Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O narguilé faz mal e, inclusive, é significativamente pior que o cigarro

Imagem editada e redimensionada de Pavel Lozovikov, está disponível no Unsplash

O narguilé, também conhecido como arguile, narguile, narguilê ou shisha, é originário do Oriente Médio, mais especificamente do norte da África e sul da Ásia, mas ele ganhou popularidade nos últimos anos no ocidente. De acordo com estudo, quase um terço dos jovens acredita que fumar narguilé é menos perigoso do que fumar cigarros. Mas, a verdade, é que o narguilé faz mal e, inclusive, é significativamente pior que o cigarro.

Narguilé faz muito mal

Segundo uma pesquisa realizada pela University of Pittsburgh School of Medicine, em comparação ao cigarro, a mesma quantidade de narguilé fornece 25 vezes mais alcatrão; 125 vezes mais fumaça; 2,5 vezes mais nicotina e dez vez mais monóxido de carbono – substâncias extremamente tóxicas e cancerígenas para o organismo humano. Outros estudos ainda mostraram que os fumantes passivos e os trabalhadores da produção dos insumos de narguilé também são expostos a essas substâncias tóxicas.

Para os fumantes de narguilé, os efeitos prejudiciais podem aparecer mesmo se a pessoa fumar somente aos finais de semana ou algumas vezes por mês. De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention, em uma sessão de narguilé, com duração de uma hora – envolvendo 200 inaladas – o fumante absorve 90 mil ml de fumaça. Para se ter uma ideia, um cigarro, que é comprovadamente prejudicial, fornece 600 ml de fumaça em 20 baforadas.

Entretanto, não está claro se os fumantes de narguilé estão mais ou menos expostos a substâncias tóxicas, pois isso depende, também, dos hábitos de cada um. Porém, um estudo envolvendo 1.671 adolescentes árabes-americanos descobriu que fumar narguilé durante a adolescência está correlacionado ao uso futuro do cigarro.

Riscos a longo prazo

Quer você esteja fumando um cigarro ou um narguilé, os riscos são semelhantes. A água de um narguilé não filtra as toxinas. Assim como o cigarro, com o tempo, o risco de desenvolver uma doença decorrente do hábito de fumar aumenta. Dentre as doenças que esse hábito pode desencadear estão:

  • Complicações da função pulmonar, como doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e bronquite;
  • Aumento do risco de doenças cardíaca, como ataques cardíacos;
  • Aumento do risco de câncer, especialmente câncer de pulmão, garganta e boca;
  • Envelhecimento prematuro, pois o fumo pode diminuir a quantidade de oxigênio que chega à pele;
  • Aumento do risco de doenças infecciosas, como mononucleose e herpes oral;
  • Asma;
  • Infertilidade;
  • Osteoporose;
  • Gengivite;
  • Outros tipos graves de câncer

Muitas universidades começaram a aumentar a conscientização sobre os perigos do narguilé, pois mesmo que os jovens tenham idade suficiente para tomar suas próprias decisões, há uma boa chance de que eles não tenham informação o suficiente do que estão fazendo com seus corpos. Garantir que eles sejam educados para tomar uma decisão informada sobre o uso do narguilé é responsabilidade de todos.

Quando se trata de comparar o narguilé com o cigarro, tudo depende de quanto a pessoa fuma e de quão profundamente inala. Mas o que se tem certeza é que, quanto mais aromatizada a essência, mais tóxicos estão presentes.


Adaptado de Medical News Today, Healthline e PubMed

Veja também: