Uma das formas de prevenir a foliculite é evitar utilizar roupas apertadas. Outros hábitos que também evitam essa condição são deixar de raspar e depilar os pelos corporais; mas se for necessário realizar o procedimento, é indicado massagear os pelos para que fiquem mais amolecidos, assim como passar o barbeador sempre no sentido do crescimento dos pelos. Após terminar o processo, é recomendado passar um hidratante. Também é indicado manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações, e evitar lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele seca e eliminam as bactérias protetoras. Se possível, mantenha a pele hidratada e use barbeador elétrico.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail