Depressão pós-sexo: você já ouviu falar desse problema?

eCycle

O problema é mais comum entre mulheres, mas também pode atingir alguns homens

Depressão pós-sexo

O sexo proporciona diversos benefícios à saúde, como diminuição de estresse e de ansiedade, traz felicidade, melhora o aspecto da pele, alivia cólicas e TPM, aumenta a imunidade, ajuda a queimar calorias e até diminui riscos de infarto. Mas nem tudo são flores. Você já ouviu falar da depressão pós-sexo (também chama de disforia pós-coito)?

Muitas mulheres e alguns homens podem sentir depressão, sensação de vazio, ansiedade, agressividade com os parceiros e até chorar após o ato em si. E isso não é "frescura"... A Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, fez um estudo sobre os sintomas negativos baseando-se em respostas on-line de 230 mulheres. Exatamente 46% delas relataram já ter experienciado algum dos sintomas alguma vez na vida após a relação sexual.

Qual é a causa?

Ainda não se sabe ao certo com o que a depressão pós-sexo está relacionada, mas os pesquisadores têm indícios de que ela esteja ligada ao cérebro e às substâncias químicas que ele libera durante ou após a relação sexual. Depois do orgasmo, o cérebro libera serotonina e endorfina, ligadas à sensação de prazer - a hipótese levantada é que o excesso dessas substâncias possa promover o efeito contrário quando os efeitos positivos terminam, causando disforia. Outros estudos apontam que o excesso do hormônico prolactina também pode desencadear sentimentos negativos. Também há estudos que relacionam o comportamento a questões evolutivas.

Mas também não se pode diminuir a influência social da depressão pós-sexo. Fatores como educação familiar muito rígida, contextos familiar e cultural e a religião seguida pelo indivíduo podem ter um peso significativo, pois algumas pessoas sentem culpa ou frustração após o sexo devido a pressões morais oriundas das influências citadas. Fatores psicológicos também precisam ser levados em conta, como abusos sexuais sofridos no passado, inseguranças, desequilíbrios neuroquímicos e hormonais e até uma avaliação negativa sobre o próprio desempenho na cama.

Como tratar?

Converse com seu parceiro sobre como você se sente para que seja mais fácil de superar o problema. Amigos também podem ajudar na questão. Outra dica é conhecer seu próprio corpo (toque-se e descubra seus sentimentos e emoções - se algo te aflige, pare e procure entender a razão). Na hora de fazer sexo com seu parceiro, procure esquecer os demais problemas da vida... Foque no momento!

Consultar um especialista também é recomendado. Procure uma médica ou médico e conte o que está ocorrendo. Assim, será possível saber se os problemas são emocionais, hormonais ou ambos.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail