Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Embora o gosto peculiar desses animais, ainda não se sabe os possíveis efeitos da digestão de polímeros

Uma pesquisa da Sociedade Americana de Química (ACS) comprovou que algumas espécies de minhoca preferem se alimentar de solos poluídos por microplásticos. Contudo, de acordo com o estudo ainda não se sabem os impactos dessa “dieta” dos animais. Especialistas sugerem que os plásticos podem causar danos à saúde desses invertebrados, tanto pelo próprio material quanto pelas substâncias tóxicas liberadas por ele. 

Entretanto, de acordo com uma pesquisa publicada pelo jornal Ciência e Tecnologia Ambiental dos Estados Unidos em 2019, o microplástico é responsável por alguns efeitos nocivos aos invertebrados. A sua presença no solo é capaz de atrapalhar o crescimento das minhocas, além de causar a perda de peso nos animais. 

Os resultados da pesquisa apontam para possíveis problemas ambientais, uma vez que as minhocas são essenciais para diversos ecossistemas. As minhocas são responsáveis pela decomposição de matéria orgânica, além de serem capazes de fazer alterações no solo. Perder essas espécies resultaria no desequilíbrio de ecossistemas, assim como na perda da biodiversidade.

Uma das soluções encontradas para o problema dos plásticos foi a criação do bioplástico, um composto feito de materiais naturais, como as plantas. Porém, para testar a probabilidade das minhocas ingerirem esse tipo de plástico, os cientistas da pesquisa conduziram uma série de experimentos. 

Foi comprovado que as minhocas preferem o bioplástico feito a partir de ácido polilático ou o plástico normal derivado do petróleo (como o PET), porém evitam a ingestão de plásticos semi-sintéticos. Os cientistas que trabalharam na pesquisa acreditam que a atração das minhocas por esses tipos de plástico se dá por conta do odor do material, que possivelmente os lembra de algum alimento. 

Também foi possível comprovar que os animais são responsáveis pela degradação do plástico, possibilitando a sua fragmentação em pedaços ainda menores que o microplástico. 

A poluição por microplásticos é um problema global. Essas partículas já foram encontradas nos cantos mais remotos da Terra e sua remoção do solo e do oceano são quase impossíveis por conta de seu tamanho. 

Embora a preferência por bioplástico das minhocas, a produção do plástico convencional ainda cresce em níveis exponenciais, o que contribui para a poluição e pode resultar em problemas futuros para esses animais. Novas pesquisas precisam ser feitas para observar maiores efeitos nos organismos das minhocas, já que a solução para a descontaminação do solo desses materiais ainda não foi descoberta.