Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Quer parar de comer carne, mas não sabe como? Conheça os tipos de vegetarianos e entenda qual dieta pode ser a melhor para você

Desde os primeiros relatos da sociedade que surgiu na Inglaterra em 1847 que foi apelidada de “vegetariana”, o termo vem se adaptando para incluir os diversos tipos de vegetarianos. A necessidade de uma nova nomenclatura surgiu pelas mudanças de algumas dietas, além de seus possíveis motivos para se adaptar a elas. 

Embora algumas mudanças, o vegetarianismo é uma dieta que exclui alguns produtos derivados de animais da dieta — a carne vermelha sendo o principal. Porém, em alguns tipos de vegetarianismo, outras carnes também são evitadas. 

Existem vários motivos para que uma pessoa se torne vegetariana, e isso pode se manifestar na dieta escolhida. Afinal, o vegetarianismo possui diversos benefícios para o corpo, meio ambiente e para os animais. 

A Sociedade Vegetariana Brasileira reconhece quatro tipos de vegetarianismo mais o veganismo — que é mais que uma dieta e é considerado um estilo de vida. Entretanto, existem outras categorias de alimentação que são consideradas partes do vegetarianismo. Entendê-las pode te ajudar a escolher uma nova dieta ou estilo de vida para seguir, pelo motivo que quiser. Confira a seguir. 

Ovolactovegetariano 

Os ovolactovegetarianos, amplamente conhecidos apenas por “vegetarianos”, são aqueles que excluem todos os tipos de carne, mas que consomem leite, ovos e derivados. Talvez seja a variação do vegetarianismo mais conhecida, em conjunto com o veganismo e pode oferecer diversos benefícios à saúde.

Sendo essencialmente uma dieta sem carne, o ovolactovegetarianismo pode ajudar na saúde do coração, emagrecimento, prevenção do câncer e de outras condições e diminuir a inflamação. Por outro lado, ela também pode oferecer benefícios ao meio ambiente.

Lactovegetariano 

Sendo uma vertente do ovolactovegetarianismo, o lactovegetarianismo também exclui todo tipo de carne e tem o adicional dos ovos. Entretanto, o lactovegetariano ainda consome leite e seus derivados, como queijos, iogurtes e manteigas. 

Esse tipo de vegetarianismo é mais comum em algumas religiões, como o Jainismo, Hinduísmo e Budismo. Porém, pode ser adaptada fora dessas religiões com o intuito de diminuir o consumo de alimentos de origem animal. 

Ovovegetariano 

Ao contrário do lactovegetariano, o ovovegetariano não consome nenhum tipo de laticínio, mas consome o ovo. Existem vários motivos para a adaptação a essa dieta específica, entretanto, a maior é de que alguns tipos de vegetarianos gostam do leite e preferem mantê-lo em sua dieta por conta de seus valores nutricionais.

Vegetariano estrito 

A dieta vegana, também conhecida por vegetarianismo estrito, descarta o consumo de todo e qualquer tipo de alimento derivado dos animais. Ela envolve a exclusão de todo tipo de carne, laticínios, ovos e, em alguns casos, o mel. Diferentemente das outras dietas, o vegetarianismo estrito contém a ética como motivo principal de suas restrições alimentares. 

O movimento vegano é uma forma de ativismo que preza pelo bem-estar animal, mas que vai além da alimentação. Enquanto o vegetariano estrito foca na restrição alimentar, o vegano se isenta da consumação de qualquer produto de origem animal, o que inclui a alimentação, vestuário e cuidados pessoais. 

É possível ser vegetariano estrito sem a transição para o veganismo, porém, a dieta é a mesma. A maior diferença entre os dois movimentos é o estilo de vida seguido. 

Pescetariano

O pescetarianismo é um tipo de dieta excludente de todos os tipos de carne, exceto pelo peixe e outros frutos do mar. O termo surgiu durante os anos 90 e combina a palavra “pesce” (peixe em italiano) e “vegetarianismo”.

Essa dieta também pode ter algumas vertentes, como o consumo de ovo e leite. Alguns pescetarianos preferem mantê-los na dieta, porém, outros seguem um pouco do vegetarianismo estrito, mas mantendo a carne de peixe. 

A dieta pescetariana é seguida, em grande parte, pelos benefícios à saúde. Ela conta com os benefícios do corte da carne vermelha, mas mantém alguns possíveis benefícios à saúde dos peixes, como o consumo do ômega-3. Contudo, como ainda consome parte de alguns animais, muitos não consideram o pescetarianismo como uma vertente do vegetarianismo, e sim como uma dieta diferente que contém algumas similaridades. 

Flexitariano

Os flexitarianos (ou flexetarianistas) não são considerados vegetarianos e nem veganos. A dieta flexitariana tem o objetivo de diminuir o consumo de produtos animais e proporcionar benefícios à saúde e ao meio ambiente. 

Porém, seus participantes ainda podem consumir esses produtos e por isso não são reconhecidos como tipos de vegetarianos na maioria das vezes. A redução do consumo desses produtos pode, entretanto, ser um caminho para adotar outro tipo de dieta mais restrito, como o ovolactovegetarianismo e o vegetarianismo estrito. 

O que escolher? 

Não existe uma escolha certa no caminho de uma dieta à base de plantas. Todas as dietas anteriores são repletas de benefícios à saúde e ao meio ambiente, sendo majoritariamente excludentes da carne vermelha — que é comumente conhecida como vilã ambiental e da saúde humana.  

A consequência da diminuição do consumo de carne é a redução de sua procura, que pode desacelerar a sua produção. Isso significa que alterações na dieta podem mudar o cenário do planeta e contribuir para a melhora do planeta. 

De acordo com um estudo, se todos os americanos cortarem o seu consumo de carne em pelo menos 25%, existiria a redução de 1% das emissões anuais de gases do efeito estufa. E embora o número pareça pequeno, esse corte pode beneficiar as florestas tropicais e, consequentemente, sua população — como os indígenas. 

Por outro lado, o consumo excessivo de carne e produtos de origem animal pode ser prejudicial à saúde humana, com evidências relacionadas ao câncer, doenças cardiovasculares, doenças metabólicas, obesidade, diabetes e a episódios de acidente vascular cerebral. Além disso, a ingestão de carne também promove o surgimento e a disseminação de patógenos resistentes a antibióticos. Portanto, esses estilos de vida também promovem uma saúde melhor.

A escolha de que tipo de vegetarianismo seguir é inteiramente sua e deve ser adaptada aos seus hábitos, necessidades e preferências. Não se sinta pressionado e faça as mudanças que preferir! O vegetarianismo é um movimento bom, não importa o caminho, e deve ser respeitado pelo que é.