Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conheça as características e importância da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná para o Brasil

A Bacia Hidrográfica do Rio Paraná é uma das mais importantes do Brasil. Ela banha uma área de alta relevância econômica para o país e está na região que mais demanda recursos hídricos para a  atividade industrial. Além disso, a Bacia Hidrográfica do Rio Paraná apresenta uma grande disponibilidade de solos férteis, recursos hídricos e naturais.

Localização da Bacia do Paraná

A Bacia do Rio Paraná abrange uma área de 1,5 milhões de km². Destes, 879.873 km² estão localizados em território brasileiro e engloba os estados do  Paraná, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul, de São Paulo, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, de Goiás e do Distrito Federal. Fora do Brasil, ela banha o nordeste da Argentina, o leste paraguaio e o norte do Uruguai.

Os principais rios dessa bacia são o Paraná, Grande, Iguaçu, Paranaíba, Tietê, Paranapanema, Ivaí e Tibagi. Eles estão localizados em regiões de população majoritariamente urbana (cerca de 93% da região) e possuem grande densidade populacional, estando localizados em estados como São Paulo, Brasília e Curitiba.

No Brasil, a Bacia do Paraná  corresponde à Região Hidrográfica do Paraná, sendo uma das 12 regiões hidrográficas do Brasil, segundo a Divisão Hidrográfica Nacional feita pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH). Sua nascente fica localizada na junção dos rios Grande e Paranaíba, sendo a sua foz no rio da Prata. Quando a bacia hidrográfica do Paraná se junta com a do Paraguai e Uruguai, elas formam a Bacia Platina, ou bacia do rio da Prata. Para uma melhor visualização, veja o mapa abaixo:

bacia-do-parana
GeoPotinga / Wikimedia Commons / Public Domain

Quais são as características da Bacia do Paraná?

Dados do Inmet mostram que a precipitação média da bacia é de cerca de 1.543mm, um pouco abaixo da média nacional de 1.761 mm. A sua disponibilidade hídrica corresponde a 6,5% de todo o País, com cerca de 5.956 m³/s. Essa bacia é responsável por abastecer cerca de 31% da demanda nacional, sendo retirados 736 m³/s. A demanda hídrica da Bacia do Paraná é voltada ao abastecimento das indústrias, regiões metropolitanas e irrigação agropecuária.

Essa bacia também é uma extensa bacia sedimentar, apresentando uma geologia formada por um conjunto de rochas sedimentares e vulcânicas que estão instaladas acima de rochas mais antigas, do escudo cristalino brasileiro. As suas rochas presentes são resultado de um longo processo que passam por diferentes períodos geológicos, iniciando na Era Paleozoica (470 milhões de anos) e avançando até a Era Mesozoica (65 milhões de anos atrás).

Essa geologia serve para o fornecimento de muitos recursos naturais, incluindo  carvão e petróleo. Além de servir para o armazenamento de uma extensa área de água subterrânea e de arenitos, basaltos e argilas que servem como insumos para a construção civil.

Seu relevo é formado em grande parte pelo planalto da Bacia do Paraná, tendo sua superfície irregular, dificultando sua navegação em certos pontos. Esse relevo acidentado também confere à Bacia do Paraná um alto potencial hidrelétrico (de geração de energia elétrica pela água), sendo a principal usina a Binacional de Itaipu.

O clima dessa região é predominantemente subtropical úmido, com um grande índice de chuva e alta taxa de sedimentação quando comparada a regiões mais secas.

Qual é a importância da Bacia do Paraná?

A função primária dessa bacia é de abastecimento. Ela serve como irrigação de vários lotes de terra, principalmente nos estados de São Paulo, Goiás e Minas Gerais, sendo responsável por abastecer 36% das áreas irrigadas no Brasil. Além disso, a bacia é de grande importância para as indústrias de celulose, papel, produtos químicos, alimentos e bebidas (o setor que mais consome essa água). Já a demanda urbana corresponde a  24% do consumo total de águas.

Essa região apresenta o maior aproveitamento do potencial hidrelétrico disponível no País, sendo cerca de 68,4% do seu potencial hidrelétrico total já aproveitado. Além disso, seu potencial hidrelétrico corresponde a cerca de 47,5% do total instalado no Brasil. As usinas hidrelétricas mais importantes são: Itaipu, Ilha Solteira, Itumbiara e Porto Primavera.

Ainda, ela conta com a extensa hidrovia do Paraná, que totaliza 1.800 km de extensão, e cortando apenas o Estado de São Paulo.

Então, por mais que essa região tenha um grande papel em diversos setores econômicos do Brasil, sua intensa exploração desenfreada pode acabar levando à poluição por resíduos não tratados (esgotos e “restos” da indústria), ao assoreamento dos rios pelo desmatamento da cobertura vegetal e à poluição dos recursos hídricos por agrotóxicos e fertilizantes.

Outros fatores que valem ressaltar é o impacto das estruturas das usinas para a dinâmica da vida aquática, que pode ser afetada radicalmente, comprometendo a biodiversidade que ocupa a região. Há também constantes conflitos de uso desses recursos hídricos entre todas as atividades citadas anteriormente. Para saber mais sobre a Bacia do Paraná, acesse o pdf do Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos (SNIRH).