Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O home office, ou trabalho de casa, reduz a poluição do ar e os custos de uma empresa, além de aumentar a produtividade

 Imagem de Christin Hume em Unsplash

O home office, também conhecido como trabalho em casa ou telecommuting, é uma prática que permite que o indivíduo trabalhe sem sair de casa. Ele tem vários benefícios, inclusive aumentar a produtividade.

Geralmente, a ideia de trabalhar melhorando o meio ambiente está ligada ao desenvolvimento de novas tecnologias que contribuam com a diminuição da poluição e com a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Mas essa não é a única maneira. O home office é uma opção para quem tira seu ganha pão de empregos em que a presença física não é fundamental (geralmente os de escritório), sendo também mais sustentável.

Nos EUA, essa é uma tendência que vem desde a década de 1970, e que cresce em popularidade com o passar do tempo. A prática do home office cresceu 73% no país nas últimas décadas e é uma boa opção também para momentos em que não é possível se deslocar pelas cidades, como em dias de greve ou em casos de epidemia, como a do coronavírus. Nos órgãos do governo, o crescimento no mesmo período foi de 474%.

Vantagens e desvantagens do home office

As vantagens da prática de home office são muitas. Menos pessoas se deslocando para o trabalho significa menos carros na rua e uma redução no uso do transporte público. Consequentemente, há uma diminuição no consumo e na queima de combustíveis fósseis e uma redução também nos índices de poluição do ar e sonora.

Mas o cálculo dos impactos ambientais não é tão simples assim. A start-up de análise de dados Watershed desenvolveu uma calculadora on-line que mede o impacto climático do trabalho remoto. O impacto do deslocamento realmente é grande e pode cair quando se adere ao home office. No entanto, há outros diversos detalhes para se considerar, como o aumento de pedidos de entrega de comida, gastos de energia com equipamentos de aquecimento ou ar-condicionado e muitos outros aspectos.

Não sair de casa, entretanto, pode trazer outras vantagens, como evitar a exposição a situações de estresse, como acontece no trânsito e em casos de violência como assédio e assalto. Também é uma forma de se prevenir se você estiver doente, não espalhando doenças infecciosas para outras pessoas.

Para as empresas, ter funcionários que trabalham de casa significa uma diminuição dos custos com água, luz e transporte. Ter menos pessoas dentro da empresa também pode resultar em uma possível diminuição de seu espaço físico, economizando com aluguel.

Apesar dessas vantagens, muitos colaboradores podem se sentir insatisfeitos com a falta de socialização ao trabalhar à distância. Com o crescimento do home office durante a pandemia de coronavírus, pesquisadores da University of Southampton desenvolveram o projeto Work After Lockdown para entender as preferências das pessoas em relação ao trabalho. Dos entrevistados, 82% responderam que sentem falta do contato informal com seus colegas. Isso contribuiu para que 73% respondessem que preferem um modelo de trabalho híbrido, com trabalho remoto sendo realizado em apenas alguns dias.

Dicas

Antes de fazer essa proposta aos seus chefes, existem alguns pontos a serem analisados. Você se tornará um empregado mais satisfeito?

Veja algumas dicas para garantir que você consiga trabalhar em casa.

1. Crie um espaço específico para ser seu escritório em casa

O lugar deve oferecer condições para que você se mantenha concentrado no trabalho e não seja interrompido por quem quer que esteja em casa.

2. Organize seu espaço de trabalho

Como acontece na sua empresa, um ambiente organizado aumenta a produtividade e o conforto. Segundo especialista do tema, trabalhar home office aumenta a produtividade em 55%.

3. Crie e mantenha uma rotina

Para manter-se focado e motivado, uma rotina é importante. Vista-se como se fosse pessoalmente ao trabalho e tenha horários rígidos para não dispersar a atenção e nem ficar trabalhando até muito tarde.

4. Evite distrações

Resista à tentação de ligar a televisão ou atacar a geladeira. Procure agir como se estivesse no escritório: deixe suas refeições organizadas previamente, faça pausas pontuais e em horários determinados com antecedência.

5. Mantenha-se conectado

Use a tecnologia a seu favor e esteja sempre conectado à sua empresa. Uma boa conexão de internet e programas de bate-papo on-line são essenciais para se trabalhar em casa. Peça aos seus empregadores que viabilizem uma infraestrutura que garanta que você faça exatamente o que fazia no escritório.

6. Não exagere nas videochamadas e prefira a câmera desligada

Apesar das videochamadas serem eficientes para manter as interações, o excesso delas pode tornar a rotina ainda mais cansativa. Segundo a professora Julianne Holt-Lunstad, PhD, professora de psicologia e neurociência na Brigham Young University, o ser humano é adaptado para ler pistas sociais, interpretando emoções, sinais de linguagem corporal e dicas não verbais no comportamento alheio.

Por videoconferência, entretanto, esse processo é mais dificultoso, levando as pessoas a perderem muitas interações. Isso provoca certo sentimento de estranheza, além da fadiga e desconforto de se olhar para a própria imagem na tela o tempo todo.

As videochamadas também têm impacto ambiental. Um estudo afirma que apenas uma hora de videoconferência ou streaming emite de 150 a 1.000 gramas de dióxido de carbono, que requer de 2 a 12 litros de água. Por outro lado, deixar a câmera desligada durante uma videochamada pode reduzir em 96% essa pegada de carbono. Os serviços de streaming, por sua vez, se utilizados em definição padrão em vez de alta definição, podem reduzir em 86%.


Veja também: