Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Vento solar é um fluxo de partículas ionizada

Vento solar é um fluxo de partículas ionizadas, predominantemente núcleos de hélio ionizados e elétrons, que se forma a partir da enorme diferença de pressão entre a coroa solar e o espaço interplanetário. Como o gradiente de pressão decresce com o inverso da distância radial, mais lentamente que a atração gravitacional que decresce com o inverso do quadrado da distância, o vento é acelerado a velocidades muito altas, da ordem de centenas de quilômetros por segundo.

Por possuir uma origem muito complexa e pela inexistência de medidas in situ, ainda restam muitas lacunas a serem preenchidas sobre a geração do vento solar. Diferente de outras áreas da física, o conhecimento de suas propriedades é mais baseado em observações do que em fundamentação teórica.

Tipos de vento solar

Em relação à região geradora, o vento pode ser dividido em vento solar rápido e vento solar lento. O vento rápido é originado nos buracos coronais, regiões mais frias e menos densas da coroa solar, podendo atingir picos de velocidade da ordem de 900 km/s. Estão associados a linhas de campo magnético “abertas”, semelhantes às de um polo magnético, facilitando assim o escapamento das partículas carregadas. Já o vento lento se origina em regiões de baixas latitudes, mais próximas ao equador do Sol, atingindo velocidades da ordem de 300 km/s.

A região em que o campo magnético terrestre domina os processos em relação ao vento solar é denominada magnetosfera. Esse campo é gerado predominantemente por correntes elétricas que fluem no interior do planeta e, devido à ação do vento solar, a magnetosfera se encontra confinada em uma região finita e bem delimitada do espaço interplanetário.

O campo magnético associado ao vento solar controla o acoplamento entre o vento e a magnetosfera, mediando a transferência de energia através do processo de reconexão magnética. Dessa forma, variações no vento solar afetam a estrutura dinâmica da magnetosfera, refletindo-se em perturbações no campo geomagnético, as chamadas atividades geomagnéticas.

Efeitos do vento solar

Algumas pesquisas sugerem que o vento solar foi o responsável pela varredura da atmosfera de planetas próximos ao Sol. Em razão da intensidade do seu campo magnético, a Terra é capaz de diminuir esse efeito: quando as partículas provenientes do Sol chegam até nós, elas são defletidas pela força magnética, fazendo um movimento de espiral no céu e perdendo parte de sua energia cinética por causa do atrito com a atmosfera terrestre. Essa interação gera um espetáculo natural conhecido como aurora polar.

Além do vento solar, existem as ejeções de massa coronal: erupções violentas provenientes da coroa solar. Ao atingirem a Terra, elas podem causar tempestades geomagnéticas e danos a aparelhos elétricos, interferência nas telecomunicações e mudanças nas órbitas de satélites. Além disso, alguns íons provenientes do vento solar são dotados de alta energia, sendo capazes de danificar tecidos e a estrutura das moléculas de DNA.