Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Lasso, desenvolvida por start-up britânica, tem sensores que limpam e separam lixo para reciclagem

Imagem: Divulgação/Lasso

Já imaginou ter um “robozinho” em casa que se encarregasse pessoalmente de coletar, limpar e separar o seu lixo para reciclagem? Graças à start-up britânica Lasso Loop Recycling, esse agradável cenário hipotético está prestes a se tornar realidade. A Lasso, primeiro aparelho doméstico de reciclagem do mundo, foi um dos destaques do evento de tecnologia Consumer Electronics Show – CES, que aconteceu esta semana, de segunda a quinta-feira (14), em formato digital.

A máquina está no mercado há pouco mais de um ano, mas vem sendo desenvolvida há mais de dez. Com design elegante e ocupando pouco espaço na cozinha, a Lasso lembra uma discreta minigeladeira. Ela é equipada com uma bandeja, onde o usuário deverá depositar os materiais descartados, e uma série de sensores e câmeras, capazes de analisar as embalagens e decidir se elas são recicláveis ou não.

Processo automatizado facilita reciclagem

Se algum material depositado na bandeja não estiver em condições de ser reciclado, a máquina é inteligente o bastante para devolvê-la ao usuário. Já o restante seguirá para a próxima etapa: um processo de higienização a vapor para remover restos de comida, gordura, rótulos e impurezas. Em seguida, a Lasso vai separar o lixo de acordo com a classificação adequada e moer tudo, silenciosamente. Por fim, os materiais são enviados para caixas de armazenamento interna, localizadas na parte inferior da máquina.

Assim que as caixas estiverem cheias – o que deve acontecer de três a oito vezes por ano –, o usuário receberá uma notificação push, por meio de um aplicativo, para agendar a coleta do material pela empresa responsável, garantindo que tudo seja realmente reciclado. Essa garantia significa que todos os materiais serão reaproveitados e não acabarão nos oceanos ou em aterros sanitários. O processo é quase todo automático: as únicas tarefas do usuário são depositar o lixo na bandeja da máquina e agendar a coleta via app.

Segundo Aldous Hicks, CEO da Lasso Loop Recycling, o protótipo da máquina deve ser concluído ainda neste trimestre. Reservas do produto estão abertas no site da empresa, mas não há informações sobre o preço final de etiqueta no momento. Quando a versão final estiver pronta – provavelmente no final do ano que vem ou em 2023, de acordo com Hicks –, estima-se que o consumidor interessado em adquirir uma Lasso terá de desembolsar cerca de 3.500 dólares.

Apesar do valor elevado, a Lasso afirma que os clientes podem “receber devoluções em dinheiro após cinco anos de propriedade do produto, dependendo do consumo”. Por enquanto, porém, esse é um modelo de negócio teórico. A start-up ainda precisa finalizar o produto, concluir o projeto-piloto e, provavelmente, levantar mais capital para colocar a teoria em prática.

A empresa encara seu sistema de pré-triagem como uma forma de incentivar um sistema de reciclagem de circuito fechado, garantindo que materiais de alta qualidade voltem a entrar na cadeia de reciclagem. Como toda a triagem é feita corretamente em casa, os centros de reciclagem não terão de gastar dinheiro com trabalhadores para separar vários materiais.

No entanto, existem algumas desvantagens no conceito da Lasso. Por enquanto, a empresa tem como alvo sete materiais: alumínio e aço, além de dois plásticos e três tipos de vidro. Papel e papelão, que são usados ​​para a maioria dos pedidos de delivery online, não estão na lista.


Fontes: Engadget, Lasso e Wired

Veja também: