Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Gatos abandonados são deixados por seus antigos tutores e encontram dificuldades nas ruas

Gatos abandonados são animais domésticos que normalmente vivem na rua e foram deixados para trás por seus antigos tutores. Eles costumam viver em colônias nas ruas e necessitam de cuidados humanos para sobreviver. Geralmente, gatos abandonados recebem o apoio de pessoas que frequentam a região da  colônia ou de projetos sociais que protegem animais.

Os gatos abandonados são totalmente diferentes dos gatos selvagens. Esses não dependem de cuidado humano e foram nascidos e criados na natureza, independente do auxílio da sociedade. Eles costumam viver em grupos ou solitários. 

Como identificar gatos abandonados?

É preciso ter cuidado ao assumir que um gato é abandonado. Não é só porque ele está perambulando pelas ruas que ele faz parte de um grupo de gatos abandonados. Na verdade, muitos tutores optam por deixar seus animais andarem pelas ruas livremente. Mas isso não é recomendado por muitos veterinários, já que o animal pode contrair doenças ou até mesmo ser atropelado.

Por isso, verifique se o gato não possui nenhuma coleira de identificação. Caso ele não tenha uma, espere para ver se ele irá voltar para casa. Em casos de gatos abandonados que são recém-nascidos, o melhor é verificar se a mãe não está por perto. Afinal, muitas gatas costumam sair para buscar comida e deixam os filhotes sozinhos por um tempo.

O recomendado é não separar o filhote da mãe, mesmo que ele esteja sozinho. Espere a felina voltar para prestar algum tipo de apoio aos animais. Assim, caso o bichano seja mesmo um gato abandonado, é preciso começar a tomar algumas providências em relação a isso.   

Como vive um gato abandonado?

Gatos abandonados estão acostumados com a rotina doméstica, mesmo que seus antigos tutores os deixassem andar livres fora de casa. Por isso, viver nas ruas pode ser bastante nocivo para esses bichanos. 

No meio do caminho os gatos abandonados encontram um ambiente urbano e tem que competir nas ruas com veículos, asfalto e a crueldade humana. É comum que esses animais não vivam muito tempo nas ruas, pois podem acabar sendo atropelados ou envenenados por pessoas mal intencionadas.

Sem um tutor para oferecer os cuidados corretos, gatos abandonados acabam morrendo. O mesmo vale para gatos domésticos que têm acesso à rua. Mesmo com um tutor cuidando do felino, se ele tem acesso a rua diariamente é provável que possa se envolver em um acidente que afete sua saúde. 

Gatos abandonados vivem menos?

Diversos estudos internacionais mostram que os números de mortes entre gatos abandonados de rua são bem altos. As principais causas são acidentes de trânsito e envenenamento acidental. Também é comum que esses gatos acabem sendo mortos ou machucados por cachorros domésticos.

Um estudo realizado na Austrália mostrou que gatos abandonados costumam ter uma expectativa de vida menor do que gatos domésticos. Durante a pesquisa, 145 gatos abandonados e 899 gatos domésticos foram avaliados. A conclusão final era que a média de vida entre os gatos abandonados era de oito a dez meses, enquanto aqueles que tinham tutores viviam aproximadamente 5 anos.

Porém, é preciso notar que os gatos abandonados utilizados nos estudos tinham poucos ferimentos ou parasitas. Esses são um dos poucos animais que conseguem sobreviver. Já que quando um gato de rua está ferido ele costuma se esconder, e assim, passam despercebidos.

Como ajudar gatos abandonados?

Leve-o ao veterinário 

Depois de verificar se o animal foi ou não abandonado, a opção correta é levá-lo ao veterinário. Mesmo se você não tiver como adotar o gato. Isso porque, pode auxiliar o animal a ter uma vida melhor mesmo nas ruas, e o profissional especializado irá prover o tratamento adequado para o problema de saúde do bichano.

O veterinário é responsável por aplicar vacinas nos gatos abandonados. Dessa forma, evitando que ele contraia e espalhe doenças entre os seres humanos. Além disso, o veterinário pode vermifugar o gato, para que ele não sofra com vermes, pulgas, carrapatos e outras doenças presentes.

Castre o animal

Essa ação é necessária tanto na adoção quanto no retorno do animal à rua. Um gato castrado não é capaz de reproduzir, sendo assim, ele não gera mais filhotes e diminui o risco de mais gatos abandonados. Se você planeja devolver o animal para a área em que achou ou para alguém que vai doá-lo, é melhor castrar o animal, para diminuir o número de gatos na rua. 

Caso você decida adotar, a castração também é ideal. Afinal, com a castração é possível evitar doenças como câncer de mama, ovários e próstata. A falta dela também está ligada ao grande número de gatos abandonados na rua. 

É possível marcar a castração com um veterinário de confiança ou até mesmo entrar em contato com uma ONG de proteção animal. Algumas delas oferecem mutirões de castração de forma gratuita. 

Caso exista uma colônia de gatos abandonados, é possível entrar em contato com a prefeitura da região para realizar uma esterilização em massa. Esse suporte também pode ser prestado pelas organizações de apoio aos animais.

Procure pelos tutores

Um gato de rua nem sempre é um gato abandonado. Às vezes ele é apenas um animal de estimação que acabou se perdendo de seu dono. Por isso, se possível, prepare uma busca pelos tutores do animal.

Alguns gatos têm coleiras com identificação, que oferecem o número do tutor. Assim, caso o animal se perca, é possível encontrá-lo com uma ligação de quem o achou. Além da coleira, gatos abandonados podem ter microchips implantados pelos seus tutores. Esses microchips oferecem um tipo de identificação que fica debaixo da pele e pode ser encontrada por um veterinário. 

Caso nenhuma dessas opções seja possível, basta publicar fotos nas redes sociais ou pendurar cartazes com a foto do animal. Essa pode ser uma forma mais demorada de encontrar a família do gato, mas pode acabar funcionando e ajudando uma família com saudade do seu pet

Como ajudar gatos de rua?

Às vezes, mesmo querendo muito, uma pessoa não pode optar por adotar gatos abandonados.  Nessa questão existem duas opções, retornar o animal a rua depois de prestar apoio ou encaminhá-lo para uma organização que trabalhe com a doação de animais.

Leve o animal para a adoção

Em uma situação onde não se pode adotar o animal, depois de auxiliá-lo, uma boa opção é tentar colocar o bichano para adoção. Você pode fazer isso sozinho, postando nas redes sociais, entrando em contato com amigos e parentes e até mesmo espalhando cartazes a respeito.

Se você não tiver como fazer esse trabalho, entre em contato com organizações de proteção animal que trabalham com adoção. Verifique se eles são adequados para receber o gato e para encontrar uma família para ele. Dessa forma o bichano não fica sozinho e você pode ajudá-lo. 

Alimentação de gatos de rua

Se for necessário devolver o animal à rua, o que acontece quando os gatos abandonados vivem em colônias, tente juntar uma equipe para cuidar desses animais. Se seu bairro tiver uma colônia de gatos abandonados, o primeiro passo é conseguir que todos eles sejam castrados.

Essa ação é necessária para evitar que o número de gatos abandonados na rua aumente. Assim que todos estiverem bem cuidados, junte alguns vizinhos de bairro para oferecer cuidados aos animais. Desta forma, todos podem ajudar a alimentar os animais e provendo ração ou comida como arroz, carne e peixe.

A melhor opção para alimentar os gatos abandonados é a ração. Esse é um alimento que pode continuar intacto na rua, com tanto que não seja molhado. Já as outras comidas podem acabar apodrecendo e causando mais problemas para os bichanos.

Casas para os gatos abandonados

Os gatos abandonados precisam de suporte, como um local seco para dormir, para guardar a comida ou apenas se proteger. Algumas pessoas que cuidam de colônias de gatos costumam construir casas de madeira simples, para abrigar os felinos. Basta a união dos moradores do bairro e alguns pedaços de madeira para construir casinhas para esses gatos em estado de vulnerabilidade.

Quais os cuidados tomar ao adotar gatos abandonados?

Prepare sua casa 

Se você decidiu ficar com um gato abandonado é preciso tomar algumas atitudes. Uma delas é preparar sua casa para a moradia do bichano. Proteja as janelas, as portas e qualquer lugar que possa significar uma possível fuga do animal. Lembre-se que a rua pode significar grande perigo ao felino.

Não se esqueça de comprar os acessórios necessários para a convivência com o gato dentro de casa.

  • Caixinha de areia é a melhor opção para o animal fazer suas necessidades;
  • Comedouros servem para preservar o alimento do bichano e facilitar sua refeição;
  • Bebedouro facilita a hidratação do animal, que é um ponto crucial na sua saúde;
  • Brinquedos existem para desestressar o gato,afinal, eles também precisam se divertir;
  • Casinhas e caminhas são ótimas para o seu pet descansar e tirar uma ótima noite de sono. 

Atenção e cuidado nos primeiros dias

Ao adotar gatos abandonados na rua é preciso saber que eles tiveram uma experiência anterior a sua casa. Ou seja, eles podem ter vindo de uma família totalmente diferente ou enfrentado muitas dificuldades na rua. O que significa que vai demorar um tempo até que o felino se acostume com a nova rotina.

De um tempo ao animal, deixe que ele se sinta confortável e se acostume com a nova família. Se ele não gostar de muitos toques ou rejeitar o ambiente de início, não force as coisas. O melhor é esperar pela vontade do gato, basta providenciar tudo que ele precisa, incluindo acompanhamento com veterinário, para que a convivência possa melhorar.