Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O Centro de Educação Infantil Jamir Dagir está fazendo um financiamento coletivo para se transformar num exemplo de sustentabilidade para as crianças

O coletivo Organicidade e a Morada da Floresta foram procurados pelo Centro de Educação Infantil – CEI Diret Jamir Dagir em busca de apoio técnico para tornar a escola em questão um exemplo em práticas sustentáveis. Surgiu, deste encontro, a oportunidade de implementar uma proposta pedagógica que inclua a questão ambiental e que contribua para mudar atitudes e hábitos. Isto quer dizer: possibilitar que as crianças se desenvolvam plenamente por meio do contato livre e direto com a natureza, criar espaços educadores sustentáveis, implementar boas práticas como a compostagem de 100% dos resíduos orgânicos da escola e disseminar estas iniciativas à comunidade escolar por meio de parcerias.

O projeto quer oferecer oficinas de educação ambiental e criar um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos com professores e crianças de três meses a quatro anos de uma escola pública para ensinar a importância do contato com a natureza.

No entanto, para que esse projeto seja possível, os organizadores solicitam uma contribuição total de R$ 14.300. Os valores variam de R$ 15 a R$ 800 (ou mais) e, dependendo da quantia o apoiador recebe diversas recompensas. Ficou interessado? Clique aqui. Para saber mais sobre como o projeto será executado, confira as informações abaixo.

Como realizar esta transformação

A proposta é realizar 16 encontros de formação para professores, 168 oficinas com as crianças e instalar um sistema de compostagem para tratar 100% dos resíduos orgânicos no CEI Jamir Dagir. A compostagem é o processo de decomposição ou reciclagem dos resíduos orgânicos realizado por micro organismos, fungos e outros seres vivos, produzindo composto (adubo sólido) e biofertilizante (adubo líquido). Para isso, será instalada uma composteira termofílica, cuja estrutura consiste em dois cilindros com as paredes feitas de tela de arame e sombrite (conforme foto abaixo). A estrutura também conta com um sistema de drenagem para a coleta do biofertilizante.

Este espaço se tornará um cantinho de aprendizado para toda comunidade escolar que participará de sua construção, será envolvida na separação dos resíduos, na retirada do composto e na sua utilização e/ou doação para parceiros.

A formação dos professores atenderá todos os docentes, divididos em dois grupos. Os encontros terão duração de uma hora e ocorrerão durante as reuniões do Projeto Especial de Ação (PEA) de forma intercalada a cada quinze dias. Os encontros perpassarão pelos seguintes momentos: sensibilização; oficinas práticas e rodas de conversa inspiradoras; diagnóstico socioambiental participativo; co-criação de um projeto coletivo; mutirões; uso e manutenção do espaço educador de sustentabilidade. Para isto, serão utilizadas diversas estratégias, dentre elas: vivências com a natureza (Joseph Cornell), métodos de facilitação de diálogos significativos (Art of Hosting), além de jogos cooperativos, dinâmicas, rodas de conversa, oficinas práticas e vídeos.

As oficinas com as crianças terão duração de 30 minutos cada e serão quinzenais, ocorrendo de forma intercalada, sendo 6 turmas atendidas em uma semana e as outras 6 turmas na semana seguinte.

As atividades com as crianças trarão uma abordagem lúdica que buscará facilitar o aprendizado vivencial a partir do contato direto com a natureza propiciado pelos espaços externos da escola. A partir de observações atentas, da escuta ativa das professoras e das próprias crianças, pretendemos envolver as demandas das crianças no uso dos espaços externos da escola e no planejamento e manejo do espaço educador de sustentabilidade. Aproveitando a curiosidade, a intuição investigativa e a criatividade que as crianças já possuem e, a partir do repertório que elas trazem, buscaremos facilitar sua vivência nos espaços como um dos caminhos possíveis de expressão e criação da cultura infantil. As atividades serão realizadas em parceria com as educadoras das salas.

Permitindo também através de trocas entender e potencializar as parcerias ao redor, sendo eles o Centro Desportivo Comunitário Lapa (CDC Lapa), a Biblioteca Clarice Lispector e a Escola Municipal de Educação Infantil Profa. Ana Maria Popovic.

Importância do projeto

Ter uma escola pública que tenha como pilar a educação ambiental permite irradiar a cultura da sustentabilidade para toda a comunidade escolar, seja pela influência que as crianças passam a exercer sobre suas famílias, pressionando para mudanças de atitude, seja impactando a vizinhança ao difundir boas práticas.

Lembrando que o CEI trabalha com crianças de 0 a 3 anos e 11 meses, ou seja, a primeira fase da primeira infância do qual a criança desenvolve valores, limites e “caráter”. As relações de vida nessa época serão rememoradas para sempre, ações para edificar questões de autonomia, direito cidadão, importância da água como bem, importância da floresta e das relações humanas.


Veja também: