Todos os tipos de vidros são recicláveis?

eCycle

Conheça as especificidades de cada tipo de vidro e a possibilidade (ou não) de reciclá-los

O vidro é uma substância inorgânica, homogênea e amorfa, feita à base de sílica (areia). Suas principais qualidades são a transparência e a dureza. O vidro pode ter composição variada dependendo da propriedade ou função que exercerá, como garantir segurança ou ter alta refletividade.

Apesar do alto potencial de reciclagem do vidro, nem todos os tipos de vidro podem ser reaproveitados ou reciclados. Em geral, vidros compostos por diversas substâncias ou fabricados com técnicas próprias tornam o processo de reciclagem muito trabalhoso, custoso ou até impossível de ser realizado.

Por volta do século 100 a.C., o vidro era utilizado somente para proteger os indivíduos de intempéries. Por conta do avanço tecnológico alcançado nos últimos anos, o vidro passou a desempenhar um papel fundamental nas construções modernas, combinando sua característica principal de transparência com outras propriedades, tais como controle acústico, controle térmico, proteção contra o risco de ferimentos, barreira contra raios ultravioleta, proteção contra incêndios e até na decoração de interiores.

Composição do vidro

A grande maioria dos vidros são compostos por:

  • 72% Sílica (SiO2) - responsável pela função vitrificante;
  • 14% Sulfato de Sódio (Na2So4) - aumenta a resistência mecânica;
  • 9% Óxido de Cálcio (CaO) - confere estabilidade ao vidro contra ataques de agentes atmosféricos;
  • 4% de Magnésio (MgO) - confere resistência às mudanças de temperatura e aumenta a resistência mecânica;
  • 0,7% Alumina (Al2O3) - responsável pela resistência mecânica;
  • 0,3% Potássio (K2O);

Os vidros coloridos são produzidos acrescentando-se corantes como Selênio (Se), Óxido de Ferro (Fe2O3) e Cobalto (Co3O4) à composição.

Tipos de vidro

Vidro float

O vidro float é um vidro comum, liso e transparente que serve de matéria-prima para os vidros temperados, laminados, insulados, serigrafados e espelhos. Sua composição inclui sílica, sódio, cálcio, magnésio, potássio e alumina. Pode ser aplicado na arquitetura, indústria moveleira, automotiva e de linha branca (eletrodomésticos). No cotidiano, esse tipo de vidro está muito presente em potes, frascos, vidros de perfume, janelas antigas e garrafas.

Na fabricação desse tipo de vidro, as matérias-primas são misturadas e fundidas em temperatura mínima de 1000 °C. O líquido resultante é derramado em um tanque de estanho liquefeito, em que o material flutua e se espalha uniformemente. Dessa maneira, ele começa a se resfriar e se aproxima da forma sólida. O material, ainda viscoso, passa por um molde, onde é resfriado.

Vidro laminado

O vidro laminado é composto por duas lâminas de vidro comum unidas fortemente por uma ou mais camadas de resina plástica especial, normalmente de polivinil butiral (PVB), que filtra 99% dos raios UV. A fabricação do vidro laminado se dá com o processo de aderência do PVB às chapas de vidro em uma estufa. Em seguida, o ar que poderia ter ficado entre os vidros e a resina é retirado. Posteriormente, eles passam pela autoclave, uma máquina responsável por formar o vidro laminado em um tratamento realizado à pressão de 10 a 15 atm em 100 °C.

O vidro laminado é considerado um vidro de segurança, pois, caso venha a quebrar, seus fragmentos permanecem presos à película plástica intermediária, reduzindo as chances de acidentes. Além disso, em geral, não é necessária a substituição imediata do vidro quebrado. Esse tipo de vidro é comumente utilizado para divisórias, portas, janelas, claraboias, para-brisas de carro, vitrines, sacadas, fachadas e coberturas de edifícios.

Vidro temperado

O vidro temperado é um vidro comum que passa por tratamento térmico (têmpera) para adquirir propriedades de dureza e resistência mecânica. Em relação ao comum, o vidro temperado possui cinco vezes mais resistência física, além de ser mais resistente ao choque térmico, flexão, fogo, torção e peso. Por isso, é considerado um vidro de segurança, uma vez que, em caso de quebra, fragmenta-se em pequenos pedaços, diminuindo o risco de ferimentos.

No processo de fabricação, esse tipo de vidro é aquecido de forma controlada, elevando sua temperatura a aproximadamente 700 ºC. Em seguida, é resfriado bruscamente, provocando tensões internas que conferem as propriedades de dureza e resistência mecânica ao vidro. Tais características fazem com que ele esteja muito presente na construção civil, na indústria automotiva e também na decoração.

Vidro serigrafado

Os vidros serigrafados/esmaltados são vidros pintados com esmaltes cerâmicos. Existem dois processos para a fabricação de vidros serigrafados: o processo a frio ou o processo a quente. O processo de fabricação a frio consiste na aplicação de tinta ao vidro, geralmente através de telas serigráficas, cuja cura é feita utilizando luz ultravioleta (UV). Já no processo de fabricação a quente é feita a aplicação de esmalte cerâmico composto por fundente à base de vidro e corantes. Em seguida, o vidro passa pelo processo de têmpera para que haja a fundição do esmalte ao vidro.

Além de ser usado para decoração, o vidro serigrafado pode ser aplicado em portas, divisórias, box de banheiros, tampos de mesa e móveis. Em automóveis, age no bloqueio de raios ultravioleta e infravermelho, que reduzem a aderência do material utilizado para a fixação dos vidros. Em micro-ondas, protege a lã térmica que mantém o calor interno.

Vidro curvo

É um tipo de vidro fabricado por meio do encurvamento, que é feito em um molde instalado dentro do forno de curvatura. Com a elevação gradual da temperatura, o vidro se curva até obter o formato do molde. Grande parte do vidro curvo fabricado no Brasil é utilizado na área automotiva, no para-brisa de automóveis. Na área arquitetônica, os vidros curvos são utilizados em grandes edifícios, fachadas, guarda-corpos, claraboias e coberturas.

No setor imobiliário e eletrodoméstico também é possível encontrar o vidro curvo aplicado em tampas, portas e painéis de fogões, lavadoras e secadoras de roupas, micro-ondas e freezers.

Vidro acidado

O vidro acidado é fabricado a partir da aplicação de uma solução ácida ao material, que ataca sua superfície, tornando-a fosca. O vidro pode ser acidado por completo ou parcialmente, criando desenhos, texturas, letras ou formas geométricas. Esse tipo de vidro é utilizado, principalmente, em divisórias de ambientes residenciais e corporativos, além de banheiros.

Vidro jateado

Assim como o vidro acidado, o vidro jateado também passa por um processo que o torna fosco. Esse processo ocorre por meio de um jato de areia ou a laser, que é aplicado sobre a superfície do vidro, jateando-o por completo ou parcialmente. Além disso, é possível criar desenhos, texturas, letras ou formas geométricas. O vidro jateado geralmente é utilizado em lugares onde se preza pela privacidade.

Vidro espelhado

O espelho é uma superfície lisa e altamente polida capaz de refletir luz e imagens de objetos, pessoas e animais. O vidro espelhado é produzido a partir da deposição de metais como prata, alumínio ou cromo sobre uma de suas faces. Em seguida, esse metal é protegido por camadas de tinta, que evitam a corrosão da camada metálica e, por consequência, o surgimento de manchas pretas.

Vidro duplo ou insulado

O vidro duplo, também conhecido como insulado, é composto por duas ou mais chapas de vidro, intercaladas por uma câmara de ar desidratado ou gases como nitrogênio e argônio. Pode ser composto por qualquer tipo de vidro, o que permite combinar diferentes propriedades, como a resistência mecânica do vidro temperado com a proteção térmica, acústica e a segurança dos vidros laminados.

A câmara de ar ou gás é formada por um perfil espaçador em todo o perímetro, contendo em seu interior um dissecante para desidratar o ambiente entre os vidros, evitando o embaçamento. Em seguida, são aplicadas duas selagens: a selagem primária garante que não haja troca gasosa entre a câmara e o ambiente, e a selagem secundária assegura a estabilidade do conjunto. O vidro duplo é indicado para locais que precisem de isolamento acústico ou em imóveis instalados em locais com grande intensidade sonora. O vidro duplo é utilizado principalmente em hospitais, hotéis e residências.

Vidros especiais

Os vidros especiais são utilizados para fins específicos, sempre visando conforto e bem-estar. São eles:

Vidro autolimpante: é um vidro fabricado com a deposição de uma camada transparente de material mineral fotocatalítico e hidrofílico sobre a chapa de vidro. O vidro autolimpante aproveita os raios UV e a água da chuva para eliminar a sujeira e os resíduos que se acumulam no seu exterior. O desempenho da ação autolimpante pode variar dependendo da quantidade e do tipo de sujeira nos vidros, a exposição total à luz solar e à chuva e a inclinação do vidro.

Vidro Antirreflexo: trata-se de um vidro que recebe uma camada Antirreflexo durante o processo de fabricação, reduzindo sua reflexão. Esse tipo de vidro é indicado para vitrines de lojas, museus, exposições, showrooms e situações em que se necessite de nitidez e visibilidade.

Vidro antichamas: o vidro anti chamas possui a capacidade de formar uma barreira contra a ação do fogo. Essa barreira pode ser simples ou dupla, e o tempo de proteção depende das propriedades do vidro. Os vidros simples possuem composição química específica para o combate das chamas, mas transmitem muito calor por radiação. Já os vidros duplos podem ser preenchidos por um polímero em gel com alta percentagem de água e sais orgânicos. Em caso de incêndio, o gel se transforma em uma crosta altamente isolante.

Vidro extra-clear: por possuir menos adição de ferro em sua composição, o vidro extra-clear é um vidro mais claro e transparente do que o padrão.

Vidro baixo emissivo ou low-E: esse vidro possui uma camada superficial composta por materiais que tem a propriedade intrínseca de baixa emissão para a radiação térmica. Essa camada permite diminuir as perdas que ocorrem através do vidro. Tais vidros são indicados para ambientes em que seja necessário um isolamento térmico elevado, reduzindo o efeito da parede fria, os riscos de condensação e os gastos com climatização.

Cristal é um tipo de vidro?

Apesar de também ser constituído por sílica (areia), o vidro cristal recebe uma adição de 10% a 25% de óxido de chumbo (Pb3O4), o que o torna diferente do vidro comum. O óxido de chumbo adicionado é responsável pela dureza e pelo brilho do cristal. Além disso, outras substâncias são adicionadas a fim de garantir ao material alta qualidade, transparência, dispersão da luz, densidade e rigidez.

Reciclagem do vidro

O processo de reciclagem do vidro consiste no reaproveitamento do material para a confecção de novos produtos, de forma a reduzir os impactos ambientais associados à extração de matéria-prima para a sua produção. Dependendo das circunstâncias, o vidro pode ser 100% reaproveitado, criando um ciclo de reciclagem infinita. Apesar disso, nem todos os tipos de vidro podem ser reaproveitados ou reciclados. Em geral, vidros compostos por diversas substâncias ou fabricados com técnicas próprias tornam o processo de reciclagem muito trabalhoso, custoso ou até impossível de ser realizado.

O vidro pode retornar ao mercado como embalagem de alimentos ou bebidas, pois consegue ser esterilizado devido à alta temperatura de fundição. Também pode ser aproveitado na fabricação de outros tipos de vidro, componente de asfalto e pavimentação (em sistemas de drenagem contra enchente), fabricação de espuma, fibra de vidro e tintas refletivas, entre outras possibilidades. A reciclagem do vidro é importante, pois o material demora cerca de cinco mil anos para se decompor.

A primeira etapa da reciclagem é a triagem dos vidros - que são separados por tipo e cor; depois, são lavados e triturados, e, em seguida, fundidos a temperaturas superiores a 1000 °C. A reciclagem do vidro oferece 4% de ganho energético, redução de 5% nas emissões de CO2, evita perdas no processo e economiza cerca de 1,2 tonelada de matérias-primas que seriam utilizadas para fabricação de 1 tonelada de vidro novo.

Apesar das dificuldades, a reciclagem do vidro é um processo que está em constante desenvolvimento e ascensão. As empresas trabalham continuamente para buscar formas de reciclagem para seus diferentes tipos de vidro. Atualmente, já existem cooperativas que reciclam vidros temperados, laminados e espelhos, alguns tipos de vidro que tornam o processo muito trabalhoso e custoso.

Para realizar o descarte correto e seguro dos tipos de vidro recicláveis, consulte os postos mais próximos da sua casa no mecanismo de busca gratuito do Portal eCycle. Outra dica é consultar os fabricantes. Segundo a logística reversa, eles também são responsáveis por dar suporte ao descarte dos produtos.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail