Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Para entender o que é gênero, é preciso ter em mente que a sua definição difere do sexo biológico e da sexualidade

O que é gênero? Você certamente já se fez essa pergunta. Isso porque muito se fala sobre os papéis do gênero feminino e masculino na sociedade. No entanto, a ideia de gênero acaba se confundindo com outros termos, o que pode criar uma gama de preconceitos contra aqueles que se opõem ao senso comum. 

O que é gênero? 

Para saber o que é gênero, é preciso entender que ele é uma construção social. Uma ideia que está ligada às características que a sociedade atribui a homens, mulheres, meninos e meninas durante a vida. O gênero é formado por normas, atitudes e papéis que são diretamente ligados ao que as pessoas enxergam como ser homem ou mulher

A ideia de gênero se modificou conforme o tempo, e até hoje, é diferente de acordo com a sociedade que ele se inclui. Apesar de grande parte da humanidade atual enxergar o gênero como algo binário, centrado apenas em homem e mulher, ele vai muito além disso e pode acabar interferindo na maneira como as pessoas se tratam e agem em conjunto.

Por não saberem de forma concreta o que é gênero, muitos indivíduos acabam dando ao gênero o conceito de sexo ou sexualidade. Porém, essas três coisas, apesar de terem certa ligação, são totalmente diferentes uma das outras. Entender o que os difere pode ser essencial para saber o que é gênero.

 Gênero é diferente de sexo

Quando um ser humano nasce é comum que seja referido a ele um sexo biológico. Esse sexo pode ser feminino, masculino ou intersexo. Isso acontece tanto em animais quanto em seres humanos. A definição de sexo biológico está ligada ao físico do ser vivo e suas caracteristicas corporais, incluindo os cromossomos, genes de expressão, níveis de hormonios e funcionamento da anatomia sexual e reprodutiva. 

De acordo com a medicina, a vagina é o órgão que designa se uma pessoa é de sexo feminino. Assim como o pênis diz se o recém-nascido é do sexo masculino. Outros fatores como quantidade de testosterona, estrogênio e de cromossomos são responsáveis por informar aos profissionais de medicina qual o sexo biológico de uma pessoa. 

Porém,algumas pessoas nascem com uma diferença significativa de cromossomos ou problemas em sua balança de hormônios. O que mostra certa fragilidade na forma como a humanidade define cada indivíduo. 

Em decorrência da ciência atual só denominar o sexo como masculino e feminino, existe uma grande discussão sobre gênero se restringir apenas a homens e mulheres. Isso porque a definição de gênero é confundida com a de sexo. No entanto, apesar de comumente as pessoas de sexo feminino se identificarem com genero feminino, o mesmo com o masculino, nem sempre essa é a situação. 

Por isso, a característica física do sexo biologico não está diretamente ligada ao gênero. Afinal, ele por sua vez, é uma construção social que se define como as atitudes, expressões, identidades e papéis de cada pessoa em relação à sociedade.  

Pessoas transgênero

Por isso, quando se entende o que é gênero, é possível perceber porque ele não é a mesma coisa que sexo biológico. Um exemplo que pode ser dado é a situação de pessoas transgênero. Esses indivíduos não se identificam com o gênero que os foi atribuído ao nascimento, e por isso, quando crescem decidem expressar o gênero ao qual eles se identificam.    

Essas pessoas quebram o padrão e vão contra a ideia de que uma pessoa que nasceu com pênis deve se portar como um homem durante sua vida. Ou, um indivíduo que nasceu com uma vagina deve se portar como uma mulher. Afinal, a definição de gênero está relacionada mais a como uma pessoa se porta e se vê na sociedade, do que ao sexo biológico.  

Caso o indivíduo corresponda as expectativas citadas acima, então ele é identificado como cisgênero. Ou seja, alguém que se identifica com o gênero que lhe foi dado ao nascer. 

Gênero é diferente de sexualidade

Muitas vezes quando uma pessoa se identifica como transgênero, a sociedade entende como algo ligado à sexualidade. Portanto, algumas pessoas não conseguem entender que mesmo que alguém se identifique como uma mulher trans, não significa que ela não possa se entender como um individuo heterossexual ou homossexual. 

A sexualidade é definida pela atração sexual ou romântica do ser humano a outras pessoas, sejam elas do gênero oposto, do mesmo gênero ou até mesmo indiferente da ideia de  gênero. Uma pessoa trans pode sentir atração tanto por pessoas do mesmo  gênero, sendo homossexual, ou pelo  gênero oposto, sendo heterossexual. Elas ainda podem sentir atração por todos os gêneros, podendo ser bissexuais ou panssexuais.

O fato do indivíduo não se identificar com com o gênero que lhe foi atribuído ao nascer, não tem muito a ver com a sua sexualidade. Pessoas trans apenas não se enxergam encaixadas dentro das normas e atitudes que lhes foram designadas quando crianças.

Gênero na sociedade 

No Brasil, o gênero é considerado algo binário dentro do senso comum. No entanto, essa ideia tem se tornado cada vez mais questionada, já que o número de pessoas que não se identificam abertamente com esses padrões têm crescido. 

Isso se fortalece ainda mais quando surgem estudos que provam que em outras culturas, como a indigena, a existência do gênero era algo diverso. Desta forma, nessas outras sociedades, existiam mais de dois géneros e as normas e padrões designados a cada um eram totalmente diferentes e mudavam de acordo com o passar do tempo.

As expectativas da sociedade em relação aos gêneros são diferentes em cada país e cultura. Algumas são mais rígidas que as outras, ou são mais cercadas de estereótipos e preconceitos. Certos problemas relacionados à ideia de gênero são considerados universais, como o machismo ou a transfobia. 

Preconceito de gênero 

Machismo

Os estereótipos de género e a sua ideia de binariedade reforçam problemas como o machismo. No machismo, existe a ideia de que o homem é superior a mulher, seja fisicamente ou emocionalmente. Pessoas machistas também não acreditam que possa existir uma igualdade entre os gêneros, e dessa forma acabam favorecendo aqueles de gênero masculino. 

Ao entender o que é gênero, é possível perceber que existem certas normas perpetuadas pela sociedade que diminuem a existência do gênero feminino. Logo, foi criada a ideia de que mulheres não devem ter certos comportamentos ou terem certo poder na sociedade, pois elas seriam geneticamente inferiores aos homens. 

Essa é uma ideia preconceituosa e machista, que desassocia a imagem da mulher do ser humano e passa a enxergá-la como objeto. 

Transfobia 

Quando se entende o que é gênero e o que é uma pessoa transgênero, também é preciso saber como esses indivíduos sofrem perante uma sociedade binária. Muitas das vezes, devido a crenças em definições ultrapassadas, as pessoas podem apresentar atitudes preconceituosas relacionadas àqueles que são transgênero. 

Esse preconceito é chamado de transfobia. Ela acontece principalmente pelo fato de pessoas cisgênero não entenderem a diferença entre o que é genero e o que é sexo biológico. Ao entrarem em contato com alguém que se identifique como transgênero, essas pessoas acabam expressando incômodo, estranhamento ou até mesmo violência.

O Brasil está no ranking de países que mais matam pessoas trans no mundo todo. Em uma das pesquisas mais recentes, cerca de 175 travestis e mulheres transsexuais foram assassinadas no país apenas pelo fato de serem elas mesmas. 

Abolicionismo de gênero

Existe uma vertente do feminismo atual que apoia o abolicionismo de gênero. A ideia propagada por essa comunidade é que a existência dos gêneros gera opressão, criando papéis e socializações diferentes para os seres humanos. Desta forma, para acabar com os preconceitos e os estereótipos de gênero, a melhor solução seria abolir de uma vez a separação. Tornando as pessoas livres para se tornarem quem quiserem.