Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Aprenda como identificar o cachorro com sarna e quais são os possíveis tratamentos

O cachorro com sarna apresenta uma condição dermatológica causada por uma infestação de ácaros que invadem a pele do animal. A condição é caracterizada pela coceira, irritação de pele, inflamação e perda de pelo. E, embora tenha tratamento, pode ser contagiante e causar outras complicações. 

Existem dois tipos de sarna: a sarcóptica e a demodécica. 

Sarna sarcóptica

A sarna sarcóptica é a mais comum entre cachorros e é altamente contagiosa. Ela é causada por um tipo de ácaro que também é responsável pelo desenvolvimento de escabiose em humanos, o que significa que ela pode ser transmitida entre espécies. Contudo, esse parasita não pode concluir seu ciclo de vida em seres humanos e tende a durar menos. 

No cachorro com sarna, porém, os ácaros da condição botam ovos na pele do animal, que eclodem em aproximadamente três semanas. Depois disso, os filhotes se alimentam da pele do cão, o que pode causar uma infestação.

Esse tipo de sarna pode ser transmitida entre cachorros ou outras espécies de animais, além de camas, cobertores e outros objetos contaminados. O cachorro com sarna sarcóptica deve entrar de quarentena e a casa deve ser descontaminada. 

Sem tratamento próprio, a condição pode resultar em linfonodos aumentados, perda de músculo saudável e, às vezes, morte. 

Sintomas

Os sintomas da sarna sarcóptica podem aparecer em um período de dez dias ou oito semanas após a contaminação. Começando por coceira na área das orelhas ou dos cotovelos do cachorro, mas podendo se infestar para a barriga, pernas e axilas. Outros sintomas são: 

  • Vermelhidão 
  • Erupção cutânea
  • Crostas amareladas
  • Perda de pelo 
  • Espessamento da pele

Sarna demodécica

Diferentemente da sarcóptica, a sarna demodécica (também conhecida como sarna negra) não é contagiosa e sua transmissão ocorre apenas por mães e filhotes. Na maioria das vezes, os anticorpos presentes no filhote deixarão a condição sob controle, porém, se a população de ácaros sair de controle, ela pode se espalhar. 

Os ácaros decorrentes da sarna demodécica se alojam nos folículos do pelo do cachorro e são, na maior parte, inofensivos. Porém, devem ser tratados e analisados por um veterinário. 

Animais com risco de desenvolver uma forma mais séria da condição são: 

  • Cachorros com o sistema imunológico baixo
  • Cachorros idosos, negligenciados ou que apresentam outras doenças, como diabetes ou câncer 

Sintomas 

Assim como a sarna sarcóptica, a demodécica também é caracterizada pela coceira, vermelhidão e perda de pelo nos cachorros. Entretanto, ela é contida em áreas pequenas, tipicamente no rosto, pernas ou tronco do animal.

Tratamento

Após o diagnóstico veterinário, que irá analisar o estágio da condição, o cachorro com sarna passará por um tratamento que poderá incluir medicamentos contra ácaros, shampoos especiais ou a raspagem do pelo. 

Como todos os casos são diferentes, o tratamento também difere. Já que muitos ácaros podem criar resistência à medicamentos, é de extrema importância que o tratamento seja feito com o acompanhamento veterinário para que a saúde do seu animal seja garantida e para evitar qualquer complicação futura.